A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

BLOG ALFA PAPA MG .A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

sábado, 19 de novembro de 2011


UECE DIVULGA RELAÇÃO DE APROVADOS NO CONCURSO PARA AGENTE PENITENCIÁRIO, VEJAM


A Universidade Estadual do Ceará (UECE) divulgou na última Quinta-Feira (17) o resultado individual do concurso para Agente Penitenciário do estado do Ceará através da grade definitiva de respostas. O espaço continha o cartão-resposta de cada candidato, sua situação (APTO ou INAPTO à inspeção médica) e o gabarito definitivo - ao todo, 7 (sete) questões foram anuladas.


Já nesta Sexta-Feira (18) foi divulgada a relação de candidatos habilitados a inspeção de Saúde, 2ª fase do certame e a situação dos que não foram convocados. Em documento disponível no site, consta o número total de inscritos, 19.778 do sexo masculino e 5.984 do sexo feminino. Em Fortaleza (e RMF), região com maior número de concorrentes por vaga, 1.121 homens e 284 mulheres foram aprovados. Para o litoral Oeste, região que compreende Camocim, apenas 61 pessoas ao todo realizarão a próxima etapa.


O concurso visa o preenchimento de 800 vagas para o cargo de agente penitenciário. O salário pode chegar a quase R$ 2mil.

VEJA AQUI A RELAÇÃO DE CANDIDATOS HABILITADOS À PRÓXIMA FASE DO CONCURSO




Menino de oito anos fica milionário com loja virtual de bolinhas de gude

Garoto londrino pediu permissão para iniciar seu próprio negócio e, agora, tem clientes no mundo todo
19 de Novembro de 2011 | 17:40h




in


Mail Online
Menino milionário
Um menino de oito anos se tornou milionário ao abrir seu próprio negócio na internet, segundo informações do site Mail Online. Harli Jordean, morador de Londres, criou um site de vendas de bolinhas de gude que tem dado a ele e sua família milhares de libras por ano.

O garoto prodígio decidiu começar o negócio quando algumas crianças mais velhas roubaram sua coleção de bolinhas de gude. Ele pediu para sua mãe lhe comprar mais bolinhas na internet, porém, os dois perceberam que não existiam muitos sites com este tipo de produto à venda. O garoto, então, pediu permissão para iniciar seu próprio negócio. Poucos meses depois, Harli já tinha um grande volume de pedidos e estava cuidando de tudo sozinho.

Jordean aprendeu a lidar com fornecedores, pedidos e entregas logo cedo, pois o site começou a receber pedidos de diversos lugares do mundo. O pequeno empresário obteve tanto sucesso que precisou empregar sua mãe e os dois irmãos para conseguir atender a demanda de vendas do site. "Eu gosto de ser o chefe, mas gosto quando outras pessoas se envolvem no trabalho. Assim, se algo der errado não será tudo minha culpa", conta.

Segundo Tina, a mãe do menino, Harli agora quer produzir suas próprias bolinhas de gude na China para vender para lojas do mundo todo. "Ele é muito ambicioso e determinado. Algumas vezes suas ideias são tão grandiosas que nós temos que intervir. O sonho dele é ter a maior loja de bolinhas de gude do mundo",  completou.

Para conhecer a loja virtual de bolinha de gude de Jordean, clique aqui.



Engavetamento com 52 carros mata 3 e fere 30 na Alemanha
19/11/2011 10h46
Avalie esta notícia » 
DA REDAÇÃO
Siga em: twitter.com/OTEMPOonline
  • Notícia
  • Comentários(0)
  • Compartilhe
  • Mais notícias
A
A
FOTO: ASSOCIATED PRESS
Um engavetamento envolvendo 52 carros deixou 3 mortos e pelo menos 30 feridos em uma estrada na Alemanha na madrugada deste sábado. De acordo com autoridades locais, os veículos trafegavam em uma velocidade superior a 130 km/h quando um dos motoristas perdeu o controle da direção. Ao rodar na pista, ele acabou envolvendo os vários veículos que trafegavam nas quatro faixas no momento.
Pelo menos 4 vítimas estão internadas em estado grave. O trânsito ficou interditado na rodovia por mais de sete horas.

VICIO DE DROGA DE PAIS, PASSAM PARA FILHOS ,E INDUZEM OS FILHOS USAREM

Com arma em punho, PM causa confusão para liberar filho de blitz - 14/11/11



fonte SINDGUARDAS 

Preso mandava matar.

RICARDO VASCONCELOS
ricardo.vasconcelos@supernoticia.com.br

Condenado a 11 anos de prisão por tráfico de drogas, um preso foi beneficiado pelo regime semi-aberto, na penitenciária José Maria Alkmim, em Ribeirão das Neves, região metropolitana de Belo Horizonte. Com a medida, Adão Baltazar de Carvalho Rocha, de 27 anos, aproveitava o período fora das grades, para comandar negócios ligados ao tráfico de drogas e ser o mandante de pelo menos cinco assassinatos. É o que aponta uma investigação da Polícia Civil, que prendeu o suspeito ontem.

Conforme um policial, que não quis se identificar, Adão seria de uma facção criminosa com atuação na Pedreira Padre Lopes, na região Nordeste da capital. "Ele, inclusive, seria um rival do Roni Peixoto, o braço direito em Minas do traficante Fernandinho Beira-Mar", revelou o policial. Devido a disputas por causa do tráfico de drogas, Adão teria mandado matar duas pessoas no dia 2 do mês passado. Dois dias depois, mais três pessoas foram mortas. Os executores do crime também foram presos ontem e identificados como Rafael, o "bazuca", e Felipe, o "Lie", ambos de 24 anos. Eles foram levados para o Centro de Remanejamento de Presos (Ceresp) São Cristovão, na região Nordeste.

Adão também foi transferido para José Maria Alkmim.

Fonte: http://www.otempo.com.br

QUATRO REVÓLVERES SÃO APREENDIDOS NO IPPOO I

Além das armas de fogo, drogas, ´cossocos´, cachaça e aparelhos celulares foram encontrados na unidade

Em uma vistoria ´surpresa´ realizada, na tarde de ontem, no Instituto Presídio Professor Olavo Oliveira I (IPPOO I) policiais militares do Batalhão de Polícia de Choque encontraram 492 objetos proibidos no interior da unidade prisional. O número remete às condições de instalações do prédio - em muitos dos compartimentos não existem sequer grades - e a quantidade insuficiente de policias para fazer a segurança.

Entre os objetos apreendidos foram encontrados, quatro revólveres calibre 38, alguns com a numeração raspada; 42 munições de calibre 38; 108 aparelhos celular; 54 baterias para celulares; 54 chips; 64 carregadores; um litro de Campari; dois litros de whisky; cinco litros de cachaça; 60 cossocos; três balanças artesanais; 12 pedras de crack; 12 cachimbos para consumo de crack; 53 comprimidos psicotrópicos; aproximadamente 50 gramas de cocaína; dois tubos com pó branco, que ainda será analisado; um simulacro - cópia de revólver.

A operação foi realizada por 43 Policias do Batalhão de Choque, sob o comando do capitão PM Antônio Cavalcante. Destes, nove são destacados no Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), 12 no Comando Tático Motorizado (Cotam), quatro no Comando de Operações Tática Regional (Cotar), 10 no Controle de Distúrbios Civis (CDC) e os oito restante no Ronda Ostensiva com Cães (Roca-Canil).

Ultrapassada
O IPPOO I, no bairro Itaperi, abriga atualmente cerca de 700 presos, numa estrutura totalmente ultrapassada, que já não condiz com as facilidades que as tecnologias proporcionam para a fuga dos detentos. Um novo presídio está sendo construído para que estes 700 custodiados, sejam remanejados.

As fugas, motins e morte são constante ali. No momento em que a reportagem estava no local, outro detento tentou fugir, mas foi detido por PMs do BPChoque. No fim da noite de ontem, os detentos se rebelaram com a vistoria na unidade e atearam fogos em colchões. Reforço policial foi acionado para conter o tumulto.

Fonte: 
Blog da Força Tática


L

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Agente morto após 18 dias de internação será sepultado amanhã




A Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), divulgou nota de pesar pelo falecimento do agente penitenciário Hudson Moura da Silva, 34 anos. Ele morreu na manhã de hoje (18), por volta das 06 horas no Hospital El Kadri em Campo Grande.
Ele foi vítima de tentativa de homicídio no dia (31) de outubro no portão do Estabelecimento Penal de Regime Aberto Casa do Albergado que fica na Vila Sibrinho. Hudson foi alvejado por dois tiros de pistola ponto 40 ao abrir o portão da unidade para liberação de internos para o trabalho. Hudson era casado e tinha três filhas.
Conforme a nota da Agepen, ele deixa registrado na história sua contribuição profissional com dignidade e competência. Os servidores da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário estão dispensados do ponto para prestar as homenagens fúnebres.
O velório está previsto para começar às 16 horas nesta sexta-feira, dia 18, no Cemitério Memorial Park , localizado na Avenida Filinto Muller, próximo da Universidade Federal, Campo Grande (atrás do Cemitério Parque das Primaveras). O sepultamento do corpo do oficial penitenciário Hudson Moura da Silva está previsto para ocorrer amanhã (19), às 9h30 da manhã.
ESTAMOS JUNTOS EM BUSCA DE UM SÓ IDEAL, A UNIÃO DOS AGENTES PENITÊNCIÁRIOS...

FAMÍLIA DUVIDA QUE EX-DIRETOR DE PRESÍDIO TENHA SE MATADO

Fonte site da ALMG



Apesar das explicações técnicas do perito e do delegado responsável pela apuração das circunstâncias da morte do ex-diretor-geral do presídio de Lagoa Santa, Diovane Cardoso Ribeiro, familiares da vítima não acreditam na hipótese de suicídio apontada pelo relatório. O assunto foi discutido em audiência pública realizada nesta sexta-feira (18/11/11) pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, atendendo a requerimento dos deputados Durval Ângelo (PT), presidente da comissão, e Paulo Lamac (PT), vice.
O ex-diretor foi encontrado morto com um tiro na cabeça em seu carro no dia 9/6/10, no bairro Frimisa, em Santa Luzia (Região Metropolitana de Belo Horizonte - RMBH). A perícia concluiu que ele se matou. O laboratório do Instituto Médico Legal (IML) relatou que no corpo foram encontradas cocaína, lidocaína e cafeína. Mas a família acha que tudo não passa de uma armação.
O deputado Paulo Lamac expressou a indignação dos familiares pedindo esclarecimentos sobre os motivos que levariam Diovane a se matar. De acordo com o pai do ex-diretor, seu filho vivia o melhor momento da vida, com uma filha de três meses e meio e feliz profissionalmente. Na véspera de sua morte, ele passou num shopping center e comprou um presente para a esposa, mas não chegou a entregá-lo. O pacote foi encontrado no porta-malas do carro.
Uma vizinha e a irmã de Diovane, Mariana Cardoso Ribeiro, se disseram indignadas com a informação de que o ex-diretor era usuário de drogas. Mas o diretor do IML, José Mauro, foi categórico. A cocaína encontrada no corpo de Diovane deixa claro que ele havia consumido a droga entre 12 e 24 horas antes de sua morte. A forma como a cocaína entrou em seu corpo é que não pode ser explicada, disse José Mauro.
Perito tenta esclarecer dúvidas de advogado da família
O perito responsável pelo caso, André Gomes, mostrou fotos do cadáver e respondeu aos questionamentos do advogado da família, Rodrigo Bravim Brandão. Um deles foi em relação ao isolamento da cena do episódio. Gomes esclareceu que, apesar de mais de 50 viaturas da polícia terem chegado ao local, o carro onde o corpo de Diovane estava não foi mexido por ninguém. Ele explicou que o vidro lateral esquerdo traseiro foi quebrado pela própria perícia para que os trabalhos pudessem ser feitos antes de o dia escurecer e mostrou que, pela trajetória da bala e pelos respingos de sangue encontrados no carro, a conclusão foi de que o ex-diretor estava sozinho no veículo.
O advogado Rodrigo Brandão sustentou que Diovane tinha inimigos, inclusive na sua antiga comarca, São João Del-Rei. Além disso, poucos meses antes de sua morte, ele prendeu um agente penitenciário flagrado vendendo drogas no presídio de Lagoa Santa. Mas o delegado responsável pelo caso, Christiano Augusto Xavier Ferreira, disse que as investigações descartaram qualquer possibilidade de esse agente ter encomendado a morte de Diovane, pois ficou isolado em uma cela em Ribeirão das Neves. Ferreira acrescentou que rastreou os telefones de todos os contatos do ex-diretor, inclusive de três ex-amantes, e que nenhum deles esteve próximo ao local onde a vítima foi encontrada.
O presidente da comissão, deputado Durval Ângelo, questionou se a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) estava prestando assistência adequada à família. O superintendente da Subsecretaria de Administração Penitenciária (Suape), André Luiz Teixeira Mourão, garantiu que o órgão está oferecendo todo o apoio psicológico, mas familiares negaram que isso esteja acontecendo.
Durval afirmou que a comissão vai continuar acompanhando o caso, pois algumas dúvidas ainda precisam ser sanadas. Uma delas diz respeito à falta de informações sobre onde Diovane esteve entre 17h30 da véspera de sua morte até a manhã seguinte, quando levou o tiro fatal. Paulo Lamac insistiu nesses esclarecimentos para que a família possa ter paz.
Requerimentos - Foram aprovados três requerimentos durante a reunião. Dois, do deputado Durval Ângelo, solicitam audiências públicas para discutir, respectivamente, as políticas de proteção e a garantia dos direitos fundamentais das pessoas idosas; e o processo de instalação das Associações de Proteção e Assistência ao Condenado (Apacs) nos municípios de Ipatinga, Timóteo e Coronel Fabriciano. E um do deputado Paulo Lamac, pedindo uma audiência pública para discutir as possíveis consequências da decisão unânime da Diretoria e do Conselho Pleno da Seccional Mineira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MG), de recomendar aos advogados a não aceitação de nomeações como defensor dativo, sob o argumento de absoluta falta de perspectiva de pagamento pelo Estado de Minas Gerais.

Combate ao fogo com ajuda de presos mineiros

Escalar detentos para atuar como brigadistas é uma das alternativas em estudo para reduzir incêndios florestais


MARCELO PRATES/ARQUIVO
INCÊNDIO NA SERRA DO ROLA MOÇO
Serra do Rola Moça teve 40% de sua reserva comprometida pelo fogo em 2011


A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) quer escalar detentos para atuar como brigadistas em incêndios florestais nas Unidades de Conservação (UC) de Minas Gerais. A medida faz parte de um pacote de ações de curto, médio e longo prazos elaborado pela Semad para a prevenção e o combate às queimadas.

Neste ano, foram registrados 409 incêndios e as chamas destruíram quase 60 mil hectares de áreas verdes no Estado, sendo 40 mil no interior das unidades de conservação e outros 18 mil no entorno. Os danos ficam atrás apenas do registrado em 2007, quando 62 mil hectares viraram cinzas.

As propostas para evitar que a natureza seja destruída foram apresentadas durante o workshop “Prevenção e Combate a Incêndios Florestais”, realizado nesta sexta-feira (18) em Belo Horizonte. Os temas foram debatidos com os integrantes da Força-Tarefa Previncêndio, que reúne o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar, a Defesa Civil, o Ministério Público Estadual e ONGs. Durante o evento, foi apresentado o balanço das queimadas em Minas. O levantamento mostrou que a Serra do Rola Moça teve 40% de sua reserva comprometida pelo fogo – e não 80%, como o Corpo de Bombeiros divulgou na época.

As ações imediatas fazem parte do Plano Operacional de Ação, Prevenção e Combate a Incêndios Florestais 2012. O estudo prevê melhoria na capacitação e ampliação do quadro de brigadistas, dobrando o contingente, que hoje é de cerca de 3.500 pessoas.

Investimentos em equipamentos de combate ao fogo e de segurança, além de melhores condições de trabalho para os voluntários, também estão previstos. Os materiais devem ser adquiridos até abril. A pasta terá recursos de R$ 13 milhões para o próximo ano.

Ações de educação também integram o plano da Semad. Campanhas educativas serão feitas junto à população que vive no entorno das unidades de conservação. Para esclarecer as origens das queimadas, a Polícia Civil vai treinar os agentes das UCs para preservar provas que possam levar aos culpados. Em setembro e outubro, período que concentra 70% das ocorrências, haverá reforço de fiscalização e vigilância.

“É um pacote de medidas para fechar o cerco aos incêndios florestais. Este ano, as queimadas superaram a média dos últimos oito anos, que é de 30 mil hectares”, diz Marília Melo, subsecretária de Controle e Fiscalização Ambiental Integrada da Semad.

O Planejamento Estratégico, que será executado a médio e longo prazos, tem entre as medidas uma revisão no decreto que criou a Força-Tarefa do Previncêndio, com a ampliação do número de participantes. Também será elaborado um plano estadual envolvendo cada município nas ações de combate ao fogo. A ideia de escalar detentos como brigadistas, experiência usada em Ouro Preto, será discutida com a Secretaria de Estado de Defesa Social.

Celulares são jogados como petecas para dentro de presídio

Aparelhos embrulhados com espuma 

e fita adesiva foram apreendidos pela polícia


Uma nova forma de entrar com celulares na Penitenciária de Araraquara é investigada pela Polícia Civil. Embrulhados com borrachas de câmara de ar, espuma e fita adesiva, as chamadas “petecas do crime” são arremessadas aos presos por cima do muro, que tem aproximadamente dez metros de altura.

Como o revestimento amortece a queda, os celulares chegam intactos aos detentos, que os utilizam para falar com familiares e, principalmente, manter suas atividades criminosas.

 
“É tipo uma peteca criminosa. Eles jogam e a almofada não estraga o objeto”, afirma o delegado Arnaldo Davoglio Filho.



A polícia não soube informar quantos celulares foram apreendidos, mas três casos já foram registrados em Araraquara. No primeiro, em 29 de outubro, dois homens vestidos de preto foram vistos por um agente penitenciário. Um deles aproximou-se do muro e arremessou o pacote, que tinha cinco celulares embrulhados.

O produto, segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), foi encontrado pelos policiais e sequer chegou aos presos.

O segundo caso aconteceu no Centro de Ressocialização Masculino da cidade, quando dois homens passaram com uma moto e jogaram um celular embrulhado sobre o muro. O episódio mais recente aconteceu na quinta-feira (17), quando três celulares foram apreendidos pela polícia.


 

O problema é antigo e nem o alambrado, que serviria para dificultar ações como essa, inibe os infratores. De acordo com um ex-detento, que não quis se identificar, os telefones existem no presido há muito tempo. São comprados e ficam bem escondidos dos agentes nas celas e pátios.

“Está cheio de celular dentro da penitenciária. Para entrar com aparelho lá dentro, fica em torno de R$ 2 mil a R$ 3 mil”, disse.

Soluções

Titular do 1º Distrito Policial de Araraquara, o delegado Arnaldo Davóglio Filho investiga o caso. “Vamos encontrar quem é o preso que está se beneficiando disso e o autor, o petequeiro”, afirma.

O Sindicato dos Agentes Penitenciários pediu alterações no presídio para reduzir o arremesso das “petecas”. Segundo o secretário-geral João Alfredo Oliveira, a proposta é aumentar a distância entre a muralha e o pátio usado pelos detentos.

“A área de segurança das penitenciárias é muito reduzida. Da forma que está hoje, é muito prático o transeunte chegar próximo à muralha e arremessar para dentro. O governo precisa também investir em tecnologia para eliminar o uso do aparelho dentro da unidade”, criticou.

SAP

A secretaria disse que foi instaurado um procedimento para apurar o caso. Quem for flagrado com aparelhos, segundo a secretaria, será punido.

Agentes penitenciários passam por curso de escolta armada

Agentes penitenciários passam por curso de escolta armadaAmpliar Imagem
A Secretária de Justiça e Cidadania do Estado de Santa Catarina, através da Academina de Justiça e Cidadania formou entre os dias 7 a 11 de novembro a primeira turma de agentes penitenciários do Sul do Estado para a realização de escoltas armadas.
Objetivo é capacitar os agentes penitenciários para realizarem esses serviços liberando o efetivo da Polícia Militar para um policiamento ostensivo nas ruas. 
O curso de escolta será oferecido em todo o Estado.

Detentos cerram grades e tentam fugir da Máxima

Agente penitenciário flagrou uma tentativa de fuga de onze detentos do Presídio de Segurança Máxima Jair Ferreira de Carvalho, no Jardim Noroeste, em Campo Grande. A ocorrência foi registrada na madrugada desse domingo (13).
De acordo com o boletim de ocorrência, o servidor estava de plantão em um corredor, quando viu um interno enrolado em cobertor. Ao verificar o que estava acontecendo, viu uma grade da cela 110 do pavilhão I B cerrada.
Além disso, havia uma escada de lençol jogada para fora da cela.
O agente chamou os detentos e pegou quatro pedaços de serra de 6 a 8 centímetros cada.

PCC criou células de inteligência para matar agentes penitenciários federais Flávio Costa Do UOL, em São Paulo 27/07/2017 - 04h00 Ouvir 0:00...