Liga CASP .A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

BLOG ALFA PAPA MG .A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

REGIÃO CENTRAL DE MG

Ladrão é morto por policial civil ao furtar comércio em Itabira

Jovem, que tinha ficha criminal extensa, ameaçou atirar contra agente ao ser flagrado; em Bela Vista de Minas, adolescente de 17 anos foi baleado após agredir policial militar durante registro de ocorrência

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Fonte Normal
comércio
Em Itabira, porta de comércio foi danificado durante ação dos bandidos
PUBLICADO EM 15/02/16 - 17h59
Um furto malsucedido a um comércio de Itabira, na região Central do Estado, terminou com a morte de um jovem de 18 anos nesta segunda-feira (15). O disparo partiu de um policial civil, que estava em casa quando percebeu a ação do homem e de seus comparsas.
De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, o caso aconteceu por volta das 04h30 na rua Galileia, no bairro Bethânia. O policial civil de 37 anos contou aos militares que mora na parte de cima do estabelecimento comercial e, durante a madrugada, escutou um forte barulho.
Ele se levantou junto com a companheira e chegou na varanda. Nesse momento, o agente de segurança viu um homem manobrando um Chevette e batendo na porta do comércio. A princípio, o servidor público pensou que fosse algum motorista embriagado.

No entanto, minutos depois, viu Wander Luiz Tomaz Jerônimo, conhecido pelo apelido de “Wandinho”, saindo com uma sacola do imóvel. O policial se identificou e ordenou que o homem parasse. Na versão dele, o ladrão não obedeceu e sacou uma arma. Para se defender, o policial atirou primeiro.
Wandinho, que foi atingido no abdômen, ainda correu, mas caiu na entrada de um aglomerado do bairro Madre Maria de Jesus. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionado, mas ele não resistiu ao ferimento. O jovem, que era considerado pela polícia como um criminoso de “alta periculosidade” já tinha antecedentes criminais por tráfico de drogas, porte ilegal de armas e roubo. Os comparsas do homem fugiram no veículo, que foi furtado nesse domingo (14) e não foram localizados.
O policial civil foi conduzido à Delegacia de Plantão de Itabira para prestar esclarecimentos. Segundo a assessoria de imprensa da corporação, até o início da noite, o policial e testemunhas ainda prestam depoimentos.
Em Bela Vista de Minas
Um outro caso envolvendo policial, dessa vez militar, foi registrado no último fim de semana em Bela Vista de Minas, também na região Central. Durante o atendimento de uma ocorrência de pertubação do sossego, um adolescente de 17 anos foi baleado. Até a manhã desta segunda ele permanecia internado.
O problema começou por volta das 22h30 de sábado (13) quando um grupo de jovens estava com o volume do som do carro alto na rua na Guidomar Quaresma, no Bairro Córrego Fundo. Incomodados, vizinhos acionaram a polícia.
Dois militares chegaram ao local e ordenaram que o volume do som diminuísse, o que não foi obedecido. Nesse momento, a viatura começou a ser apedrejada e foi preciso acionar reforço policial em João Monlevade, na mesma região.
Com a chegada de mais policiais, um dos envolvidos na confusão foi algemado. Um outro, que também teria danificado a viatura, ao perceber que seria preso, correu. Um dos policiais, um soldado de 30 anos, foi atrás. Com isso, seis amigos dos suspeitos também foram em direção aos dois.
Em outra rua, o grupo jogou o policial no chão e começou a agredi-lo com socos e chutes. Ainda segundo o registro policial, os vândalos tentaram tomar a arma do militar, que tentou ficar com o revólver. Nesse momento, um disparo aconteceu e atingiu o adolescente, que participava das agressões contra o servidor público.
Ele foi baleado no abdômen e socorrido até o Hospital Margarida, em João Monlevade, onde precisou ser internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI). Durante a confusão, três pessoas foram detidas.
O militar, que também se feriu, recebeu atendimento médico e foi encaminhado a um quartel e sua arma foi recolhida. Um procedimento administrativo foi aberto pela Polícia Militar para apurar o caso.