A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

BLOG ALFA PAPA MG .A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

sábado, 6 de abril de 2013

DENÚNCIA ENVIADA PARA A EQUIPE DO BLOG DO ALEXANDRE GUERREIRO POR UM AGENTE ANÔNIMO

NO PRESÍDIO MAIOR DO NORTE MINAS É PRECISO REVER OS CONTRATOS LICITATÓRIOS DA PADARIA, CANTINA, LAVAGEM PARA PORCOS E ALUMÍNIO DOS MARMITEX...

 
 
Todavia, a Lei que normatiza as licitações públicas elenca vários princípios a serem considerados, e com isso tem-se o interesse nesse momento de destacar esses mesmos em relação a: Moralidade, Legalidade, Publicidade, Impessoalidade e o da eficiência, sendo que cada um deve no mínimo ser respeitado, para uma licitação se tornar correta e inidônea.


PADARIA


Familiares de presos denunciam que os presos funcionários da padaria trabalha noite e dia e não estão recebendo salário e quando recebem o com mais de um ANO de atraso...

VENDAS DE MARMITEX PARA FERRO VELHO

Não existe regulamento para prestação de contas nas vendas  do alumínio dos marmitex, às vezes, o preso trabalha na RECICLAGEM, mas não tem REMIÇÃO...


COPO LAVÁVEL 
A cantina economiza nos copos, fato é, no contrato exige copo descartável, e no Presídio não paga copo descartável e sim copo de plástico lavável:
COPO DESCARTÁVEL
 O GOVERNO DEVE FISCALIZAR A DOAÇÃO DE LAVAGENS DENTRO DOS PRESÍDIO!!!!
 
 ASSINADA PELO AGENTE PILOTO ANÔNIMO:
VAMOS MOBILIZAR PARA PEDIR AUDITORIA JUNTO AO ORGÃOS RESPONSÁVEIS.


Denúncias de tortura dobraram em um ano no paísSão Paulo e Minas Gerais lideram o ranking de notificações nos dois anos do levantamento, mas muitos casos não são notificados

Publicação: 06/04/2013 06:00 Atualização: 06/04/2013 07:54
Peritos poderão também fazer recomendações às autoridades responsáveis pelas pessoas custodiadas para garantir seus direitos (Sidney Lopes/Estado de Minas )
Peritos poderão também fazer recomendações às autoridades responsáveis pelas pessoas custodiadas para garantir seus direitos

A Secretaria Nacional de Direitos Humanos recebeu no ano passado 1.610 denúncias de tortura praticadas por agentes do Estado em todo o país, um aumento de mais de 100% em relação a 2011, quando foram registradas 798 queixas. São Paulo e Minas Gerais lideram o ranking de notificações nos dois anos do levantamento. Em São Paulo o número também dobrou: foram 331 denúncias no ano passado, contra 152 no ano anterior. No mesmo ritmo, as denúncias em Minas passaram de 110 para 208. 

Os números não retratam a realidade da tortura – tipificada como crime inafiançável e sujeita a pena de até 16 anos de reclusão no Brasil somente em 1997 –, já que muitos casos não são notificados. Foi para evitar esse tipo de ocorrência que a Câmara dos Deputados criou o Sistema Nacional de Prevenção e Combate à Tortura. O projeto de lei foi votado em segundo turno pelos deputados e agora segue para o Senado. 

Um dos autores da proposta, o deputado federal Nilmário Miranda (PT), ex-secretário nacional de Direitos Humanos, disse torcer para que o projeto avance mais rapidamente no Senado, pois na Câmara as negociações para sua aprovação duraram quase 12 anos. “Mas é um passo importante a aprovação na Câmara”, comenta. Segundo ele, a proposta estabelece procedimentos padrão a serem adotados em todos os estados para prevenir e combater o crime de tortura, além de criar uma espécie de força nacional para inspecionar estabelecimentos prisionais e de reeducação social de menores para coibir a prática sistemática da tortura.

Visita surpresa 
Essa equipe, de acordo com o ex-secretário, será formada por peritos que serão acionados para investigar crimes dessa natureza em locais onde pessoas são detidas sob custódia do poder público, como delegacias, presídios e até mesmo hospitais de tratamento psiquiátrico. O projeto de lei estabelecia a visita surpresa dessa equipe, mas ela não passou na Câmara. O texto aprovado determina que ela só poderá ser feita com uma comunicação prévia, com pelo menos 12h de antecedência, ao local visitado. A bancada do PT vai tentar voltar no Senado com o fator surpresa dessas inspeções. “Mas a única maneira de aprovar o projeto foi retirar essa parte”, explicou Nilmário.

O projeto garante aos peritos a autonomia de posições e opiniões adotadas no exercício de suas funções, acesso a todas as informações relativas às pessoas presas, liberdade para escolher os locais a serem visitados e as pessoas a serem entrevistadas. Os peritos poderão também fazer recomendações às autoridades responsáveis pelas pessoas custodiadas para garantir seus direitos, além de requerer à autoridade competente a instauração de inquérito administrativo ou criminal quando constatarem indícios da prática de tortura e de outros tratamentos e práticas cruéis. 

O sistema prevê também um comitê composto por representantes do governo federal, conselhos de direitos humanos e organizações da sociedade civil que terá como objetivo propor ações, elaborar estudos e pesquisas; apoiar a criação de comitês ou comissões semelhantes na esfera estadual e manter um cadastro de denúncias e decisões judiciais.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da seção mineia da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MG), William Santos, está na torcida para que o sistema seja aprovado rapidamente e transformado em lei. Ele lembra que a tortura é uma prática recorrente em todo o país e que as ações de prevenção e controle ainda são ineficazes. “Esse sistema coloca nosso país no mesmo nível de outras nações que já adotam essa forma de prevenção e controle”, defendeu.
FONTE  BLOG DA RENATA 

ARTIGO QUE ESCLARECE O INCIDENTE DO CONCURSO DE AGENTE PENITENCIÁRIO 2012. (BLOG DO CORLEONE – acesse sempre e divulgue)


ARTIGO QUE ESCLARECE O INCIDENTE DO CONCURSO DE AGENTE PENITENCIÁRIO 2012. (BLOG DO CORLEONE – acesse sempre e divulgue)

Os candidatos passaram por um susto ao ler uma peça mal digitada e formulada pelo TCE-MG em 04-04-2013, trazendo uma série de informações contra o certame, mas o que não sabiam é que na verdade, trata-se de um procedimento que corre no próprio Ministério Público de Contas, e não no Judiciário, como muitos acreditavam/acreditam/acreditarão.
Para quem não sabe, o Ministério Público de Contas (Tribunal de Contas do Estado), é um órgão auxiliar da Assembleia Legislativa (a que alguns doutrinadores dizem não subordinar a este) ou seja, o referido órgão se encontra no organograma do poder legislativo, tanto é que a Constituição Federal de 1988 diz o seguinte no Art. 71. O controle externo, a cargo do Congresso Nacional, será exercido com o auxílio do Tribunal de Contas da União, ao qual compete: etc. etc. etc.
Portanto, o Tribunal de Contas auxilia o legislativo a fazer o controle externo, ou seja, a fiscalização contábil, financeira, orçamentária. Desta forma, podemos dizer que é um órgão auxiliar do Legislativo. Sabemos que o Legislativo também legisla (cria leis) e julga (os políticos envolvidos nos crimes de responsabilidade).
A Manifestação do procurador Marcílio Barenco foi enviada para... advinha quem é o relator deste procedimento? Ninguém menos que o mineiro mais Tucano que há nas cercanias de Minas, o Ex. Deputado PSDBista e ex-líder da bancada do Anastasia, que inclusive, foi eleito pela Assembleia (não se acentua mais ditongos abertos) Legislativa dia 05-07-11 por 63 votos (lembre-se que a maioria hoje na ALMG é GOVERNISTA) contra 04 votos de algum servidor sonhador que deve ter competido por competir, mas que em seu íntimo deve ter sonhado em pelo menos por alguns estantes em se tornar um poderoso “CONSELHEIRO”.
MAURI TORRES PASSOU SUPERBONDER NA CADEIRA DE DEPUTADO, POIS DEMOROU A RENUNCIAR, O MOTIVO ERAM AS DIVERGÊNCIAS COM O CONSELHEIRO APOSENTADO NO QUAL ESTARIA TENTANDO MANTER INDICADOS NO TRIBUNAL, OU SEJA, DIVERGÊNCIA POR APADRINHADOS.

COMEÇA ASSIM , DEPOIS CORTA TUDO , IGUAL AO QUINQUÊNIO. ACORDA SERVIDORES PÚBLICO.

UNIFORME DO COLÉGIO TIRADENTES DA POLICIA MILITAR, É BEM PARECIDO COM A FARDA DOS AGENTES PENITENCIÁRIOS


 FONTE  ALEXANDRE-GUERREIRO - Há 6 minutos

*NOVO UNIFORME DO COLÉGIO TIRADENTES DA POLICIA MILITAR - PAIS DE ALUNOS ESTÃO PREOCUPADOS COM A SEGURANÇA DE SEUS FILHOS. A QUEM INTERESSA ESSA MUDANÇA? * O Comando da PMMG, por intermédio da Diretoria de Educação Escolar e Assistência Social (DEEAS), tem envidado esforços para resgatar a identidade do CTPM como escola diferenciada das demais, por estar vinculada aos valores e princípios basilares da ética e da disciplina policial militar. Na busca deste objetivo, uma série de medidas tem sido adotadas para a valorização do profissional da educação e designação de comissão par... mais »

sexta-feira, 5 de abril de 2013


Acusados pelo massacre do Carandiru vão a julgamento após 20 anos da tragédia

Elaine Patricia Cruz e Camila Maciel - Agência Brasil


Sérgio Andrade/Prefeitura São Paulo/Divulgação
Acusados pelo Massacre do Carandiru vão a julgamento mais de 20 anos após a tragédia
Na época, 7.257 presos cumpriam pena no local, 2.706 deles só no Pavilhão 9

SÃO PAULO – Após mais de 20 anos do fato, começa na próxima segunda-feira (8) o julgamento dos acusados pela morte de 111 detentos na Casa de Detenção do Carandiru. O júri popular está marcado para as 9 horas, no Fórum da Barra Funda, na zona oeste de São Paulo. O juiz designado para o caso é José Augusto Nardy Marzagão, da Vara do Júri de Santana.

Devido ao grande número de réus envolvidos, o julgamento será feito em etapas. A previsão é que a primeira dure entre uma e duas semanas. Na primeira fase, 26 réus serão julgados (seriam 28 policiais, mas dois deles já morreram), aos quais são imputadas 15 acusações de homicídio qualificado. Serão julgados, no total, 79 policiais militares.

O maior massacre do sistema penitenciário brasileiro ocorreu no dia 2 de outubro de 1992, quando 111 detentos foram mortos e 87 ficaram feridos durante a invasão policial para reprimir uma rebelião no Pavilhão 9 do Presídio do Carandiru (como afinal ficou conhecida a Casa de Detenção), na capital paulista, já desativado. Três prédios do complexo foram demolidos para construção de um parque. Os outros vão abrigar centros educacionais.

O complexo era formado por sete pavilhões, cada um deles com cinco andares. Na época, 7.257 presos cumpriam pena no local, 2.706 deles só no Pavilhão 9, onde estavam encarcerados os réus primários, aqueles que cumpriam a primeira pena de prisão.

Os réus que estarão sendo julgados agora são os policiais militares que entraram no segundo pavimento do presídio, onde foram mortos 15 detentos. O julgamento dos demais réus ainda não foi marcado, mas prevê-se que ainda haverá mais cinco ou seis blocos de julgamento. A expectativa é que novos julgamentos sejam marcados a cada três meses.

O processo é um dos maiores da Justiça de São Paulo, com 57 volumes de autos principais e mais de 90 apensos, além dos documentos de autos desmembrados, perfazendo um total de mais de 50 mil páginas.

Empresário é condenado a indenizar sargento por ofensas em rádio


Empresário é condenado a indenizar sargento por ofensas em rádio

Hoje em Dia




Um empresário foi condenado a indenizar um sargento que foi alvo de ofensas em um programa da rádio 98 FM em Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri. O fato aconteceu em outubro de 2009, quando Synval Nobre Handare, então presidente do Sindicomercio, participou do programa Encontro Marcado e proferiu, ao vivo, palavras caluniosas e de cunho difamatório contra Valdeci dos Santos.
 
Após o incidente, o militar decidiu entrar na Justiça pedindo uma indenização por danos morais. Ele alegou que as palavras do empresário atingiram diretamente sua honra e abalaram toda a sua família, pois Synval disse frases como “eu acho que a sociedade, o povo, não pode permitir que esse moço fique aqui nessa cidade mais!” e “o que ele está fazendo aqui? Será que ele não tem filho, não tem família que ele sabe que vai precisar trabalhar no comércio?”. Ainda segundo as alegações do sargento, o empresário teria insinuado que ele era corrupto.

Policia pode ficar sem premio de produtividade



Amália Goulart - Hoje em Dia


Eugenio Moraes/Hoje em Dia
Estado define metas e prioriza segurança, educação e saúde
ENCONTRO – Anastasia definiu metas com os secretários

O governo estadual irá priorizar, nos próximos dois anos, investimentos em segurança pública, infraestrutura, saúde e educação. Na última quinta-feira (4), o governador Antonio Anastasia (PSDB) definiu, junto aos secretários, metas de atuação para este ano. Todos os servidores estão sujeitos ao cumprimento das ações sob pena de não receberem o prêmio de produtividade, pago anualmente pelo Estado. 
Para 2013, os funcionários terão que cumprir no mínimo 80% das metas. O percentual era de 60%. Neste ano, o governo pagou R$ 400 milhões em prêmio de produtividade, referente ao exercício do ano passado. “Ele é como se fosse um décimo quarto salário”, disse a secretária de Planejamento, Renata Vilhena.
 
Entre os objetivos acertados está a redução do índice de homicídios, melhoras nos dados da educação e aumento das exportações. Em 2012, foram registrados 19,1 homicídios por 100 mil habitantes. A equipe da secretaria de Defesa Social terá que alcançar a meta de 18,7. Outra meta traçada é o aumento do percentual das moradias da Região Metropolitana com esgoto sanitário, hoje em 62,5%. O índice terá que chegar a 67,9%. Na educação, uma das prioridades é o crescimento do número de alunos do 3º ano do ensino médio no nível recomendável de proficiência em matemática. O índice terá que saltar dos atuais 3,7% para 3,8%.
 
Segundo Vilhena, todos os passos do governo são tomados levando em conta fatores como a crise econômica mundial.

CIDADES
PF ainda não se pronunciou sobre possível envolvimento de policiais em tráfico de drogas sintéticas
Esquema foi revelado nessa quinta-feira, após seis meses de investigações
05/04/2013 13h34
Avalie esta notícia » 
2
4
6
8
MÁBILA SOARES / RICARDO VASCONCELOS
Siga em: twitter.com/OTEMPOonline
FOTO: FOTO: PAULA HUVEN
Drogas vinham de Foz do Iguaçu (PR)
A Polícia Federal em Minas Gerais ainda não se pronunciou sobre o possível envolvimento de agentes federais em um esquema de tráfico de drogas sintéticas, que abasteciam festas raves em Belo Horizonte. Em nota encaminhada à imprensa, nesta sexta-feira (5), a  Superintendência afirma que vai aguardar uma comunicação oficial da Polícia Civil. O esquema foi revelado nessa quinta-feira (4), após seis meses de investigações do Grupo de Combate a Organizações Criminosas da Polícia Civil.
Segundo a corporação, drogas sintéticas, como anfetaminas, anabolizantes, sibutramina e outros inibidores de apetite com origem em Foz do Iguaçu (PR)

Crimes contra o patrimônio crescem, e Estado faz alerta

Adriana FagundesemQLO - Há 5 horas
Em março, média diária de roubos e outras ocorrências foi de 9,2; no mesmo período de 2012, índice foi de 6,9 Publicado no OTEMPO Betim em 05/04/2013 Um ofício encaminhado pelo secretário de Estado de Defesa Social, Rômulo de Carvalho Ferraz, há duas semanas, para o comando geral das Polícias Civil e Militar, revela que Betim é a quarta cidade mais violenta de Minas Gerais quando o assunto é crimes violentos contra o patrimônio, perdendo apenas para Belo Horizonte, Contagem e Uberlândia. No documento, ao qual O Tempo Betim teve acesso com exclusividade, nesta semana, Ferraz expli... mais »

PP SERÁ PAGO SOMENTE SE A META FOR ACIMA DE 80%

Renata Pimentaem. - Há 5 horas
Estado define metas e prioriza segurança, educação e saúde Amália Goulart - Hoje em Dia ENCONTRO – Anastasia definiu metas com os secretários O governo estadual irá priorizar, nos próximos dois anos, investimentos em segurança pública, infraestrutura, saúde e educação. Na última quinta-feira (4), o governador Antonio Anastasia (PSDB) definiu, junto aos secretários, metas de atuação para este ano. Todos os servidores estão sujeitos ao cumprimento das ações sob pena de não receberem o prêmio de produtividade, pago anualmente pelo Estado. *Para 2013, os funcionários terã... mais »

quinta-feira, 4 de abril de 2013

DISCORDO, FALTOU FOI DESCER O XICO DOCE, NOS PILA.

Assisti o programa Redação Sport TV, e o apresentador André Rizek criticou muito a Polícia Militar de MG. 
Ele falou que a Polícia de MG está mal preparada e que não fez a sua função que é de aparta a confusão e não de colocar mais lenha na confusão.
Eu descordo dele pois a PM MG, foi proteger o árbitro de sofrer agressões dos jogadores ai os jogadores do Arsenal de Sarandí foram para cima agredindo a PM inclusive a Coronel e Comandante Geral da PM de MG levou um pisão no peito e um tapa na cabeça dos jogadores.
A Polícia quando é agredida ela está com todo direito de usar a força pois uma instituição que é uma autoridade jamais pode ser agredida e eu acho que a PM foi até calma demais pois se fosse PM de outros lugares do Brasil e do Mundo os jogadores do Arsenal seriam parados com uma força mais enérgica do que a PM de MG e agora a imprensa de São Paulo e Rio de Janeiro estão criticando a PM de MG.
Acho que eles queriam ver a Polícia apanhando dos argentinos pois a inveja de MG ser um estado bem mais organizado que RJ e SP qualquer coisa é motivo para criticar o estado de Minas Gerais.
Essa é a imprensa do Eixo do mal de Rio e São Paulo, totalmente tendenciosa e alienadora.

http://www.facebook.com/photo.php?fbid=289569487843783&set=a.180436905423709.41905.180426225424777&type=1&theater



Após reagir a assalto, agente prisional mata um dos acusados no Novo Gama

Um agente prisional foi rendido por dois homens acusados de sequestro na tarde desta quarta-feira (3) no Novo Gama, região do Entorno do DF. Armados, eles mandaram a vítima passar para o banco de trás do veículo.

FOTOS ENGRAÇADAS.

CARTA AO SISTEMA PRISIONAL .






                      
                         ONDE NASCERAM  AS PIORES   FACÇÕES  ("ORGANIZADAS") DO BRASIL???

Terceiro Comando  • Amigos dos Amigos  • Terceiro Comando Puro  • Terceiro Comando Jovem  • Comando Vermelho Jovem  • Primeiro Comando Jovem-PCC – Primeiro Comando da Capital, CV  Comando Vermelho, CRBC  Comando Revolucionário Brasileiro da Criminalidade, CDL  omando Democrático da Liberdade, ADA  Amigos dos Amigos, A Verdade Justiça Infernal ou Seita Satânica, CDD  Comando Dragão Dourado, PCI  Primeiro Comando do Interior, o PCABC  Primeiro Comando do ABC, TCP  Terceiro Comando Paulista, CVC  Comando Vermelho da Capital, CVJC  Comando Vermelho Jovem da Criminalidade.

PASMEM-SE, NÃO  NASCERAM  NAS FAVELAS ! NEM NOS MORROS OU NAS BOCAS DE FUMO, ELAS  NASCERAM DENTRO DOS PRESÍDIOS DO NOSSO  PAÍS, E É ONDE ESTÃO OS  QG'S DO CRIME ORGANIZADO.
                                        
http://pt.wikipedia.org/wiki/Comando_Vermelho,

Facções Criminosas em São Paulo


Facções Criminosas em São Paulo

PCC – Primeiro Comando da Capital, CV – Comando Vermelho, CRBC – Comando Revolucionário Brasileiro da Criminalidade, CDL – Comando Democrático da Liberdade, ADA – Amigos dos Amigos, A Verdade Justiça Infernal ou Seita Satânica, CDD – Comando Dragão Dourado, PCI – Primeiro Comando do Interior, o PCABC – Primeiro Comando do ABC, TCP – Terceiro Comando Paulista, CVC – Comando Vermelho da Capital, CVJC – Comando Vermelho Jovem da Criminalidade.
O Contexto do Sistema Penitenciário Paulista: guerra declarada entre as facções criminosas.
Para desarticular o grupo Falange Vermelha, formado no Rio de Janeiro, no Presídio de Ilha Grande, foi feita a transferência de seus líderes para outras penitenciárias. Com o passar do tempo o grupo passou a ser conhecido como Comando Vermelho, o qual não era uma organização, mas um comportamento contra as arbitrariedades do sistema.
Atualmente as organizações criminosas dedicam-se ao tráfico de drogas e outras práticas criminosas dentro da prisão, contando do lado externo com redes mais ou menos estruturadas de proteção e geração de fundos. Possuem regras de convivência que, caso descumpridas, podem gerar, inclusive, a pena de morte.
A diferença entre as facções deixam de existir quando o assunto é o PCC: todas se colocam em oposição a ele.
O CRBC expõe, no art. 7º do seu Estatuto que: onde quer que o CRBC estiver, não poderão existir integrantes do PCC, pois os mesmos através da ganância, extorsão, covardia, despreparo, incapacidade mental, desrespeito aos visitantes, estupro de visitantes, guerras dentro de seus próprios domínios, vem colaborando para a vergonhosa coatização do aparato penal do Estado de São Paulo.

As Facções Criminosas Paulistas: “olho por olho, dente por dente”
Serpente Negras / Comissão de Solidariedade: em plena ditadura militar os presos faziam suas reivindicações através de: a) greve de fome coletiva, b) silêncio total, c) não fazer a barba e nem comparecer quando era pela administração requisitado.
Lutavam pelos seguintes benefícios: a) visitas íntimas, b) liberação de rádio, tv, cartas e fotos, c) atendimento hospitalar.
Em 1984 a Comissão recebe o apelido de Serpente Negra pela imprensa.
A comissão acabou definitivamente por traição de um de seus integrantes que posteriormente foi assassinado na Penitenciária do Estado.
 O PCC organizou-se a partir de 1993. Foi fundado  no dia 31 de agosto de 1993, no Interior da Casa de Custódia e Tratamento de Taubaté. Começou a se articular a partir de 1992, como conseqüência do Massacre do Carandiru.
Participaram de sua fundação Mizael Aparecido da Silva (Miza), José Márcio Felício (Geleião), Marcos William Herbas Camacho (Marcola), José Eduardo Moura da Silva (Bandejão), César Augusto Roriz Silva (Césinha), Bicho Feio, DA Fé, e Cara Gorda. Coloca como seu objetivo: mudar a prática carcerária desumana, cheia de injustiças opressão, torturas, massacres nas prisões.
Tal objetivo foi distorcido, o PCC passou a liderar o tráfico e a obter lucro com a extorsão. Segundo os detentos os integrantes do PCC matam por ouço, cortam a orelha das pessoas por pouquíssimo, por nada estupram visitas, obrigam as famílias dos presos a trazer drogas, e impedem fugas, separam a alimentação, ficando sempre com a melhor parte.
O PCC cobra a contribuição daqueles que estão em liberdade com os irmãos dentro da prisão através de advogados, dinheiro, ajuda aos familiares e ação de resgate.
Sete anos após a formação do PCC, os momentos que antecedem a mega-rebelião comandada por esse no Estado de São Paulo, já demonstravam um clima de tensão. A sigla PCC passa a ser símbolo de violência e opressão. Suas atividades foram expandidas para além dos muros das prisões. Além do poder exercido internamente, ele detém uma rede de proteção externa, rede responsável por assaltos, resgates, e atentados a órgãos públicos.
No ano de 2000, a guerra do PCC com os das demais facções já era evidente e com a Seita Satânica já vinha acontecendo pelo menos desde 1998. É neste ano que a mídia passa a denunciar o que vinha acontecendo no sistema prisional.
No dia 14/11/2000, um do líderes do PCC, conhecido como Seqüestro, foi enforcado na Casa de Detenção, em São Paulo. Seu julgamento durou sete horas, ele foi condenado à morte sob a acusação de ter desviado dinheiro da maior organização criminosa que disputa o controle dos presídios paulistas.
Em dezembro de 2000, integrantes do PCC e da Seita Satânica unem-se para protestar em represália Às mudanças anunciadas pela Secretaria da Administração Penitenciária, porque desde o início das investigações da CPI do Narcotráfico, presidiários que receberam benefícios da justiça para cumprir a pena em regime semi-aberto tiveram o pedido negado. Houve a fuga de 35 presos.
Depois desse episódio, integrantes do PCC invadem o pavilhão 9 e expulsam membros da Seita Satânica.
A pressão funcionou e o Secretário da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo reuniu-se com líderes do PCC pedindo para que não houvesse motins e acatou algumas de suas reivindicações. Ficou decido que em troca do fim das rebeliões, o Estado garantiria que 50 presos da Detenção sairiam para o regime semi-aberto, que as compras de produtos alimentícios voltariam acontecer, e seus principais líderes seriam remanejados para outros presídios do Interior. A maior rebelião da história do País aconteceu porque o trato não foi cumprido – No dia 18 de fevereiro de 2001 vinte e nove rebeliões foram deflagradas simultaneamente no Estado de São Paulo.
O sinal para o início das rebeliões começou com tiros para o alto e um toque de sirene dados pelos integrantes do PCC presos no Carandiru. No interior os motins foram acontecendo quase que no mesmo horário, aproveitando-se o horário das visitas. O saldo foi mais de 17 presos mortos, o Estado admite a existência do PCC e passa a ser ameaçado por este. Entre suas reivindicações: fim dos espancamentos nos presídios, mais agilidade na tramitação dos processos para evitar que presos com penas vencidas continuem detidos, remoção de diretores de alguns estabelecimentos penais que estariam utilizando métodos de tortura e violência, acesso à Corregedoria da Secretaria de Adminstração Penitenciária, e fim das humilhações que seriam feitas aos parentes de presos durante as visitas.
Dois dias depois da rebelião simultânea, integrantes do PCC se reuniram na Detenção, batizaram novos filiados, e decidiram condenar à morte os líderes do partido que comandaram o motim em série nos presídios do Estado. A liderança foi acusada de desrespeitar o estatuto da organização. Um dos erros foi promover a rebelião em pleno domingo, dia de visitas. As outras ações imperdoáveis foram matar e agredir detentos na frente das visitas. As outras ações imperdoáveis foram matar e agredir detentos na frente das visitas e não acabar com a extorsão dentro e fora do sistema prisional.
O grupo também passa a praticar atividades assistencialistas, pretende fundar ONGs e financiar campanhas políticas.
O PCC também montou sofisticado esquema de comunicação, com a ajuda de um técnico em telefonia da Vésper, e criou centrais telefônicas operadas, 24 horas, por pessoas de confiança. Os detentos telefonavam e uma central transferia as ligações para outro celular em qualquer parte do País.