Liga CASP .A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

BLOG ALFA PAPA MG .A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

sexta-feira, 10 de junho de 2016



TERCEIRO CASO NESTA SEXTA

Mais um princípio de motim é registrado em penitenciária de Minas

Dessa vez, detentos da Penitenciária José Martinho Drumond, em Ribeirão das Neves, colocaram fogo em objetos dentro da unidade prisional

Divulgação / PM
Mais um princípio de motim é registrado em penitenciária de Minas
PUBLICADO EM 10/06/16 - 20h13
Mais um princípio de tumulto foi registrado nesta sexta-feira (10) em uma penitenciária de Minas Gerais. Durante a noite, detentos colocaram fogo em objetos dentro da Penitenciária José Martinho Drumond, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte.
Conforme informações da Polícia Militar, a corporação foi acionada por volta de 19h30, mas às 20h a situação já estava controlada dentro da unidade. Ainda não se sabe o que teria provocado a confusão.
A reportagem entrou em contato com Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) que informou que ninguém se feriu e que a segurança foi reforçada.

Ceresp
Na tarde desta sexta, algumas detentas do Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) Centro-Sul de Belo Horizonte, localizado na avenida Afonso Pena, no bairro Funcionários, que é exclusivamente feminino, e conta com 90 vagas, colocaram fogo em objetos, como colchões e cobertores.

A suspeita é que as ações tenham a ver com a possibilidade de não ocorrer visitas neste fim de semana, em função de uma possível greve dos agentes penitenciários que prometem cruzar os braços a partir deste sábado, segundo informou um militar do Corpo de Bombeiros que não quis se identificar.

Já a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) informou que a direção da unidade vai instaurar uma investigação preliminar para apurar o ocorrido sob o aspecto administrativo..

O Corpo de Bombeiros foi acionado por agentes penitenciários que observaram fogo saindo das celas. Conforme informações da corporação, nenhuma detenta ou funcionário, chegou a ser atingido pelas chamas.

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) informou que as cinco detentas que sentiram mal-estar pela quantidade de fumaça inalada.

Conforme informou o Corpo de Bombeiros, entre essas presas intoxicadas estão gestantes.

Todas elas receberam atendimento médico dentro da unidade, segundo informou a Seds.

Pelo interior

Mais cedo, durante a manhã, um princípio de motim foi registrado no presídio de Governador Valadares, na região do Rio Doce. Nesse caso, além dos agentes penitenciários, a Polícia Militar (PM) ajudou a conter a confusão.

Neste caso, também não teve registro de feridos e nem de danos a estrutura da unidade prisional. Conforme informou a Seds, a direção da unidade instaurou uma investigação preliminar para apurar o ocorrido sob o aspecto administrativo.

O número de detentos que estão cumprindo pena na unidade prisional também não foi divulgado, por questões de segurança, segundo a pasta. No entanto, a Seds informou que o local conta com 290 vagas. Mas o presidente da Comissão de Assuntos Carcerários da OAB-MG, Fábio Piló, afirmou que a unidade enfrenta superlotação e tem cerca de 800 presos.

A secretaria também não explicou o que teria causado o motim, porém Piló declarou a reportagem que a confusão foi pelo risco de não ocorrer visitas neste fim de semana.
Relação entre os fatos
Questionada se há uma relação entre os três casos de princípio de motim registrados nesta sexta-feira, a Seds não se manifestou.
Greve
No início da noite dessa sexta, uma liminar do governo do Estado foi acatada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) que determinou que os agentes penitenciários não inicie a greve programada para ter início neste sábado (11).
Por entender que este é um serviço de segurança essencial para a população, o desembargador Luís Carlos Gambogi, segundo informou o TJMG, determinou a continuidade do serviço. Caso a decisão seja descumprida, ficou estipulado uma multa diária de R$ 100 mil que deverá ser paga pelo sindicato que representa a categoria.

Ficou estabelecido que ambas as partes compareça a uma audiência de conciliação programada para às 14h30 da próxima segunda-feira (13) no plenário do Palácio da Justiça, no Centro de Belo Horizonte.
A reportagem entrou em contato representantes do sindicato que representa a categoria, mas não conseguiu localizar um responsável para falar sobre o assunto. 
Os servidores haviam adiantado no início da semana que pretendiam cruzar os braços neste sábado. A medida tem como pressionar o  governo para que atenda suas reivindicações.

Entre as exigências da categoria, estão a aprovação lei orgânica do sistema prisional, o pagamento de um abono fardamento, e mais agilidade no cumprimento do cronograma do curso de formação de 2013.
Atualizada às 20h23.