A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

BLOG ALFA PAPA MG .A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

sábado, 21 de junho de 2014

Agentes penitenciários reclamam de situação de trabalho.

Presídios comportam 30 mil pessoas a mais do que a capacidade real e déficit de agentes chega a 2 mil servidores.

A audiência pública da Comissão de Direitos Humanos teve grande número de participantes
A audiência pública da Comissão de Direitos Humanos teve grande número de participantes - Foto: Ricardo Barbosa
As condições de trabalho dos agentes de segurança penitenciário do Estado foram discutidas em audiência da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) nesta quarta-feira (18/6/14). Entre os temas abordados estão a superlotação dos presídios, o número insuficiente de agentes penitenciários para suprir uma demanda crescente, a necessidade de reestruturação da carga horária de trabalho, bem como de uma legislação que pudesse doutrinar o sistema prisional do Estado e contemplar as reivindicações da categoria.
A discussão dessas questões foi motivada pelo caso do agente penitenciário João Alcides Cardoso de Freitas, lotado na Penitenciária do município de Francisco Sá (Norte de Minas), gravemente ferido em abril de 2013, quando fazia a escolta de quatro presos para atendimento médico. Segundo o deputado Cabo Júlio (PMDB), que solicitou a reunião, João Alcides era um dos cinco agentes envolvidos na operação. O parlamentar relatou que os agentes foram surpreendidos por pessoas que portavam armas como fuzil, carabina e granada, e que tentavam resgatar os detentos. João Alcides foi baleado, teve seu braço mutilado, além de sofrer fraturas expostas.
De acordo com Cabo Júlio, o agente não recebeu nenhum tipo de apoio do Estado e, ainda hoje, continua “abandonado”, já que todas as despesas com remédios e médicos são custeadas pelo próprio agente. O parlamentar classificou o fato de “covardia” e disse ser uma mentira a justificativa enviada pelo Estado que afirmava que João Alcides teria recebido todo o apoio e orientação necessários. “Estão jogando o servidor na vala comum, como se ele tivesse dado causa ao fato”, protestou Cabo Júlio.
João Alcides foi baleado, teve seu braço mutilado e sofreu fraturas expostas
João Alcides foi baleado, teve seu braço mutilado e sofreu fraturas expostas - Foto: Ricardo Barbosa
O parlamentar defendeu a aposentadoria de João Alcides, que, segundo relatórios médicos, teria um déficit funcional de forma definitiva, em função do acidente. O deputado ainda criticou o fato do servidor, que trabalhava dentro do sistema prisional, nunca ter recebido um treinamento específico para a escolta de presos e, ainda assim, ter sido escalado para o serviço. No decorrer da reunião, Cabo Júlio informou que o secretário de Estado de Defesa Social, Rômulo Ferraz, receberia o agente na tarde desta quarta (18) para discutir sua situação. O deputado deve acompanhar esta reunião em nome da comissão.
Ao relatar sua experiência, João Alcides se emocionou e disse que falar sobre o assunto ainda é, para ele, algo muito doloroso. “Resolvi servir ao Estado porque gosto, mas pensava que o servidor, quando acidentado, teria assistência”, denunciou o agente, ao falar sobre a falta de apoio recebido.
Ele também disse que, mesmo tendo o relatório de quatro ortopedistas que atestam que as suas sequelas são definitivas, deve passar por perícias médicas a cada dois meses. João Alcides falou que, atualmente, está com o braço inválido, perdeu os movimentos de uma das mãos, ainda tem estilhaços de bala em seu corpo, e faz uso de remédios psiquiátricos.
Assistência - Para o deputado Durval Ângelo (PT), casos de agentes penitenciários que se encontram em condições semelhantes a de João Alcides não são raros. Ele lembrou que tramita na ALMG o Projeto de Lei (PL) 1.353/11, de sua autoria, que trata da proteção, auxílio e assistência aos policias e bombeiros militares, policiais civis e agentes penitenciários do Estado. Segundo ele, o projeto, que aguarda para ser incluído em Ordem do Dia para votação em 2° turno no Plenário, prevê mais proteção para os servidores dessas carreiras, bem como um amparo médico, psicológico e social, nos casos comoo de João Alcides.
Parlamentares defenderam a proposta do PL 1.353/11
Parlamentares defenderam a proposta do PL 1.353/11 - Foto: Ricardo Barbosa
O deputado Sargento Rodrigues (PDT) também defendeu a proposta do PL 1.353/11, bem como uma “compensação mínima” para o agente ferido em serviço. Já o deputado Rogério Correia (PT) disse que o caso de João Alcides é muito grave, mas que a falta de assistência por parte do Estado tem acontecido também com outros trabalhadores do serviço público.
Estado - O superintendente de Segurança Prisional, Reginaldo Soares, reconheceu que o sistema prisional cresceu muito, mas a sua organização não ocorreu como deveria. Segundo, ele, a população carcerária do Estado é de 30 mil pessoas acima da capacidade real dos presídios e que o déficit de agente já chega a 2 mil profissionais. Ele também reconheceu que o treinamento recebido pelos agentes fica aquém do esperado.
Ele classificou o fato ocorrido com João Alcides como gravíssimo, mas ponderou que existe uma diretoria de assistência ao servidor, que na sua avaliação, precisa ser melhor estruturada.
Superlotação de presídios e falta de agentes são problemas pela categoria
O presidente da Associação dos Agentes de Segurança do Sistema Prisional e Socioeducativo do Norte de Minas - Montes Claros, Alexandre Figueiredo Cavalcante, denunciou como um dos principais problemas do sistema prisional do Estado a superlotação dos presídios, associada à falta de mão de obra e de capacitação dos agentes. “Reivindicamos melhorias, valorização e moralização do sistema prisional”, afirmou. Em entrevista, ele explicou que um dos mecanismos que poderia disciplinar o sistema seria a criação de uma Lei orgânica para o sistema prisional, que garantiria, por exemplo, benefícios como a auxílio invalidez e a aposentadoria especial.
Carga-horária - Outra reivindicação feita por vários agentes penitenciários foi com relação à carga-horária da categoria. Conforme esclareceu em entrevista, Cavalcante disse que a reivindicação é de que seja implementada uma carga de 12 horas de trabalho por 60 horas de folga. Atualmente, a jornada é de 12 horas trabalhadas por 36 de descanso, mas, segundo o presidente da associação, muitas vezes os agentes ultrapassam o tempo de trabalho estabelecido pela jornada.
Na avaliação do presidente do Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado, Adeilton de Souza Rocha, o agente penitenciário só é tratado como um servidor da área da segurança pública no momento dos deveres, mas não dos direitos.
O ouvidor do Sistema Penitenciário do Estado, Marcelo José Gonçalves da Costa, tomando o caso de João Alcides como exemplo, questionou o porquê da carreira do agente penitenciário ter que ser discutida sempre por meio de um caso de sofrimento e da carência.
Contratados – A situação de agentes penitenciários contratados também foi abordada por representantes da categoria na reunião. Sobre o assunto, os deputados Sargento Rodrigues e Cabo Júlio falaram, respectivamente, sobre os Pls 4.170/13 e 5.277/14, de autoria dos parlamentares e que tramitam na Casa, e que fazem alterações na Lei 18.185, de 2009, que dispõe sobre a contratação por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público. Os dois projetos pretendem prorrogar os referidos contratos, o que beneficiaria os agentes penitenciários e socioeducativos.
Requerimentos – Foi aprovado requerimento do deputado Sargento Rodrigues para que fosse realizada audiência pública para debater denúncias de policiais militares quanto às suas condições de trabalho; do deputado Rogério Correia, para que seja realiza audiência para debater a saúde dos trabalhadores do serviço público do Estado e as violações dos direitos humanos; dos deputados Durval Ângelo, Sargento Rodrigues e Cabo Júlio, encaminhando as notas taquigráficas da reunião de quarta (18) para os convidados e pedindo esforços para garantir ao agente João Alcides o imediato e integral acesso ao atendimento de saúde necessário.
Fonte: ALMG

chama O MP

A maioria dos Alunos do CFTP 2014 - 2º Grupamento ainda não receberam a bolsa formação



Mesmo já encerrado o curso de formação técnico profissional e estágio nas unidades prisionais, a maioria dos aspirantes ao cargo de Agente de segurança Penitenciário do Estado de Minas Gerais, ainda não receberam a bolsa de 50%, do salário base do ASP IA da categoria.
Mostrando o descaso da SEDS/MG, com os futuros servidores prisionais, lembrando que todos aspirantes do 2º grupamento tiveram que se manter com recursos próprios durante todo o curso de formação e estágio.


Vergonha!

Detento joga água fervente em rosto de agente na penitenciária

 Em Patrocínio a Policia Militar deslocou a Penitenciária Deputado Expedito de Faria Tavares, onde segundo um agente penitenciário que se encontrava de serviço no local, momento em que passava em frente a Cela 02, do Pavilhão Fechado 01, e o detento Quiriova arremessou agua fervente contra seu rosto, causando-lhe queimaduras. Após o fato a vitima foi socorrida até o PSM, onde ficou sob cuidados médicos, não sabendo informar a motivação do fato, sendo ainda orientada quanto as providencias cabíveis. 

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Agentes da Delegacia ainda tentam entender - e explicar - a fuga de dois detentos ocorrida na madrugada desta sexta-feira, 20, durante troca de plantão policial. Os detentos serraram as grades da cela e fugiram pela recepção da delegacia.

Agentes da Delegacia ainda tentam entender - e explicar - a fuga de dois detentos ocorrida na madrugada desta sexta-feira, 20, durante troca de plantão policial. Os detentos serraram as grades da cela e fugiram pela recepção da delegacia.

Amanda Dantas - ALAGOAS

Agentes da Delegacia de União dos Palmares ainda tentam entender - e explicar - a fuga de dois detentos ocorrida na madrugada desta sexta-feira, 20, durante troca de plantão policial. Os detentos serraram as grades da cela e fugiram pela recepção da delegacia.
Segundo informações repassadas pela polícia, 12 detentos se amontoavam momentos antes da fuga na única cela e no corredor da delegacia superlotada. Um menor de 17 anos, acusado de tráfico de drogas e Leonardo José da Silva, conhecido como ‘Leo’, conseguiram escapar da carceragem.
Ainda segundo informações da polícia, Leo é acusado de vários homicídios, entre eles um no Distrito Timbó, na zona rural de União dos Palmares, em que a vítima teve o coração arrancado; e outro na região do Cavaco, também zona rural daquele município, onde a vítima foi decapitada.
Um detalhe pertinente é que Léo escapou mesmo estando ferido à bala nas duas pernas. Um agente disse em entrevista ao site Tribuna União que “não entendia como os dois escaparam por buracos tão pequenos... Mesmo por que, o Leo está ferido por balas nas duas pernas e andava com dificuldades se agarrando nas paredes.”
Depois da fuga, durante revista, a polícia ainda encontrou baterias de celulares e vários pedaços de serras. O delegado daquela distrital, Mário Jorge, solicitou que fosse apurado como as serras entraram na delegacia e como se deu a fuga.
Fonte: Com informações do Tribuna União

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Bandidos invadem Hospital Galba Velloso e resgatam preso que estava internado




 por Rádio Itatiaia em Jornalismo / Atualizado 

Bandidos invadem Hospital Galba Velloso e resgatam preso que estava internado


Seis homens armados invadiram o Hospital Galba Velloso, no Bairro Gameleira, Região Oeste de Belo Horizonte, e resgataram um preso. Jeferson Ferreira de Faria, também conhecido como ‘Mingau’ estava detido no Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) Gameleira.
Durante a ação, os criminosos renderam oito funcionários e espancaram os dois agentes penitenciários que faziam a escolta do detento. “Um chegou na frente com o revólver apontado para mim, que estava no computador. Outro já veio atrás segurando o porteiro com a arma na cabeça dele e outro veio gritando pelo nome de Mingau, Mingau”, contou uma funcionária que não quis se identificar.
Segunda outra testemunha, os homens estavam encapuzados e armados. “Todos estavam de arma em punho, inclusive com o dedo no gatilho. Todos estavam mascarados, tipo com touca ninja”, relatou a mulher.
Ouça a reportagem completa de André Santos:


OUÇA O(S) AUDIO(S) DESTA NOTÍCIA:

Bandidos invadem Hospital Galba Velloso e resgatam preso que estava internado
video

COMENTÁRIOS

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Nelson Hungria - Mulher é presa ao tentar entrar em presídio com celular escondido em molho de tomate

Caso ocorreu no Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem
Do R7
Visitante foi conduzida para 6ª delegacia seccional de Contagem Getty Images
Uma mulher foi presa na tarde do último domingo (15) após ser flagrada tentando entrar com um aparelho celular no Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Camila Rosa de Oliveira escondeu o equipamento dentro de uma vasilha que continha molho de tomate para cachorro quente.
Segundo a Suapi (Subsecretaria de Administração Prisional), agentes penitenciárias impediram que o objeto e ainda cinco chips entrassem na unidade. O aparelho foi descoberto duranta a revista para entrada no presídio, com uso de raio X.

A Polícia Militar foi chamada para registrar a ocorrência. A visitante foi encaminhada para a 6ª delegacia seccional de Contagem para prestar esclarecimentos.

CONVOCAMOS TODOS ASPS PARA ESTAREM PRESENTES , A HORA É AGORA .

Jornada de agentes penitenciários deve ser tema de reunião

Mudanças na carga horária e nos plantões da categoria motivam requerimento da Comissão de Segurança Pública.

Deputados aprovaram requerimento de audiência pública em Formiga
Deputados aprovaram requerimento de audiência pública em Formiga - Foto: Sarah Torres
A Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) aprovou, na manhã desta terça-feira (17/6/14), dois requerimentos de audiências públicas.
O primeiro, de autoria do deputado Sargento Rodrigues (PDT), será para discutir as mudanças na carga horária e nos plantões dos agentes penitenciários. De acordo com o parlamentar, o pedido para que fosse marcada uma reunião para se discutir o assunto partiu do Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sidasp-MG).
A outra audiência aprovada deverá ser realizada em Formiga (Centro-Oeste de Minas), para tratar da segurança pública da região. O requerimento foi do deputado Gustavo Valadares (PSDB).

Agora o porte é federal.

SANCIONADO O PORTE FEDERAL

Sancionado o Porte de arma dos agentes penitenciários agora e lei 12.993 de 17 de junho de 2014. 


segunda-feira, 16 de junho de 2014

MUITO FORTE . QUE DEUS POSSA DAR FORÇA A ESSA FAMÍLIA.

Nós, Policiais Militares, sob a proteção de Deus, estamos compromissados com a defesa da vida, da integridade física e da dignidade da pessoa humana”.

Peço que leiam com atenção...

"Deus, não consigo entender! O senhor plantou uma sementinha dentro de mim, me preparou 9 meses.


Quando, dia 31/12/1990, me presenteou com um lindo bebe. E que grande! 3,740 kg e 51,5 cm. 

Foi tão maravilhoso, um meninão! Dei o nome de Wesley Vanderlei Pietro Bom. COMO EU O AMAVA.

Então, foi crescendo... Vieram as primeiras palavras, os primeiros passos... O prezinho, a escola primária, o ginásio! 

QUE RAPAZ LINDO, MEU ORGULHO!

Tinha um sonho, tornar-se policial, estudou muito. Veio a decepção, não passou. Ficamos arrasados, como ele sofreu.

Todavia, não desanimou, tentou novamente, ai veio o resultado final, aprovado! Que felicidade! Choramos muito de tanta alegria. Veio a escola e então a formatura. Seu sonho realizou-se. Como ele era apaixonado pelo o que fazia. Para ele era um orgulho! Fazia faculdade, veio sua primeira namorada. Como ele era apaixonado, depois veio o termino do namoro... Como ele sofreu...eu também! E o Senhor sabe disso, Pai!

Mas sua vida seguiu adiante...

Chegou o ano da copa, fiquei preocupada porque ele foi trabalhar na copa. No COMANDO COPA. Que orgulho, saia de casa impecável, sua farda, se nao a melhor, uma das melhores. Fazia questão de estar bem arrumado. Sua bota? Era um espelho! 

Em detalhes, ele fazia musculação, era bem dedicado! 

Quanto a seu trabalho, nunca perdeu a hora. E eu, como sua mãe, sempre acordava antes dele, arrumava café, e ele levantava. A primeira coisa do dia era :" bença, mãezinha!", e eu o abençoava e o acompanhava até o portão! Lhe dizia:" muita calma! Deus lhe acompanhe e que Nossa Senhora lhe proteja junto com seu anjo da guarda, que Deus guarde você e todos seus amigos!"

O Wesley já sabia que no dia 13/06 seu pai tinha uma cirurgia marcada. E ele, como filho dedicado, disse que levaria seu pai ao hospital e que quando tivesse alta, o buscaria. 
Era uma cirurgia simples, seu pai internaria de manha e sairia a tarde. Saímos de casa 4h da manha, ele estava radiante, conversador...

Ai pai! Veio o que eu nunca imaginaria.... Não imaginava que o meu destino estava marcado naquele lugar...

Às 5h da manha, quando passávamos pela vila Heliopolis, dois rapazes sem coração nos cercaram armados. E tudo foi muito rápido, gritos, tiros, nunca imagine. Percebi meu filho imóvel, o chamei e ele não me respondeu... Foi ai que me assustei, meu filho tinha sido atingido na cabeça! 

Que desespero Deus, que dor! 

SOCORRO, HOSPITAL, CIRURGIA, AGONIA... Tantas informações! Calma, mãe! Estamos fazendo o possível! 

Eu sempre pedindo a Deus, cuida do meu filho, olha ele para mim... Que sofrimento! Então veio o médico, me pediu para subir e o acompanhar. A cirurgia tinha terminado, já estava na UTI.

Esperamos ao lado da porta, os médicos pediram para esperar um pouco.
Veio a triste notícia! Mãe, o caso do seu filho foi gravíssimo, fizemos o que pudemos, mas ele entrou na UTI e teve uma parada. Eu não queria acreditar! Não, doutor! O senhor esta brincando, não é verdade!

É, meu filho faleceu! 

Que desepero, fiquei sem chão! 

Então me perguntei: Deus, porque o senhor me preparou para tê-lo, mas não me preparou para tirá-lo de mim? Por que? 

Não foi tirando aos poucos, o arrancou dos meus braços, do meu colo de uma só vez, nem pediu licença! 

POR QUE? Por que...

Filho, aonde você estiver não me abandone. Nem a mim e nem seu pai, nem seus irmãos... Cuida da gente, seja nosso anjo protetor. Seu pai esta sofrendo muito também, ele acha que por ser seu pai, tinha que ser seu super herói, e ele acha que não conseguiu, que falhou... Cuida muito dele! 


EU TE AMO! 

Feliz 31/12/1990... Eu cheguei!


Muita saudade 13/06/2014... Eu parti!"

Brasil em QAP

ESCRITO PELA MÃE DO SD PM PIETRO MORTO DIA 13/06/2014, DO 30°BPM/M DA PMESP
Sem palavras... Principalmente lendo um relato de uma mãe que acaba de perder um filho, e não um filho vagabundo um filho que dava orgulho...

Deus console esta pobre mãe e nos proteja sempre!!!

“Nós, Policiais Militares, sob a proteção de Deus, estamos compromissados com a defesa da vida, da integridade física e da dignidade da pessoa humana”.