A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

BLOG ALFA PAPA MG .A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

sábado, 11 de junho de 2011

Marcha emocionante marca saída de bombeiros do quartel de Charitas em RJ

Agentes penitenciários mineiros querem equiparação salarial com policiais civis

Agentes penitenciários mineiros querem equiparação salarial com policiais civis Os profissionais do Sistema Penitenciário Mineiro estão com uma série de reivindicações para negociar com o Governo do Estado. Eles querem equiparação salarial com os policiais civis, aposentaria especial e um plano de carreira mais justo como a contagem do estagio probatório para promoções nos cargos de direção apenas agentes efetivos, melhores condições de trabalho e condições de financiamento de moradia, pois existem muitos agentes que moram em áreas de risco, abertura de mais concursos públicos e função publica para os contratados, cautelar armamento para os agentes penitenciários e coletes a prova de bala. A equiparação salarial com os policiais civis foi prometida pelo governador em outubro de 2010. A segurança externa dos presídios sob a responsabilidade dos agentes penitenciários que antigamente era feita por militares e civis agora e dos agentes penitenciários também como acontece atualmente. Então o reajuste seria ótimo para os agentes penitenciários caso tivesse a isonomia salaria

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Programa Segurança e Cidadania Nº 164

Justiça manda soltar os 439 bombeiros que participaram da manifestação

Justiça manda soltar bombeiros presos no Rio

Justiça manda soltar bombeiros presos no Rio O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) determinou na madrugada desta sexta-feira (10) que os 439 bombeiros presos no Rio sejam soltos. A decisão é do desembargador Cláudio Brandão, plantonista judiciário da madrugada. O habeas corpus foi impetrado pelos deputados federais Alessandro Molon (PT-RJ), Protógenes Queiroz (PC do B-SP) e Doutor Aluízio (PV-RJ). Os parlamentares seguem na manhã desta sexta-feira para o quartel onde os bombeiros estão detidos, no município de Niterói, na Região Metropolitana do Rio, para comunicá-los a decisão

101 vagas para Guarda Municipal em Betim - MG

101 vagas para Guarda Municipal em Betim - MG A Prefeitura Municipal de Betim, Minas Gerais, abrirá inscrições no dia 8 de Agosto para o processo seletivo para a contratação de Guarda Municipal. São 101 vagas para o sexo masculino e cadastro de reserva para o sexo feminino. O salário inicial é de R$ 1.022,64. Para se inscrever basta acessar http://www.dexter.net.br/ e preencher a ficha de inscrição até 8 de Setembro de 2011 às 23h. A taxa é de R$ 35,00 e pode ser paga em qualquer agência bancária. Ao todo são 6 etapas que constitui o processo seletivo. A primeira consiste na prova objetiva com questões de Português, Raciocínio Lógico, Noções em Informática e Conhecimentos em Legislação. Em seguida é a prova de títulos, avaliação física e psicológica. E para finalizar, há a investigação social e exame médico. O concurso é válido até 2 anos, contados a partir da data da homologação do resultado final e pode ser prorrogado. EXIGÊNCIAS •Ser brasileiro, nato ou naturalizado, cidadão português a quem foi deferida a igualdade nas condições previstas pelo Decreto Federal 70.436/1972, ou estrangeiro nos termos da Emenda Constitucional nº 19/1998; •Ter, na data da posse, idade mínima de 18 anos; •Ter estatura mínima de 1,60cm; •Estar em dia com o Serviço Militar, se do sexo masculino; •Ser eleitor e estar quite com a Justiça Eleitoral; •Não ter sofrido, no exercício de função pública, penalidade por prática de atos desabonadores; Publicado em http://www.pciconcursos.com.br/noticias/101-vagas-para-guarda-municipal-em-betim-mg

Supremo Tribunal Federal pode garantir reajustes anuais a todo funcionalismo público

Supremo Tribunal Federal pode garantir reajustes anuais a todo funcionalismo público A notícia está no blog de Josias de Souza: O STF iniciou nesta quinta (9) o julgamento de uma ação que pode resultar na garantia de reajustes anuais para servidores federais, estaduais e municipais. Relator do processo, o ministro Marco Aurélio Mello reconheceu o direito do funcionalismo à reposição das perdas impostas pela inflação. Disse que a correção monetária anual dos contracheques dos servidores públicos está prevista no inciso 10o do artigo 37 da Constituição. A despeito disso, realçou o ministro, estabeleceu-se um “círculo vicioso” nas esferas “federal, estadual e municipal”. No dizer do ministro, os governantes mantêm “os olhos fechados” para o texto constitucional, descumprindo-o.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Greve Policia Civil- MG e agente penitenciario mg - Balanço Geral 08-06-2011.

Assembleia Geral do SINDPOLMG 08-06-2011 - MG Record.

o real aumento em %

o real aumento em % Salário hoje sendo R$ 1.776,97 +10%.................... R$ 1.954,67 +12%.................... R$ 2.189,23 +10%.................... R$ 2.408,15 +15%.................... R$ 2.769,37 +12%.................... R$ 3.101,69 +15%.................... R$ 3.566,94 76% de Aumento Aumento Real de 100,73% O PROBLEMA GALERA É QUE EM 2015 ESSES R$ 3.566,94 NÃO VAI ESTAR VALENDO NEM MESMO OS MÍSEROS R$ 1.776,97. É DE DOER AS VISTAS E O BOLSO. Fonte: Washington Agente

Governo do Rio de Janeiro antecipa reajuste dos bombeiros

Renata Pimenta denuncia em maniifestação da PC que as lideranças do militares trairam os policiais

PMMG TEM CABO E SARGENTO COM TRAIRA DA MANIFESTAÇAO

Caro companheiro, sabe quem aceitou a proposta de reajuste salarial do governo? Com certeza não foram os que compareceram ontem (08/06) à assembleia. Estes não aceitaram, inclusive vaiaram os presidentes das entidades de classe, o Deputado Sargento Rodrigues e o Cabo Júlio, chegando até a chamá-los de traíras. Mas, porém, contudo, entretanto, todavia, quem compareceu à assembleia foi a minoria da tropa. A maioria preferiu a comodidade da inépcia, preferiu a comodidade do banco do sofá. A maioria ficou em casa, calada, e quem cala consente, de modo que tenho que reconhecer que a percepção dos “líderes”, a de que a polícia não iria parar, não iria fazer greve, nem ao menos greve branca, estava correta, e que, dessa forma, a maioria da tropa aceitou (tacitamente) a proposta do governo. Mesmo que o governo continuasse com a proposta original, a dos 7% em dezembro, a tropa não iria parar, pois sequer compareceu em massa à assembleia. Do meu batalhão, por exemplo, compareceram em torno de 10 militares da ativa, número insignificante, irrisório. Diante desse quadro, não posso culpar os “líderes” pelo reajuste insatisfatório (do meu ponto de vista) proposto pelo governo. Como eles disseram, mediante negociação foi esse o percentual máximo que conseguiram e, para alcançar mais, a tropa tinha que adotar uma postura radical, de paralisação, e isso, de fato, não aconteceria. Acho, porém, que os líderes falharam em alguns aspectos. Primeiro, ficaram enrolando os presentes na assembléia, demorando a anunciar o índice proposto pelo governo. Enquanto eles enrolavam a assembléia, minha esposa me ligou e me disse que a Rádio Itatiaia já havia anunciado a nova proposta do governo; ela inclusive me falou que os “líderes” haviam entendido que a proposta era interessante. Ou seja, desde o início da assembleia eles já tinham conhecimento da nova proposta e não foram objetivos; ficaram enrolando, fazendo papéis de animadores de palco, chamando por caravanas, comentado outros assuntos, como PEC 300, greve do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro e outros que não diziam respeito à assembleia. Subestimaram a inteligência dos presentes e foram vaiados. Segundo, quem estava presente queria, ao menos, dar um grito de insatisfação ao governo; queríamos, ao menos, nos juntar aos policiais civis na Praça Sete; mesmo que a proposta fosse aceita, queríamos protestar pela forma como somos tratados pelo governo. No entanto, os “líderes” já vieram decididos que não iriam sair do COPM. Descontentes com a inépcia da “liderança”, as pessoas foram saindo do ginásio, e um grupo considerável se juntou do lado de fora do clube. Sem uma liderança, seguiram a pé em direção à Praça Sete, onde se juntaram aos policiais civis e professores. Essa caminhada em direção à Praça Sete poderia ter sido conduzida pelos “líderes”, contando com a presença de todos que estavam na assembleia. Os presentes, por várias vezes, gritaram: “Rua! Rua! Rua...”. Mas ao que parece a “liderança” já foi decidida a não sair do COPM e, por conseguinte, não tomou a frente. Mesmo que estivesse claro que a tropa não fosse parar, quem estava presente na assembleia queria dar seu grito de indignação com a forma do reajuste e esperava que a “liderança” ao menos lhe possibilitasse isso. Aconteceu que, diante da indignação represada, boa parte dos presentes se voltou contra a “liderança”, que foi vaiada e chamada de traíra. Aconteceu que o Coronel Piccinini encerrou a assembleia com “meia-dúzia” de pessoas dentro do ginásio. Entre os que lá estiveram o comentário geral era de que a dita “liderança” saiu enfraquecida. No meu ponto de vista, este enfraquecimento foi de pequena proporção, pois a maioria da tropa não se fez presente, o que me leva a inferir que está satisfeita. Na minha opinião, tínhamos ao menos que fazer uma caminhada à Praça Sete para demonstrar nossa insatisfação, e eu esperava que fosse conduzida pelos “líderes”. Não foi. O erro foi esse. Bom, dificilmente a forma do parcelamento do reajuste irá mudar. Vamos então fazer conjeturas numéricas. A economista Rita Mundim falou hoje na Rádio Itatiaia que a inflação real deste ano será de 6,8%. Fiz então uma planilha para realizar os cálculos (clique aqui para baixar). Pelas minhas contas (se estiverem corretas), ao final do período teremos sim ganhos reais, mesmo com a inflação, porém, a curto prazo, o aumento real será mínimo. Por exemplo, um soldado em 2011 terá um aumento real, deduzida a inflação, de R$ 65,34, e em 2012 de R$ 116,79. Os reajustes maiores ficaram para os dois últimos anos. Em 2014, o aumento real será de R$ 630,87, e em 2015 de R$ 292,23. Ao final de todo o período, é como se o soldado tivesse um aumento hoje de R$ 1.185,72, passando sua remuneração básica para R$ 3.227,45. O percentual real de aumento, deduzida a inflação, será de 58,07%. Digamos que foi uma PEC 300 mineira parcelada. Alcançamos sim uma vitória, porém a longo prazo. Temos que torcer para que os índices da inflação caiam ou, pelo menos, continuem no mesmo patamar. Poderia ser melhor com a redistribuição das parcelas do reajuste para mais perto, pois como já disse em outra postagem, “estamos com fome”. Se não houver alteração no reajuste, resta-nos controlar nosso orçamento nestes próximos três anos.

GREVE DA PCMG E ASPMG E PROFESSORES NA GLOBO NEWS

REDE RECORD ENTREVISTA CABO FERNANDO E CABO GERSON AMBOS DA RESERVA, PARA SABEREM O SENTIMENTO REAL DA TROPA APÓS A FALSA ASSEMBLÉIA DE ONTEM DIA 08/0

REDE RECORD ENTREVISTA CABO FERNANDO E CABO GERSON AMBOS DA RESERVA, PARA SABEREM O SENTIMENTO REAL DA TROPA APÓS A FALSA ASSEMBLÉIA DE ONTEM DIA 08/06. A ENTREVISTA SE DEU HOJE DIA 09/06 DO LADO DE FORA DO COPM. CABO FERNANDO RASGOU O VERBO

Agente penitenciário é morto a tiros no Rio

101% DE AUMENTO SALARIAL.TRAIRAGEM OU RESPONSABILIDADE?

101% DE AUMENTO SALARIAL.TRAIRAGEM OU RESPONSABILIDADE? Matéria postada no BLOG DO CABO JÚLIO Hoje foi um dia de muita polêmica sobre avaliar se o aumento salarial foi bom ou ruim. Antes de entrar no aumento é preciso algumas análises históricas anteriores: 1997 – piso de R$ 615,00 com o preço da morte do Cabo Valério e 187 expulsos da PM. 1999 – Aumento do piso para R$1.000,00 em três parcelas 1999 – 2000 e 2001 (62% em três anos ) 2001 a 2011 – Dez anos para elevarmos o piso de R$ 1.000,00 a R$ 2.041,00. Mesmo assim depois de mim e o Rodrigues invadirmos o COPOM como forma de protesto e estarmos processados até hoje por isso. 2011 a 2015 – 4 anos para elevarmos o piso de R$ 2.041,00 a R$ 4.098,40. O salário de um SD com 6 quinquênios e adicional trintenário será de R$ 6.967,28. Depois de muita luta conseguimos o que lutamos, o piso de 4 mil reais, porem não no prazo que gostaríamos. Vamos ser verdadeiros e responder com sinceridade as seguintes perguntas: 1 – Se a Assembléia deliberasse por uma greve, quantos batalhões iriam paralisar suas atividades? NENHUM. 2 – Qual classe no Estado teve um aumento como o nosso? NENHUMA. 3 – A capital deve ter aproximadamente 20 mil policiais e bombeiros da ativa, quantos estavam lá? 4 – Os reformados são guerreiros e lutadores, porem é possível fazer uma greve só com eles? 5 – Qual seria a outra opção? Ir para a rua e manifestar, e depois? 6 – Nós pedimos na ultima assembléia para que os colegas não atendessem ocorrências de iniciativa e fizessem “corpo mole” nas atividades. Isso aconteceu? Não, a Polícia esta funcionando normalmente. 7 – Solicitamos na Assembléia para que não multasse ninguém? Isso aconteceu? Não Fomos até o limite possível de guerra, porém é difícil lutar contra as forças poderosas. EU NÃO FIQUEI FELIZ COM O PARCELAMENTO DO AUMENTO, MAS FUI AO MEU LIMITE. ANALISEM E TIREM SUAS CONCLUSÕES.

PARABÉNS À POLÍCIA CIVIL

PARABÉNS À POLÍCIA CIVIL Por demonstrar que VERDADEIRAMENTE tem VERGONHA NA CARA e não se curvaram diante dessa vergonha que é a proposta feita pelo Governo do Estado. Vocês mostraram que dignidade é algo intransigente, não se compra, não se abafa, muito menos se NEGOCIA!

Civil rejeita proposta, PM e Bombeiros chegam a um acordo

Civil rejeita proposta, PM e Bombeiros chegam a um acordo Protestos de três categorias profissionais por melhores salários transformaram o já complicado trânsito do Centro de Belo Horizonte em um verdadeiro caos Renata Evangelista - Repórter (*) EMMANUELPINHEIRO Policiais civis, militares, bombeiros e professores fecharam o trânsito na Praça 7 A quarta-feira (8) em Belo Horizonte foi marcada por manifestações, protestos, impasses e caos no trânsito. Mais de 12 mil policiais civis, militares, delegados, agentes penitenciários e servidores da rede estadual de Educação decidiram fazer assembleias para cobrar aumento de salário e melhoria nas condições de trabalho. Os policiais militares e bombeiros aceitaram a proposta oferecida pelo Governo estadual, mas o impasse entre os policiais civis e delegados continua. Eles rejeitaram a proposta de reajuste de 7% apresentada pelo Governo. Por sua vez, os professores da rede estadual decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. Os servidores da rede estadual, os policiais civis e alguns representantes da PM e dos bombeiros se concentraram na Praça 7 e pararam o trânsito nas principais vias do Centro da capital. Apesar do tumulto e da confusão, não houve uso de força pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar, que acompanhou a manifestação. Impasse Cerca de 3 mil policiais civis, de mais de 40 cidades mineiras, se reuniram na Praça da Liberdade, no Bairro Funcionários, Região Centro-Sul de BH. Eles rejeitaram a proposta de reajuste de 7% apresentada pelo Governo e exigiram a equiparação salarial entre agentes penitenciários, inspetores e peritos, e entre delegados e defensores públicos. Também participaram da assembleia aproximadamente 700 agentes penitenciários. Após recusarem a proposta, os manifestantes desceram a Avenida João Pinheiro e seguiram rumo à Praça 7, no Centro da capital. Acordo Já os policiais militares e bombeiros, que se concentraram no Clube dos Oficiais, no Bairro Prado, Região Oeste de BH, chegaram a um consenso e, após votação tumultuada, decidiram aprovar a proposta de reajuste de 74% ao longo de quatro anos. Mais de 8 mil integrantes da categoria participaram da assembleia. A proposta de reajuste prevê 10% para os militares e bombeiros em outubro deste ano; 12% em outubro de 2012; 10% aplicados em outubro de 2013; 15% em julho de 2014; 12% em dezembro de 2014; e 15% em abril de 2015.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Governo chega a acordo para reajuste dos salários da segurança pública

Governo chega a acordo para reajuste dos salários da segurança pública BELO HORIZONTE (08/06/11) - Como resultado do diálogo com representantes da área de segurança pública e tendo em vista a capacidade financeira do Estado, o Governo de Minas e representantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros chegaram nesta quarta-feira (8) a um acordo para reajustes salariais da categoria para os próximos 5 anos. O primeiro reajuste ocorrerá já em outubro de 2011 e será de 10%. A partir daí, o cronograma de reajustes será o seguinte: Outubro de 2012 - 12% Outubro de 2013 - 10% Julho de 2014 - 15% Dezembro de 2014 - 12% Abril de 2015 - 15% Os reajustes, que estão enquadrados na Lei de Responsabilidade Fiscal, serão extensivos aos setores administrativos das corporações.

reajuste

MAIS UMA DO CMT GERAL!!! Prezado Policial Militar, Cumprindo o compromisso de sempre manter os policiais militares esclarecidos sobre as negociações com o Governo do Estado, comunico que o Excelentíssimo Senhor Governador, após nova avaliação do aumento salarial concedido, decidiu reajustar a primeira parcela de 7% para 10% e antecipar o pagamento da mesma para o mês de outubro de 2011. As demais parcelas ficaram assim: em Out2012: 12%; em Out2013: 10%; em Jun2014: 15%; em Dez2014: 12% e em Abr2015: 15%, totalizando agora 100,73% acumulados no período. Assim, a remuneração inicial do Soldado de 1ª Classe passará para R$ 4.098,42, ao final do período. Trata-se da adoção de uma política salarial sem precedente no passado recente. Como se viu, o Governo do Estado tem mantido o constante diálogo com o Comando, entidades e parlamentares e a disposição clara de continuar investindo na melhoria das condições de trabalho e de qualidade de vida dos militares estaduais. Na oportunidade, enalteço a postura madura e disciplinada dos integrantes da Polícia Militar que continuamente honram o voto de confiança que nos foi depositado pela sociedade. Um abraço

Professores do Rio aderem a greve dos bombeiros e gritam FORA CABRAL

CHAPA DA OPOSIÇAO NA 107 FM PROGRAMA REVISTA GERAL

terça-feira, 7 de junho de 2011

Entrevista da secretária Renata Vilhena - nova política de remuneração do setor de segurança pública

Delegados discutem melhorias nas condições de trabalho

PM Administrador às 18:12 1 comentários Delegados discutem melhorias nas condições de trabalho Cerca de 400 delegados da Polícia Civil de Belo Horizonte e de outros municípios mineiros se reuniram na tarde desta terça-feira (7), na sede do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de Minas Gerais (Sindepominas), na Rua Guajajaras, para discutir a proposta de aumento salarial oferecida pelo Estado e melhorias nas condições de trabalho. Após o encontro, eles se deslocaram para a Assembleia Legislativa da capital, onde pretendem discutir as reivindicações com alguns deputados que estiverem presentes na casa. Os delegados reivindicam subsídios diferenciados em seus salários. Na segunda-feira (6), completou um mês que a categoria está em greve

NOTA OFICIAL - CAMPANHA SALARIAL 2011

NOTA OFICIAL - CAMPANHA SALARIAL 2011 As entidades de Classe dos Militares Estaduais(Aspra-PM/BM, CSCS-PM/BM, AOPMBM, UMMG, COPM e ASCOBOM), juntamente com o Deputado Sargento Rodrigues e o Vereador Cabo Júlio, em reunião permanente após o anúncio dos percentuais escalonados do reajuste salarial, dado pelo Governo do Estado, deliberaram de pronto pela não aceitação do mesmo. Levada essa posição ao conhecimento do Governo do Estado, ele acenou com a possibilidade de novas negociações. Então foi designado o Deputado Sargento Rodrigues para representar, como interlocutor, todas as Entidades e o Vereador Cabo Júlio, junto ao Secretario de Estado de Governo Danilo de Castro, interlocutor designado pelo Governo do Estado, para essas negociações. Avanços já foram conseguidos, porém, as Entidades de Classe esperam e acreditam em novas conquistas. As negociações continuam, mas, está mantida a convocação para a Assembléia Geral da Classe dos Militares Estaduais, para o dia 8 de junho de 2.011, às 14 horas no Clube dos Oficiais da Polícia Militar. Continuando todos unidos, certamente conseguiremos os nossos objetivos. As Entidades de Classe dos Militares Estaduais

Policial Civil poderá ir para casa com a VTR em SP

Policial Civil poderá ir para casa com a VTR em SP 07/06/2011 por cultcoolfreak POLÍCIA CIVIL DE SÃO PAULO DELEGACIA GERAL DE POLÍCIA Portaria DGP-31, de 06-6-2011 Estabelece normas relativas ao uso de viaturas policiais O Delegado Geral de Polícia, Considerando que o regime especial de trabalho policial, por expressa disposição legal, submete o Policial Civil a condições precárias de segurança, horário irregular, plantões noturnos e, sobretudo, chamados em qualquer horário (art. 44, I e II, LC. 207, de 5 de janeiro de 1979); Considerando que, em face do referido regime, não é dado ao policial civil, ainda que fora de seu horário de expediente, deixar de atender ocorrência de polícia judiciária que chegue ao seu conhecimento (conforme Portaria DGP-28, de 10 de outubro de 1994); Considerando que diligências policiais, para que alcancem êxito, muitas vezes têm de ser realizadas fora dos horários normais de expediente e deflagradas com urgência, até mesmo independentemente de autorização (art. 2o, Portaria DGP-18, de 19 de julho de 1997); Considerando que os meios tecnológicos atuais permitem que o policial civil, mesmo em sua residência, no seu horário de folga, esteja atento a fatos e informações que demandem uma pronta e impostergável diligência; Considerando que o condutor de viatura policial tem o dever de zelar por ela (art. 11, VI, Dec. 9.543, de 1o de março de 1977); Considerando que a vedação constante do art. 72, caput, do Dec. 9.543/77 refere-se a norma geral, na qual o Policial Civil, em face das peculiaridades acima referidas, não se inclui, conforme se depreende da exceção estabelecida no parágrafo único, nº 1, do mesmo artigo; Considerando que o citado Decreto 9.543/77 admite, em situações excepcionais, que veículos oficiais sejam guardados em garagem não exclusivamente oficiais; Considerando, ainda, o disposto no art. 16, VIII, do Decreto 9.543, de 1o de março de 1977 e nos arts. 3º e 15, I, “p”, do Decreto 39.948, de 8 de fevereiro de 1995, e Considerando, finalmente, o contido no expediente DGPAd 6641/2011, Determina: Art. 1o. A Autoridade Titular de Unidade Policial poderá autorizar, por escrito, Policial Civil que lhe seja subordinado a deslocar-se até sua residência com viatura, desde que este: a) seja legalmente habilitado para a condução de veículo; b) atue na atividade fim, exclusivamente; c) possa ser chamado, em virtude de suas atribuições, fora do horário normal de expediente ou tenha de diligenciar em horário diverso do estabelecido em escala. Art. 2o. O Policial Civil que satisfizer o disposto no artigo anterior: a) ficará responsável pela guarda da viatura policial em abrigo seguro, que poderá ser em sua residência ou em unidade policial que seja próxima; b) deverá comunicar ao Centro de Comunicações e Opera ções da Polícia Civil (CEPOL) a respeito do deslocamento; c) cumprirá o disposto na Portaria DGP-28, de 19 de outubro de 1994, particularmente seus arts. 3o e 4o; d) comunicará imediatamente ao CEPOL e à Autoridade Policial responsável pela autorização qualquer incidente havido. Parágrafo único. O policial civil que pretender deixar a viatura em unidade policial próxima à sua residência ficará responsável por obter autorização do Titular respectivo. Art. 3o. A Autoridade Policial Titular da Unidade deverá, nos termos do art. 20, IV, do Decreto 9.543, de 1o de março de 1977, zelar pelo cumprimento das normas pertinentes e fiscalizar a utilização adequada da viatura policial. Art. 4o. Fica expressamente vedado ao Policial Civil o uso de viatura: a) quando de seus afastamentos legais; b) para fim diverso daquele que seja dirigir-se à sua residência e retornar ao trabalho ou atender ocorrência de polícia judiciária; c) transportar pessoa estranha aos quadros policiais, desde que não se trate de atendimento a ocorrência policial ou prestação de socorro. Parágrafo único. A utilização de viatura policial para fins particulares ou contrariamente o disposto nesta portaria acarretará o imediato recolhimento do veículo à unidade policial, cessando-se a autorização constante do artigo 1o, sem prejuízo da apuração de responsabilidade penal, disciplinar e civil do responsável. Art. 5o. Quando o deslocamento compreender município diverso daquele em que se localizar a Unidade Policial, a Autoridade referida no art. 1o deverá dar ciência da autorização à Autoridade Policial da área em que a viatura irá permanecer. Art. 6o. A presente portaria entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições que lhe forem contrárias. Publicado no DOESP de 07/06/2011. Poder Executivo

Delegados ameaçam devolver presos ao Estado e suspender plantões em delegacias mineiras

Delegados ameaçam devolver presos ao Estado e suspender plantões em delegacias mineiras Protesto dos delegados Durante assembleia na tarde desta terça-feira (7), o Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de Minas Gerais (Sindepominas) afirmou que pretende devolver os presos ao Estado, caso as reivindicações da categoria não sejam atendidas pelo governo. Cerca de 400 delegados participaram do encontro, que discutiu reajuste salarial e melhores condições de trabalho. Segundo Ronaldo Cardoso, diretor do Sindepominas, cerca de 8,5 mil presos estão detidos em carceragens improvisadas em delegacias de todo Estado. E para mudar este cenário, ameaçam deter o suspeito somente durante o período de flagrante. Depois, ele seria deixado em qualquer penitenciária. “ Para fazer isso, primeiro vamos fazer uma notificação para a Subsecretaria de Administração Penitenciária (Suape) pedindo a retirada dos presos. Depois, pedimos, por meio de um mandado judicial, que esses presos sejam retirados das cadeias. Por último, se novos pedidos não forem aceitos, os detentos serão encaminhados para a penitenciária mais próxima", disse o diretor. Outra decisão tomada durante a assembleia desta terça-feira diz respeito às reuniões da Metodologia de Integração e Gestão em Segurança Pública (Igesp), programa do qual participam as polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e outros órgãos da segurança pública para discutir estratégias de contenção à violência. Segundo Ronaldo Cardoso, a categoria não vai mais participar das reuniões enquanto o Governo de Minas não legalizar a atuação da Polícia Civil. Plantões Sobre a retomada dos plantões nas delegacias mineiras, o diretor afirma que a escala mínima - de 40h semanais - será mantida. Sendo assim, após às 18h os delegados não atendem mais nenhuma pessoa.

Superlotação de delegacias facilita

Repercussões das Greves já a nível Internacional.

Russia http://www.krasnoetv.ru/node/10143 Ruim é entender eu ainda nao aprendi esta lingua doida da Russia, mais vejam a repercursão e o que falo daqui a pouco com as constantes greves em todo o Brasil algo irá mudar, falta agora em Minas Gerais quarta feira e ai tem que se prontificar outro estado para vir logo após Minas Gerais acho que ja tem temos que começar a fazer uma reação em cadeia eles nao terão o que fazer. Time news http://www.taiwannews.com.tw/etn/news_content.php?id=1619110 20 minutos online americano http://www.20min.ch/news/ausland/story/11372376 Reportagem sobre repercursão http://rius.com.br/noticias-do-brasil/25328-movimento-dos-bombeiros-tomou-uma-proporcao-que-ate-em-nova-iorque-os-bombeiros-estao-solidarios Não sei parece que é Francês http://www.lepetitjournal.com/rio/bresil-en-bref-rio-de-janeiro/79143-manifestation--les-pompiers-de-rio-en-greve.html El Universo Caracas http://internacional.eluniversal.com/2011/06/05/breves-internacional.shtml Inglaterra Star Tribunes http://www.startribune.com/business/123268628.html TV CHINESA MOSTRA COVARDIA DO BOPE...INEDITO!! 消防員的罷工在里約熱內盧 - CHINA A CHINA MOSTROU IMAGENS INÉDITAS DA COVARDIA DO BOPE!!!!!! VEJAM!!!!!!!!!!!!! http://v.ifeng.com/news/world/201106/70a6c9ce-d17c-4ab2-8d80-13b9ce1280c5.shtml Postado por Blog Notícia da

Em cinco anos, PM de São Paulo mata mais que todas as polícias dos EUA juntas

RJ: grupo de Bombeiros continua acampado em frente à Alerj

Militares e Civis e AGENTES PENITENCIÁRIOS não aceitam proposta do Governo

Militares e Civis não aceitam proposta do Governo Governo de Minas Gerais ofereceu reajuste de 72% em quatro anos para todas as categorias Flórence Couto e Renata Evangelista - Repórteres - 6/06/2011 - 16:11 Os policiais militares e civis e os bombeiros não aceitaram o reajuste salarial de 72% até 2015, oferecido pelo Governo de Minas Gerais. Na tarde desta segunda-feira (6), as entidades de classe se reuniram com a secretária de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), Renata Vilhena, que apresentou a proposta. A Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares (Aspra-PM/BM) e o Sindicato dos Servidores da Polícia Civil (Sindpol/MG) anunciaram que as categorias decidirão se aceitam o reajuste proposto na próxima quarta-feira (8). Conforme a assessoria de Imprensa do Governo, o aumento entraria em vigor a partir de dezembro deste ano, quando os salários seriam reajustados em 7%. O restante seria em outubro de 2012 (10%), agosto de 2013 (13%), junho de 2014 (15%), dezembro de 2014 (12%) e abril de 2015 (15%). O reajuste linear, aumento sobre aumento, seria de 97% nos quatro anos e beneficiaria ativos, inativos, pensionistas e funcionários civis. Segundo o presidente do Sindpol/MG, Denilson Martins, o Governo não atendeu os pedidos dos policiais civis, como a ampliação do efetivo e a correção de distorções salariais existentes entre delegados e peritos e médicos legistas. "Estamos com o mesmo efetivo da década de 1980, ou seja, 9.500. Segundo uma Oscip contratada pelo próprio Governo, 18.500 policiais seriam necessários hoje", reclamou o presidente do Sindpol. Denilson lembrou que todos os funcionários da Polícia Civil querem reajuste de 100%. Os delegados, investigadores e escrivães também solicitam 40% referente ao adicional de periculosidade. "Queremos o que ele (Antonio Anastasia) prometeu em 2004 e que cumpriria até 2010", disse Denilson, se referindo à promessa feita pelo atual governador, quando ele ainda era secretário de Planejamento. Atualmente, segundo o Sindpol, os investigadores e escrivães têm vencimento de R$ 2.041. Já médicos legistas e peritos recebem R$ 4.420, mais 40% de adicional de risco de contágio. O delegado recebe R$ 5.700 e os funcionários do setor administrativo têm vencimento de R$ 369 mais os quinquênios. Em nota, a Aspra-PM/BM informou que não concordou com a proposta apresentada pela Seplag. A associação convocou uma assembleia na próxima quarta-feira (8), às 14 horas, no Clube dos Oficiais (COPM). Na ocasião, policiais e bombeiros militares decidirão se aceitam os reajustes apresentados. No mesmo dia, o Sindipol realiza uma assembleia. A reunião será na Praça da Liberdade, às 14 horas. JORNAL HOJE EM DIA Postado por Noticias da PC

MAIS NOTICIAS DO SINDPOL-MG - TOTAL APOIO A GREVE!!! 08/06 BH VAI TREMER!!!

MAIS NOTICIAS DO SINDPOL-MG - TOTAL APOIO A GREVE!!! 08/06 BH VAI TREMER!!! Governo anuncia índice e deixa policiais indignados, sem atender reivindicações da categoria: a greve continua. Na tarde dessa segunda-feira atendendo a convocação da Chefia de Polícia, dirigentes das Entidades de Classe da Polícia Civil comparecerem na Cidade Administrativa para receberem a informação do Governo sobre o índice de reajuste para a categoria. A informação desagradou praticamente todos, pois, o Governo não adentrou em questões fundamentais, como o efetivo, equiparação de vencimentos da base, implantação do subsidio e equiparação de Delegados com Defensores Públicos. Ainda nesse tocante é de valia frisar que em dezembro de 2012 o subsídio de um Defensor Público, início de carreira, será de 12 Mil Reais e no final de carreira 18 mil, ainda nesse sentido sempre é necessário ressaltar que apenas Médicos Legistas e Peritos percebem na Polícia Civil adicional de risco de contágio; os demais policiais não recebem adicional de periculosidade, o que é um absurdo, pois, todos estão expostos ao mesmo risco. O Governo anunciou reposição de 7% para Dezembro de 2011; em uma tabela que varia de Outubro 2012 a Abril de 2015 entre 10%, 13%, 12% e 15%, perfazendo um total 72% até 1º de Abril de 2015. A Direção do sindicato vê com desconfiança tal proposta por entender que não atende ao conjunto das reivindicações, mas submete a mesma a apreciação da Assembleia Geral que acontecerá no dia 08/06/2011 às 14h00min na Praça da Liberdade, pois, somente a Assembleia Geral da categoria tem competência para deliberar sobre essa pauta em vigência de estado de greve. TAMBÉM COM ESSA PROSPOTA, O GOVERNO IGNORA AS REIVINDICAÇÕES DA BASE DA POLÍCIA CIVIL QUE NÃO ABRE MÃO DO SUBSIDIO, E DA EQUIPARAÇÃO DE INSVESTIGARES E ESCRVÃES COM PERITOS E MEDICOS LEGISTAS. POR ISSO CONTAMOS COM A PRESEÇA DE TODOS EM MAIS ESSA ASSEMBLEIA, QUE JULGAMOS SER A MAIS IMPORTANTE DE TODAS JÁ REALIZADAS.

Policiais bolivianos batem em presos com pedaços de madeira

Policiais bolivianos batem em presos com pedaços de madeira Vídeo denuncia que brasileiros que cometem crimes na Bolívia são tratados com truculência Imagens de celular mostram policiais bolivianos espancando dois homens com pedaços de madeira. Eles foram presos acusados de roubar uma moto e tudo indica que as cenas de horror foram feitas no presídio de Cobija conhecido como Vila Bush, um local que há muitos anos vem sendo alvo de constantes denúncias pela violência empregada contra os presos. Na primeira cena, aparece um dos acusados sem roupa com as duas mãos na parede. Enquanto isso, um dos guardas segura um pedaço de madeira com mais de um metro e aplica várias pancadas nas nádegas. Ele foi condenado a 10 açoites. Os torturados vão batendo e contando. A cada pancada o jovem se retorce, grita e chora de dor, mas é obrigado a ficar novamente de costas á parede para que a pena cruel seja aplicada. O segundo acusado vem para a mesma parede, também sem roupas. Muda o carrasco. Outro policial, agora mais forte testa o pedaço de madeira nas barras de ferro de uma janela, depois se prepara para os golpes. Ele imita um jogador de beisebol quando vai rebater uma bola, joga o corpo para trás e usa toda a força na aplicação do golpe. As cenas de dor são chocantes. A vítima se joga no chão com tanta dor. Corre pelos corredores, mas nada satisfaz o sadismo do guarda que bate cada vez com mais força. Direitos Humanos Não se sabe quem gravou o vídeo e como vazou, no entanto, denúncias apontam que os brasileiros que cometem crimes na Bolívia são tratados assim. No vídeo não é possível identificar quem são os dois jovens torturados, podem ser brasileiros. O Secretário de Justiça e Direitos Humanos do Estado do Acre, Henrique Corinto vai enviar ás imagens para entidades de direitos humanos de todo o mundo, pedindo que a Bolívia seja investigada quanto o tratamento dado aos presos. “Hoje não se admite penas cruéis, as pessoas são levadas para a Justiça para que paguem pelos crimes que cometeram. Não se justifica o espancamento, como nessas cenas”, completou Corinto. O Secretário disse que ficou chocado e revoltado com o sadismo dos guardas, e pouco o Governo do Acre pode fazer mesmo que os acusados sejam acreanos. Cobija, fonte de violência No Acre apenas uma ponte separa as cidades de Epitaciolândia no Brasil e Cobija na Bolívia. Com mais de 40 mil habitantes a cidade boliviana vive do comércio. Todas as semanas, centenas de brasileiros vão atrás de produtos importados com preços mais baixos. Cobija é conhecida também pela truculência da polícia local. Carros roubados no Brasil, quando atravessam a fronteira, logo ganham documentos. A Força Policial não é tão rígida com traficantes e só no ano passado 10 brasileiros foram mortos na cidade, segundo as autoridades locais eram traficantes

Sensação de impunidade

Sensação de impunidade Para o profissional do Judiciário consultado pelo JC, a nova lei aumentará a sensação de impunidade já sentida pela população. “Estamos vivendo uma situação de insegurança bastante grande. Não me parece o momento de as hipóteses de liberdade serem ampliadas. Fará com que um grande contingente de pessoas perigosas permanecem nas ruas O sujeito é obrigado a ficar em casa, mas quem irá fiscalizá-lo quanto a isso?”, questiona. De fato, segundo o delegado seccional Benedito Antônio Valencise, por não haver profissionais especificamente designados para esta função, as fiscalizações não serão realizadas de maneira direta. “Mas, se o sujeito for apanhado em uma blitz descumprindo alguma das medidas ou surpreendido cometendo algum crime, perderá o direito da liberdade provisória”, assinala. Superpopulação carcerária Especialistas e profissionais consultados pelo JC acreditam que a alteração da lei possa ser uma saída para reduzir a superlotação carcerária - principalmente a de internos ainda sem sentença transitada em julgado, que representam cerca de 44% dos presos. Neste sentido, o sistema prisional ficaria reservado à detenção de homens já condenados e daqueles que ainda respondem a processo por crimes graves, como homicídio, estupro e tráfico. “Com as condições econômicas e sociais em que vive grande parte da sociedade, daqui a pouco não teremos mais onde por tantos presos por furtos, crime que cabe a aplicação de fiança ou medidas cautelares”, avalia o tenente-coronel Nelson Garcia Filho, comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar do Interior (4ºBPM-I). A mudança também seria a maneira encontrada pelo Estado para reduzir gastos com presos em situação provisória, já que cada um deles custa cerca de cerca de R$ 1,3 mil por mês, considerando gastos com saúde, alimentação, higiene e manutenção dos presídios. leia mais em : http://www.oriobranco.net/component/content/article/29-destaque/14900-nova-lei-restringe-prisao-e-gera-polemica-entre-autoridades.html POSTADO POR AGEPEN ADRIANO ÀS 04:02

ESTE CURSOE REALIZADO PARA QUEM QUER DIRIGIR VEICULOS DE EMERGENCIA(VIATURA) O CTB EXIGE ISSO E NOS NOS SOMOS CAPACITADOS ESTAMOS COMENTENDO INFRAÇÃO

DE ESTE CURSOE REALIZADO PARA QUEM QUER DIRIGIR VEICULOS DE EMERGENCIA(VIATURA) O CTB EXIGE ISSO E NOS NOS SOMOS CAPACITADOS ESTAMOS COMENTENDO INFRAÇÃO DE TRANSITO. INTRODUÇÃO É o curso obrigatório para Capacitação de Condutores de Veículos de Emergência. (Art. 145- CTB).Resolução do CONTRAN N 168/2004. REGULAMENTAÇÃO Resolução do CONTRAN N 168/2004. CARGA HORÁRIA Condutor de veículo de emergência - 50 h/a. REQUISITOS Pré-requisitos necessários para matricular-se no curso (Resolução 168/2004 CONTRAN): - Ter idade superior a 21 anos; - Ser habilitado em uma das categorias "A", "B", "C", "D" ou "E"; - Não ter cometido nenhuma infração grave ou gravíssima, ou ser reincidente em infrações médias durante os 12 últimos meses; - Não estar cumprindo pena de suspensão ou cassação do direito de dirigir;

TABELA DE COMO FICARA O SALÁRIO DA PMMG DIVULGADA NA INTRANNET

segunda-feira, 6 de junho de 2011

NÃO VAMOS ACEITAR ESSE PARCELAMENTO VERGONHOSO. ESTÁ MANTIDA A ASSEMBLEIA DO DIA 08/06 (QUARTA-FEIRA). VAMOS FAZER UMA GRANDE PASSEATA EM DIREÇÃO APRAÇA SETE, ACAMPAR NOS JARDINS . QUEM ESTIVER SATISFEITO COM ESSE AUMENTO, NÃO VENHA! SE VOCÊ NÃO ESTIVER SATISFEITO, TE ESPERO NO PALACIO DO GOVERNADADOR DIAS 08 /AS 14; HORAS

NÓS NÃO ACEITAMOS A PROPOSTA DO GOVERNO AGUARDEM: ESTAMOS REUNIDOS

segunda-feira, 6 de junho de 2011 PROPOSTA DO GOVERNO: NÃO ACEITAMOS!!!!!!!!!!!!! NÓS NÃO ACEITAMOS A PROPOSTA DO GOVERNO AGUARDEM: ESTAMOS REUNIDOS

VOTE NA ENQUETE, REAJUSTE SALARIAL LADO DIREITO DO BLOG

E AGORA SENHORES??? QUEREMOS SABER O QUE TODOS ACHARAM DO REAJUSTE. PARTICIPEM DA ENQUETE DO BLOG, NÃO TEMOS MUITO TEMPO PARA PENSAR, É AGORA OU NUNCA!!!

O Excelentíssimo Senhor Governador Antonio Anastasia acaba de anunciar a política de reajuste salarial para área de segurança pública

06 Junho 2011 REAJUSTE SALARIAL Prezado Integrante da PMMG, O Excelentíssimo Senhor Governador Antonio Anastasia acaba de anunciar a política de reajuste salarial para área de segurança pública, que irá vigorar no período de 2011 a 2015, cuja proposta será remetida à Assembléia Legislativa. A proposta em questão aumenta o valor do salário na PMMG, de forma linear, em 97% (NOVENTA E SETE POR CENTO), atingindo ativos, inativos, pensionistas e funcionários civis, o que elevará o piso salarial do Soldado com 00 quinquênio de R$2.041,73 para R$4.022,24, ao final do período. No período de 2004 a 2010, o Governo do Estado concedeu uma série de aumentos que possibilitaram dobrar o valor dos vencimentos pagos aos integrantes da PMMG. Em 2004: 6%; 2005: 14,4%; 2006: 10%; 2007: 10%; 2008: 10%; 2009: 10%; 2010: 15%, totalizando, no período (acumulado), 104,17%, em SETE ANOS. Com o aumento anunciado, passarão a vigorar novos índices: em Dez2011: 7%; Out2012: 10%; Ago2013: 13%; Jun2014: 15%; Dez2014: 12% e Abr2015: 15%, totalizando 97% acumulados no período, em apenas QUATRO ANOS. É inegável a atenção que o Governo do Estado tem dispensado à Polícia Militar: criação da “promoção por tempo de serviço” em 2004, beneficiando 11.000 Soldados até o momento; ampliação das promoções por tempo de serviço (3.300 militares somente em 2010-2011, beneficiados pela convocação do CEFS); concessão de auxílio-invalidez; autorização para transferência à inatividade aos 25 anos para mulher; 25 dias úteis de férias anuais; abertura de condições especiais para militares dispensados progredirem na carreira; criação do PROMORAR (3.500 famílias beneficiadas até o momento), inclusão da paridade no dispositivo legal e estabelecimento de nível superior para todos os cursos da Polícia Militar. Enfim, o Governo vem criando melhores condições de trabalho com foco na valorização das pessoas. Essa política salarial é resultado da seriedade, ética e atuação conjunta liderada pelo Excelentíssimo Senhor Governador do Estado, que tantos avanços têm proporcionado à qualidade de vida dos integrantes da nossa Organização e a seus familiares. Deve-se também à ação integrada e participativa do Alto Comando da PMMG, das entidades de classe e parlamentares que contribuíram para que pudéssemos apresentar ao Governo nossas necessidades e propostas. Agradeço o apoio e a participação de todos para essa importantíssima nova conquista, que nos conduz, de fato, ao ideal de nos situarmos entre as mais bem remuneradas polícias militares do Brasil. Tenham todos a certeza de que o profissionalismo e alto desempenho são as garantias da legitimidade dos pleitos dos Integrantes da PMMG perante o Governo e a opinião pública. Cordialmente

Trinta pessoas já foram ouvidas e doze agentes penitenciários estão sendo investigados

BH - Trinta pessoas já foram ouvidas e doze agentes penitenciários estão sendo investigados 06/06/2011 12h43 TABATA MARTINS/ MAGALI SIMONE www.twitter.com/Otempoonline FOTO: GUSTAVOANDRADE/OTEMPO Delegado mostra foto do suspeito que foi acidentalmente queimado em um dos ataques a ônibusDurante uma coletiva de imprensa, a Polícia Civil de Minas Gerais apresentou, na manhã desta segunda-feira (6), um balanço referente às investigações sobre os ataques a ônibus ocorridos em Belo Horizonte e região metropolitana. De acordo com o chefe do Departamento de Investigações de Crimes contra o Patrimônio (DCcP), Islande Batista, oito autores de incêndios já foram identificados e, desde o dia 26 de abril, 14 veículos foram queimados na capital mineira e Grande BH. Segundo Islande Batista, quatro incêndios foram ordenados pelo presidiário Cleverson Silva de Oliveira, de 27 anos, que dava ordens de dentro da Penitenciária Nelson Hungria. No entanto, conforme o chefe do DCcP, a possibilidade de ele ter comandado outros ataques ainda não foi totalmente descartada. Desde o dia do primeiro ataque, a polícia já ouviu 30 suspeitos e 12 agentes penitenciários estão sendo investigados por suspeita de facilitarem a entrada de celulares no presídio e de repassarem informações internas para pessoas de fora.

QAP ,URSO URSO ,QSL URSO URSO URSO URSO URSO URSO URSO

CHAPA RENOVAÇÃO CONVIDA TODOS ASPS DE MG , PARA MEGA MANIFESTÇÃO DIA /08/06/2011 AS 14;0000 NA PRAÇA DA LIBERDADE ONDE ,ENCONTRAREMOS COM A PC.

ATENÇAO segurança pública de DE MINAS

ATENÇAO MILITARES DE MINAS O Vereador Cabo Júlio está indo, juntamente com os líderes do Movimento (Presidentes de Entidades) e Dep Sgt Rodrigues para a reunião prevista para ás 14:30 no Comando Geral da PM. Aguardem notícias

DIA 08 AS 14;00 PRAÇA DA LIBERDADE.

CAMISA POLICIA PENAL, OU A CAMISA DO ASP. PQ NÃO ADIANTA OLHAR PRO CÉU COM MUITA FÉ E POUCA LUTA. UM PEDAÇO DE PANO VERMELHO EM HOMENAGEM AOS BOMBEIROS PRESOS.

DIA 08 AS 14 HORAS ; PRAÇA DA LIBERDADE

CONTAMOS COM OS COMPANHEIROS NA MANIFESTAÇÃO DO DIA 08 DE JUNHO Apesar de Minas Gerais ser um dos estados mais rico do país, paga salários sofríveis aos Agentes penitenciários. Com esse salário o servidor vive com dificuldades para pagar as contas, tratar da família e atender suas necessidades. Os agentes não conseguem alugar ou comprar casas em locais mais seguros, temos casos em que o agente tem de morar em áreas onde nem pode declarar sua identidade profissional, sob o risco de sofrer represálias dos bandidos e ter a família perseguida. Não podemos abrir mão de poder sustentar regularmente a família com aquilo que recebemos como resultado do nosso trabalho, o governo tem que cumprir com suas obrigações de corrigir os salários e dar condições para que o seu empregado possa continuar tendo vida normal e segura e prestando bons serviços à população. É necessário recuperar a defasagem salarial e também a dignidade dos agentes Penitenciários...... CONTAMOS COM OS COMPANHEIROS NA MANIFESTAÇÃO DO DIA 08 DE JUNHO ÁS 14 HORAS NA PRAÇA DA LIBERDADE

Dia 06/06 o governador mostrará á que veio, qual o seu nível de respeito por uma

Dia 06/06 o governador mostrará á que veio, qual o seu nível de respeito por uma instituição bicentenária, e seus valorosos membros: se honra o cargo que ocupa ou se é mais um SÉRGIO CABRAL da vida... Mas, aqui é Minas Gerais e como "profetizou" o Cb Júlio, "97 vai ficar pequeno"!

domingo, 5 de junho de 2011

Bombeiros do RJ acampam em protesto pela libertação de militares presos

Agente penitenciário se classifica para Campeonato Mundial de Aquathlon

Agente penitenciário se classifica para Campeonato Mundial de Aquathlon “Fiquei muito emocionado, principalmente por lembrar do empenho de meus companheiros de trabalho para viabilizar minha participação" Wenderson disse que sua profissão exige muita concentração e preparo psicológico, o que ajuda nas competições Foto :Assessoria de Comunicação/ Sejus Cinco quilômetros de corrida, intercalados por um quilômetro de natação, completados em 52 minutos de prova. A marca, pertencente ao melhor atleta de aquathlon do Estado e sétimo colocado no ranking nacional – na categoria de 35 a 39 anos. A história seria comum, se Wenderson Graciano Corrêa, 38 anos, não fosse agente penitenciário. Entre uma folga e outra, o agente, lotado no Centro de Detenção Provisória de São Domingos do Norte, começou sua carreira no triathlon em janeiro de 2011. Ao descobrir o aquathlon, modalidade que mistura natação e corrida, Wenderson descobriu seu potencial para o esporte: conquistou o primeiro lugar na etapa estadual, realizada em Vitória, e garantiu vaga para o Nacional. Com a ajuda dos servidores da unidade prisional em que trabalha, Wenderson colheu recursos para disputar em João Pessoa, na Paraíba, o Campeonato Brasileiro de Aquathlon, realizado no último dia 14. “Fui sem treinador, sem um preparo profissional. Meu tutor foi a internet, onde pesquisei coisas importantes, como alimentação adequada para um atleta”, revela o agente. Em uma disputa acirrada, Wenderson conquistou o sexto lugar na prova – e mesmo sem pontuação anterior no ranking nacional, se posicionou como o sétimo melhor atleta do país. Após o esforço, a surpreendente recompensa: com a marca de 52 minutos e 30 segundos, o agente garantiu vaga para a disputa do Mundial de Aquathlon, marcado para setembro na China. “Fiquei muito emocionado, principalmente por lembrar do empenho de meus companheiros de trabalho para viabilizar minha participação. Sem eles eu não teria chegado aonde cheguei. Fizeram até rifa para pagar minha passagem. Quero que se sintam representados por este feito”, relatou emocionado o atleta, que credita à dinâmica da profissão o sucesso nas provas. “A carreira de agente penitenciário me ajudou bastante no aquathlon. A profissão exige muita concentração e preparo psicológico, qualidades que se mostraram essenciais durante a natação e a corrida. Não basta força física, é preciso manter a mente focada, ter uma disciplina, uma constância na prova. A função de agente me deu respaldo para isso”, argumentou. Wenderson agora busca patrocínios para conseguir ir à China participar do Campeonato Mundial. A maratona de treinos já recomeçou, mas o atleta quer aperfeiçoar a parte técnica para alcançar resultados ainda melhores no futuro. “Não tenho nada ainda, mas vamos buscar parcerias para que dê tudo certo. Até aqui Deus tem me ajudado e assim continuará sendo”, afirmou otimista.

LEI DE MINAS GERAIS QUE OBRIGA O ESTADO A FORNECER EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA

LEI DE MINAS GERAIS QUE OBRIGA O ESTADO A FORNECER EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA Lei nº 18.015, de 2008 Altera o art. 1º da Lei nº 12.223, de 1º de julho de 1996, que obriga o Estado a fornecer equipamento de segurança ao policial civil. O GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS, O Povo do Estado de Minas Gerais, por seus representantes, decretou e eu, em seu nome, promulgo a seguinte Lei: Art. 1º O art. 1º da Lei nº 12.223, de 1º de julho de 1996, passa a vigorar com a seguinte redação: "Art. 1º O Estado fornecerá equipamento de segurança ao policial civil, ao policial militar e ao agente de segurança penitenciário. §1º Para os fins desta Lei, consideram-se equipamentos de segurança, entre outros, revólveres, munições, algemas e coletes à prova de bala. §2º O colete à prova de bala será fornecido obrigatoriamente nos seguintes casos: I - ao policial militar, como peça integrante do fardamento; II - ao policial civil, nas ocorrências que coloquem em risco sua integridade física; e III - ao agente penitenciário, nas atividades de escolta de presos e guarda de presídios."(nr) (Vide art. 1º da Lei nº 19441, de 11/1/2011.) Art. 2º Esta Lei entra em vigor a partir de 1º de janeiro de 2010. Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, aos 8 de janeiro de 2009; 221º da Inconfidência Mineira e 188º da Independência do Brasil. AÉCIO NEVES Danilo de Castro Renata Maria Paes de Vilhena Maurício de Oliveira Campos Júnior

MUNICIPALIZAÇÃO DOS DETENTOS - O QUE VOCÊS ACHAM DA IDÉIA

MUNICIPALIZAÇÃO DOS DETENTOS - O QUE VOCÊS ACHAM DA IDÉIA Desembargador sugere construção de mini-presídios Por Fernando Porfírio A municipalização dos presídios quebraria o elo entre as facções criminosas e novos e antigos detentos que chegam ao sistema prisional, além de representar um caminho para a ressocialização dos presos e o desafogamento das penitenciárias estaduais. É o que defende o desembargador Willian Campos, do Tribunal de Justiça de São Paulo, que encaminhou a proposta ao governador do estado Geraldo Alckmin. O desembargador propõe a construção de pequenos presídios por comarca. As vagas seriam destinadas a presos que cometessem crimes ou comprovassem morar na região. Os mini-presídios seriam construídos com verbas do Estado, em terreno cedido pela prefeitura. A administração seria de competência do prefeito, por meio de convênio celebrado entre estado, município e o Tribunal de Justiça. Willian Campos defende a gestão dos mini-presídios a cargo de um consórcio público, de acordo com as regras da Lei 11.107/05. O consórcio teria competência, por exemplo, para criar cargos de agentes penitenciários municipais, desde que fossem respeitadas as atribuições do Conselho Penitenciário, prevista na Lei de Execuções Penais. O controle do presídio seria dividido entre o comandante local do Batalhão da Polícia Militar e o delegado de Polícia. O juiz de execuções criminais seria o responsável pela internação e remoção de presos, como também pela administração e controle das penas e promoções. “O grande problema hoje é que só dispomos de presídios federais e estaduais, instalados aleatoriamente em município de livre escolha do Executivo”, diz o desembargador. Para ele, essa maneira unilateral de escolha traz insatisfação à população local pelo fato do presídio abrigar presos de outras cidades, o que acaba por tornar-se pólo de atração das famílias dos detentos que se instalam no local. “Nas condições da proposta não haveria rejeição da população, pois o presídio estaria atendendo a necessidade da região, sem pessoas de fora”, diz Willian Campos. Ainda de acordo com o desembargador, o estado seria beneficiado, desafogando os atuais presídios o que traria maior tranquilidade social. O desembargador sustenta que os detentos atendidos nos mini-presídios não teriam mais contato com as facções criminosas como acontece hoje, o que causaria o aumento do índice de reabilitação. “Seria um trabalho inédito que envolveria a prefeitura e as empresas no trabalho de ressocialização. Estas se sentiriam mais seguras em contratar um detento que fosse beneficiado por um tipo especial de acompanhamento