A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

BLOG ALFA PAPA MG .A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

sábado, 14 de maio de 2011

BENEFÍCIOS Férias-Prêmio

BENEFÍCIOS Férias-Prêmio - Todo servidor público tem direito, a cada cinco anos de trabalho, a três meses de férias-prêmio. Para gozá-las, o servidor deverá preencher requerimento no órgão onde trabalha. RESOLUÇÃO Nº 22 /2003 (publicado no Minas Gerais em 26/04/2003) - Dispõe sobre a concessão de férias-prêmio ao servidor público da Administração Direta e Indireta do Poder Executivo do Estado de Minas Gerais. - O Secretário do Estado de Planejamento e Gestão no uso da competência que lhe confere o art. 93, §1º inciso II da Constituição do Estado nos termos do art. 31 inciso II, da Constituição Estadual de Minas Gerais e Decreto nº. 43.285 de 23 de abril de 2003. RESOLVE: - Art.. 1º - O afastamento de servidor público da Administração Direta e Indireta do Estado, de Minas Gerais para gozo de férias-prêmio, será concedido após análise da conveniência e oportunidade da Administração Pública. - Art. 2º - Considera-se conveniência e oportunidade: - I - a ausência de prejuízos ou interferência na continuidade e prestação do serviço público; - II - a inexistência de gastos para a Administração Pública em razão da substituição, do servidor afastado; - III - a existência de servidores disponíveis para absorção das funções desempenhadas pelo servidor afastado; - IV - outros fatores que possam afetar a qualidade e eficiência dos serviços públicos. - Art. 3º - O ato de afastamento deve ser precedido de: - I - protocolo do requerimento, dirigido ao titular do órgão em que o servidor tem exercício nos seguintes prazos: - a - até 31 de novembro de cada ano quando o afastamento estiver previsto para o primeiro semestre do ano subsequente; - b - até 31 de maio quando o afastamento estiver previsto para o segundo semestre do mesmo ano; - II - autorização da chefia imediata o quando for o caso, da autoridade superior às quais estiver subordinado o servidor em adjunto, ou a disposição, com ônus para o Estado, em outros órgãos ou entidades; - II I- deferimento pela autoridade competente obedecida a escala organizada de acordo com a conveniência e oportunidade da Administração Pública; - IV - publicação prévia do ato de autorização. - Art. 4º - O servidor poderá ter autorizado o afastamento em férias-prêmio por período igual ou superior a um mês. - Parágrafo Único - Em se tratando de professor no efetivo exercício da regência, a autorização de que trata este artigo poderá ser concedida pelo período de um bimestre letivo, conforme critérios a serem definidos pelo Secretário de Estado da Educação, obedecido o disposto no art. 2º desta Resolução. - Art 5º- Os casos omissos serão resolvidos pelo titular desta Pasta. - Art 6º- Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. - Art.7º- Revogam-se as disposições em contrário, em especial a Resolução n. 85, de 10 de dezembro de 2001. Belo Horizonte, aos 24 de abril de 2003. Secretário Antonio Augusto Junho Anastasia Secretário de Estado de Planejamento e Gestão. · Republicação em decorrência de incorreções verificadas na publicação.

Sindicato dos Agentes Penitenciários elogia iniciativas no Ceresp de Ipatinga

Não existe milagre, mas trabalho” Sindicato dos Agentes Penitenciários elogia iniciativas no Ceresp de Ipatinga Envie para um amigo 14/05/2011 - 00h12 Wôlmer Ezequiel Produção de hortaliças é uma das ações desenvolvidas junto aos detentos, e melhorou a rotina no presídio IPATINGA – Os desafios administrativos enfrentados por qualquer diretor penitenciário no país são muitos. Celas superlotadas, recursos escassos e uma rotina de tensão e perigo são alguns dos fatores que influenciam negativamente o dia a dia de detentos, familiares, agentes de segurança e demais envolvidos no sistema de segurança. Para amenizar estes problemas, a diretoria do Centro de Remanejamento do Sistema Prisional de Ipatinga (Ceresp) tem realizado uma série de ações inovadoras. Na tarde de ontem (13), representantes do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Minas Gerais (Sindpen) visitaram o local para conhecer algumas dessas iniciativas adotadas pelo atual diretor do Ceresp, Valdeci Ribeiro da Silva. Dividida em 24 celas com capacidade inicial para seis presos cada uma, a unidade de Ipatinga conta, atualmente, com 527 detentos. “Já estivemos aqui em anos anteriores para conciliar conflitos entre a categoria e a direção do presídio. Desta vez, viemos para conhecer algumas ações que têm dado certo. Tanto para os agentes penitenciários quanto para os presos e seus familiares”, destacou Hodney Silva, presidente do Sindicato. A comitiva foi recebida pelo próprio diretor da unidade, por volta das 14h. Em seguida, os sindicalistas percorreram as dependências da cadeia e foram apresentados aos programas e projetos de ressocialização. “Nós queremos assegurar aos detentos os direitos que lhes são garantidos por lei. Diante disso, investimos em profissionalização e atividades socioculturais que os incentivem a buscar um bom comportamento. Não existe milagre, mas sim trabalho”, afirmou Valdeci Ribeiro, à frente do Ceresp desde dezembro do ano passado. Dentre as atividades oferecidas aos presidiários, destacam-se a produção de hortaliças, confecção de artesanato e uma parceria firmada pela direção do centro junto à iniciativa privada. “Estamos empenhados em conseguir integrar nossos detentos em atividades que ocupem o tempo ocioso. Vale a pena destacar as oportunidades de emprego que conseguimos gerar graças às parcerias que temos com empresas da região e que têm absorvido nossa mão de obra”, relatou aos sindicalistas o diretor da unidade. Wôlmer Ezequiel Representantes do sindicato dos agentes penitenciários visitaram as instalações do Ceresp na tarde de ontem Outro lado Além dos benefícios aos detentos, as condições de trabalho oferecidas aos 140 agentes penitenciários não passaram despercebidas pelos membros do Sindpen. “A administração do Ceresp é a única em Minas Gerais que oferece aulas de judô aos agentes penitenciários. A segurança de todas as pessoas que transitam em uma unidade prisional depende do clima de trabalho. Ao se criar boas condições, isso é refletido na relação com os presos e o bem-estar da penitenciária como um todo”, disse Hodney Silva após conhecer o cronograma de obras estruturais que deverão ser executadas nos próximos meses na unidade prisional. Entre elas, estão a construção de uma refeitório para os agentes penitenciários, salas de atendimento para médicos e advogados e reforma das guaritas de vigilância. “Para realizar tudo isso, vou contar com o apoio de quem quiser ajudar. Empresas privadas, comunidade, Ministério Público, Justiça. A participação e o apoio de quem tiver interesse em colaborar serão muito bem vindos”, concluiu o diretor da penitenciária.

Inspetor preso tem regalias

Inspetor preso tem regalias Publicado no Super Notícia em 14/05/2011FLÁVIA MARTINS Y MIGUEL falesuper@supernoticia.com.br O inspetor da Polícia Civil Gilson Costa, acusado do assassinato de dois homens em 2008 no sítio onde eram realizados treinamentos do Grupo de Resposta Especial da Polícia Civil de MG (GRE), é alvo de uma nova denúncia. Preso desde a última terça-feira na Casa de Custódia da corporação, ele estaria recebendo regalias, como o direito a passeios noturnos fora da unidade e de usar um celular dentro da cela. Os deputados estaduais João Leite (PSDB) e Durval Ângelo (PT) encaminharam ontem à polícia um requerimento pedindo a apuração dos fatos - eles pediram também a abertura de um inquérito na corregedoria para apurar uma suposta conivência da policiais na demora da prisão de Gilson Costa. Os deputados foram notificados das supostas irregularidades por meio de uma carta anônima. Segundo a denúncia, o inspetor foi visto durante a semana em uma lanchonete na avenida do Contorno, comendo um sanduíche. A testemunha afirma ainda que Gilson Costa é visitado constantemente por policiais do Departamento de Operações Especiais (Deoesp). Civil A assessoria da Polícia Civil informou que desde o último dia 10, quando Gilson se apresentou e foi detido, ele não deixou a Casa de Custódia. Ainda de acordo com a corporação, o inspetor não recebeu visitas de colegas na unidade. Ele só deverá receber visita na próxima terça-feira - sua mulher o visita às sextas.

Penitenciária Nelson Hungria passará por reforma estrutural

Penitenciária Nelson Hungria passará por reforma estrutural Uma grande reforma de segurança na estrutura da penitenciária de segurança máxima, Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, está prevista para os próximos quatro anos. O anúncio foi feito pelo superintendente de Segurança Prisional da Subsecretaria de Administração Prisional do Estado, Hamilton de Andrade, durante a reunião da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, realizada nesta quinta-feira (12/5/11), para debater denúncias de irregularidade no estabelecimento. Segundo Andrade, a reforma, já autorizada pelo governador do Estado com início previsto para este ano, contempla a adequação da estrutura às necessidades operacionais da Secretaria de Estado de Defesa Social. Desta forma, serão instalados aparelhos de Raios-x, detectores de metal, aparelhos body scan(utilizados em aeroportos), banquetas detectoras de metal (para revista em partes íntimas), bloqueadores de sinal de celular e aparelhos de fibra ótica para detecção de movimentos. Em sua fala, o superintendente afirmou que, com base nas denúncias de irregularidade, foi feita uma intervenção no presídio em abril deste ano, quando foram recolhidas drogas e telefones celulares, além da identificação de servidores que facilitavam a entrada de produtos ilícitos. "A intervenção foi bem planejada e contou com a participação de agentes formados pelo Comando Operações Especiais, e cerca de 400 agentes penitenciários voluntários. Nosso objetivo é acabar com a corrupção e as ocorrências ilegais", disse. Hamilton de Andrade lembrou, ainda, que, hoje, os procedimentos de revista em visitantes e nas celas é feito diariamente, e que as investigações resultaram na exoneração de seis agentes somente em 2010. Realidade - A penitenciária Nelson Hungria conta com 1.700 presos, agrupados em 1.300 celas, custodiados por 667 agentes penitenciários. De acordo com o diretor-geral do estabelecimento, Luiz Carlos Danúzio, não há superlotação e existem oficinas de trabalho e estudo ao presos interessados. "Pleiteamos a construção de uma penitenciária federal e hospitais de custódia, para desafogar o trabalho dos órgãos de segurança nas penitenciária e cadeias do Estado", acrescentou Hamilton de Andrade. LEIA A A NOTÍCIA COMPLETA NO LINK

Ministro da Justiça admite que prisões estão em situação quase “medieval

Ministro da Justiça admite que prisões estão em situação quase “medieval” Cardozo comentou relatório da Anistia Internacional que critica o sistema penitenciário Da Agência Brasil O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, admitiu nesta sexta-feira (13) que o sistema prisional do país está em uma situação quase “medieval”. Um estudo da Anistia Internacional, divulgado ontem (12), avalia como degradante o sistema penitenciário nacional. - Infelizmente, o sistema prisional brasileiro chega a ser praticamente medieval. De acordo com a organização, as prisões continuam superlotadas e os detentos sofrem tortura. Para a Anistia Internacional, o tratamento é considerado cruel, desumano e degradante. Cardozo citou que cerca de 66 mil presos estão nas carceragens das delegacias de polícia em condições inaceitáveis. A Anistia Internacional contabiliza que 40% dos presos no país aguardam julgamento. Segundo o ministro, o governo federal tem articulado com os Estados planos para a construção emergencial de cadeias. No entanto, afirmou que solucionar os problemas penitenciários exigirá muito esforço e recursos da União e dos governos estaduais. No documento, a Anistia Internacional ainda crítica o alto índice de violência policial e que ativistas e defensores dos direitos humanos vivem sob constantes ameaças no Brasil e encontram dificuldade em obter proteção do Estado. Sobre a campanha do desarmamento, que completa uma semana, Cardozo afirmou que o ministério já iniciou o credenciamento das entidades que irão participar do recolhimento das armas, após participar da abertura do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Governo enfim abre canal de nogociação através da Chefia de Polícia.

A Diretoria do SINDPOL/MG recebeu no fim da tarde de hoje (13/05), um ofício convocando para uma reunião com o objetivo de discutir as reivindicações da categoria. Sr Presidente do SINDPOL/MG, Dando continuidade aos trabalhos do dia 05/05/2011, convidamos essa Entidade para reunião a se realizar no dia 18/05/2011, quarta-feira, às 15h00min. na sede da Polícia Civil, na Cidade Administrativa, prédio Minas, 4º andar, sala , ocasião em que será tratada a seguinte pauta... Leia o documento na íntegra no site da SINDPOL

Escolas de Belo Horizonte terão detector de metais na entrada

Escolas de Belo Horizonte terão detector de metais na entrada Medida de foi aprovada em caráter definitivo pelos vereadores e vai atingir 72 das 186 instituições de ensino municipais Publicado no Super Notícia em 14/05/2011GABRIELA SALES falesuper@supernoticia.com.br FOTO: ARQUIVO O TEMPO O colégio Marconi, na região Centro-Sul da Capital, é uma das escolas que terão o detector de metais. Contudo, a proposta tem gerado polêmicas. Especialistas atacam a lei como ineficaz. Pais de alunos querem segurança, mas, na prática, acreditam que proce ARQUIVO O TEMPO O colégio Marconi, na região Centro-Sul da Capital, é uma das escolas que terão o detector de metais. Contudo, a proposta tem gerado polêmicas. Especialistas atacam a lei como ineficaz. Pais de alunos querem segurança, mas, na prática, acreditam que proce A Câmara Municipal de Belo Horizonte aprovou anteontem, de maneira definitiva, o projeto de lei nº 421/2009, que torna obrigatória a instalação de detectores de metal na entrada das escolas municipais da capital. A medida é uma tentativa de coibir a entrada de armas nos colégios, mas enfrenta a resistência de especialistas, que chamam atenção para os transtornos que os equipamentos podem causar e para um chamado "excesso" das autoridades. Como o detector será obrigatório nas escolas com mais de 500 alunos, 72 dos 186 colégios municipais da cidade teriam a obrigatoriedade de usar o equipamento. Com um custo estimado em torno de R$ 2.000 por aparelho, apenas para a compra dos detectores, a prefeitura terá que desembolsar R$ 144 mil - há gastos também com a manutenção, que deve ser feita a cada seis meses. Além disso, a prefeitura precisará designar um guarda municipal para cada uma das escolas, Eles vão acompanhar a entrada e revistar quem estiver com algum objeto metálico. O custo para a compra e a manutenção, segundo especialistas, não seria um problema se a medida garantisse de fato a segurança dos alunos. O pesquisador de segurança e criminalidade da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Michel Messi afirma que a fragilidade do aparelho pode tumultuar a porta das escolas. "O aparelho apita com uma tesoura, compasso ou mesmo uma moedinha. É transtorno na certa. E a violência é uma questão social, tem que ser tratada na escola", explicou. Críticas O pesquisador do Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública da UFMG (Crisp) Robson Sávio alega que a medida não coibe a violência. "Episódio de arma nas escolas é um caso isolado. Precisamos é de políticas sociais". Pulso forte O autor do projeto de lei, o vereador Cabo Julio (PMDB), afirma que o detector de metal vai mostrar aos infratores que as autoridades estão dispostas a tomar medidas firmes contra a violência.Já para a psicopedagoga do centro de psicologia da Newton Paiva Merie Bitar, o detector pode trazer transtornos psicológicos para alunos, professores e funcionários. "A violência vai além da detecção da arma. É preciso que se trabalhe a causa dela. Isso é uma questão muito ampla", ressaltou a especialista. A pedagoga Luiza Thorres vai mais longe e afirma que a medida pode favorecer a evasão escolar a partir das ausências. "As crianças podem entender que o equipamento é algo repressor, o que pode fazer com que eles faltem. Com os alunos fora das salas de aulas, eles podem ficar mais vulneráveis à violência das ruas", destacou.

DESMANDO - FUGITIVO IMPÕE CONDIÇÕES À JUSTIÇA PARA SE APRESENTAR

DESMANDO - FUGITIVO IMPÕE CONDIÇÕES À JUSTIÇA PARA SE APRESENTAR Justiça quer recolocar Papagaio no regime fechado. Advogada revelou que, nestas condições, ele não deve se apresentar - Rádio Guaíba, CORREIO DO POVO, 11/05/2011 Foragido do Albergue de Montenegro desde a metade de abril, o ex-assaltante de bancos Cláudio Adriano Ribeiro, o Papagaio, não deve se apresentar de maneira espontânea à Justiça gaúcha. Segundo a advogada Maria Helena Viegas, a juíza Traudi Beatriz Grabin, da Vara de Execuções Criminais de Novo Hamburgo, negou o pedido da defesa para que Papagaio se apresente e aguarde a audiência em uma instituição do regime semiaberto, na Capital. A magistrada quer que o apenado vá para a Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) e aguarde, em regime fechado, o processo que vai definir se ele pode ou não voltar a trabalhar e cumprir a pena no semiaberto. O Ministério Público de Novo Hamburgo já havia se manifestado contra a volta do detento ao semiaberto. A advogada de defesa sustenta que a família de Papagaio já foi comunicada e que, sob estas condições, ele não pretende se apresentar. Maria Helena Viegas confirmou que o detento teme voltar à Pasc, de onde fugiu em 1999. Ela ainda espera sensibilizar a magistrada a mudar de ideia e aceitar o pedido. Conforme a juiza, depois de mais uma fuga, não há motivos para que Papagaio volte para o regime semiaberto. Condenado a 36 anos e 11 meses de prisão por assaltos a banco, Cláudio Adriano Ribeiro já escapou seis vezes do sistema penitenciário gaúcho. Antes disso ele já havia fugido de um hospital, em Santa Catarina, depois de ser algemado em uma cama e baleado em um assalto.

MIL TORNOZELEIRAS RS divulga vencedora de licitação na segunda - EDUARDO MATOS | RÁDIO GAÚCHA, zero hora 14/05/2011

MIL TORNOZELEIRAS RS divulga vencedora de licitação na segunda - EDUARDO MATOS | RÁDIO GAÚCHA, zero hora 14/05/2011 A empresa que fornecerá mil tornozeleiras eletrônicas para o monitoramento de presos do Estado foi definida na tarde desta sexta-feira. Porém, a Superitendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) preferiu não divulgar o nome da vencedora da licitação, sob justificativa de que a documentação precisa ser apresentada até segunda-feira e ainda há prazo para contestações. A licitação foi realizada por meio de pregão eletrônico. Seis empresas haviam se habilitado. O contrato anterior da fornecedora dos dispositivos havia se encerrado em fevereiro, interrompendo o monitoramento eletrônico. Ainda neste semestre, a empresa deverá fornecer cerca de 400 tornozeleiras. Outras 600 serão entregues até o fim do ano. A licitação ainda prevê mil a cada ano até completar 4 mil unidades. Cada equipamento deve custar entre R$ 300 e R$ 400. Após o contrato firmado, a Susepe realizará encontro com Judiciário e Ministério Público para definir quais os presos que poderão usar as tornozeleiras e de que forma elas serão utilizadas. O Rio Grande do Sul tem mais de 1,4 mil apenados do regime aberto e 6,3 mil do semiaberto. No ano passado, foi firmado um contrato emergencial com empresa que forneceu os equipamentos. Cerca de 260 detentos do regime aberto foram monitorados. O contrato terminou em fevereiro deste ano, e a Susepe considerou positivo o monitoramento eletrônico. Nenhum preso tentou romper o equipamento, no entanto, há casos de crimes praticados com o uso do equipamento. Detento vendia crack usando a tornozeleira No início desta semana, imagens gravadas pelo Ministério Público (MP) e divulgadas em Zero Hora mostraram que o monitoramento eletrônico de presos fora de albergues não é suficiente para conter a criminalidade. Ao investigar traficantes em boca de fumo no Vale do Sinos, uma equipe de policiais que trabalha com o MP deparou com uma situação inusitada: um jovem detento do regime aberto, usando tornozeleira, vendendo crack, em São Leopoldo. O flagrante ocorreu em fevereiro

PARCERIA PÚBLICO PRIVADA NO SISTEMA PENAL TERÁ 3000 VAGAS PRISIONAIS

PARCERIA PÚBLICO PRIVADA NO SISTEMA PENAL TERÁ 3000 VAGAS PRISIONAIS O projeto desenvolvido foi estruturado sobre alguns princípios. O primeiro é a necessidade de uma gestão profissional de unidades penitenciárias, de modo a imprimir conceitos de qualidade e eficiência na custódia do indivíduo infrator, promovendo a efetiva ressocialização do detento. O segundo é a importância de controle e transparência, indispensável na execução da política de segurança pública. O terceiro é a relevância de padrões contratuais que incentivem a cooperação entre o setor público e privado para que os ganhos de eficiência possam ser efetivamente verificados e que níveis adequados de retorno sejam garantidos, tanto ao operador quanto ao investidor. Não há precedentes de trabalhos como este no Brasil, o que demandou um considerável processo de planejamento e estruturação contratual. Em linhas gerais, o setor privado terá autonomia para realizar adaptações no projeto arquitetônico especificado, construirá e operará os serviços de manutenção e de assistência ao detento. O projeto prevê a disponibilização de 3000 vagas prisionais por um prazo de 25 anos. Dentre os serviços que devem ser prestados pelo Parceiro Privado incluem-se: »Serviços de atenção médica de baixa complexidade interna ao estabelecimento penal; »Serviços de educação básica e média aos internos; »Serviços de treinamento profissional e cursos profissionalizantes; »Serviços de recreação esportiva; »Serviços de alimentação; »Assistência jurídica e psicológica; »Os serviços de vigilância interna; »Os serviços de gestão do trabalho de preso. O Poder Público permanece responsável pelas atividades de segurança armada nas muralhas e pela segurança externa à unidade, bem como pela supervisão, controle e monitoramento de todas as atividades. O diretor de segurança também permanece como um agente governamental e tem exclusivamente as responsabilidades de monitorar e supervisionar os padrões de segurança da unidade, além e de aplicar eventuais sanções administrativas aos internos. O governo do Estado também se responsabiliza por administrar as transferências de internos relacionadas à unidade, vedada expressamente qualquer forma superlotação. A remuneração do parceiro privado será vinculada à disponibilidade da vaga prisional e aos indicadores de desempenho dos serviços prestados. Os indicadores compreendem medições das atividades de assistência e apoio ao interno, bem como dos padrões de segurança praticados. Dentre os indicadores que foram definidos estão: »O número de fugas; »O número de rebeliões e/ou motins; »O nível educacional dos internos; »A proporção dos internos que trabalham; »A quantidade e qualidade dos serviços de saúde prestados; »A quantidade e qualidade da assistência jurídica e psicológica aos internos. Fonte: Site Governamental da Parceria Público Privada de Minas Gerais

sexta-feira, 13 de maio de 2011

VEJA NA PAG DE COMETÁRIOS FOTOS

para vc ir para pag de comentários , clique em início na barra preta com inscrita azul la em cima.

Coordenação Nacional convida entidades da categoria para audiência de segurança

para vc ir para pag de comentários , clique em início na barra preta com inscrita azul la em cima. Coordenação Nacional convida entidades da categoria para audiência de segurança pública Publicado por Daniel em 13/5/2011 (12 leituras) A audiência pública acontece no próximo dia 31 em Brasília-DF. Carlos Vitolo Assessor de imprensa do Sindasp-SP com informações da Câmara No próximo dia 31 acontece em Brasília-DF uma audiência pública na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, onde será discutido a proposta que estabelece piso salarial nacional para policiais e bombeiros dos estados. A audiência foi sugerida pela deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC); pelo autor da PEC 300, deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP); e pelo deputado Delegado Protógenes (PCdoB-SP). Os parlamentares também propõem que 31 de maio se torne o Dia da Valorização dos Profissionais da Segurança Pública. O diretor de Comunicação da Coordenação Nacional da Categoria, Daniel Grandolfo, convida todos os servidores e instituições da categoria dos agentes de segurança penitenciária do Brasil para estarem presentes em Brasília. O motivo do convite de Grandolfo à categoria, é que, na oportunidade, em 31 de maio, também haverá debate sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 308/04, que cria a Polícia Penal, além de outras PECs da área de segurança pública. Entre os convidados para a audiência estão o ex-deputado federal Capitão Assumção, líder do movimento pela aprovação PEC 300/08; o ex-deputado federal Major Fábio, que foi relator na comissão especial que analisou a PEC; e o ex-deputado federal Paes de Lira, que foi 1º vice-presidente dessa comissão. Direitos reservados. É permitida a reprodução da reportagem em meios impressos e eletrônicos, somente com a citação do crédito do jornalista e da Instituição Sindasp-SP (sob pena da Lei 9.610/1998, direitos autorais).
estamos às voltas com o PLANO DE ARMAS DA PMMG Veremos a seguir, que isso não se trata de uma simples escolha – uma vez que a necessidade de uso e as aplicações técnicas de ambos os calibres sobressaem o gosto pessoal do usuário. Tire sua conclusões. CALIBRE.380 PerformanceO .380 ACP é compacto e leve, mas de curto alcance e de poder de parada baixo. Ainda assim, continua sendo um calibre popular de defesa pessoal para atiradores que querem uma pistola leve com recuo controlável. É um pouco menos poderoso do que um .38 Special com carga padrão. O .380 tem tido um recente ganho em popularidade devido ao surgimento de pistolas extremamente compactas e leves no calibre. ATINGIDO POR UM TIRO DE .380 AINDA PODE RESISTIR. PISTOLA CALIBRE .380 CALIBRE. 40 Trata-se de armamento leve, de fácil transporte, porém seu manuseio requer alguns cuidados por parte de seu portador, pois a má utilização pode gerar conseqüências danosas. Uma das vantagens reconhecidas nesse poderoso calibre é o “Stopping Power” – termo que teve origem no final do século XIX, para expressar a capacidade de um determinado projétil em neutralizar um agressor, pondo-o fora de combate, sem necessariamente matá-lo. Ao contrário do calibre .380 ACP, a .40 amplia o poder destrutivo em tecido humano, causando hemorragias e um efeito psicológico tremendo no alvo. Essa munição foi testada em bovinos vivos e em cadáveres humanos, registrando-se os efeitos observados. Nos cadáveres, suspensos no ar, era observada a capacidade de um projétil de fraturar ossos e de transferir energia, mostrada pela oscilação dos corpos pendentes. Nos animais, pretendiam ver o poder de incapacitação proporcionado pelos diferentes calibres. Pelos resultados desse teste, verificou-se que o calibre .40 S&W apresenta um desempenho excelente, superior a qualquer coisa alcançada pelos antigos calibres permitidos no Brasil (.38 SPL e .380 ACP) e até por algumas munições 9 mm e .45 ACP. VANTAGEM DA .380 Essa munição foi testada em bovinos vivos e em cadáveres humanos, registrando-se os efeitos observados. Nos cadáveres, suspensos no ar, era observada a capacidade de um projétil de fraturar ossos e de transferir energia, mostrada pela oscilação dos corpos pendentes. Nos animais, pretendiam ver o poder de incapacitação proporcionado pelos diferentes calibres. Pelos resultados desse teste, verificou-se que o calibre .40 S&W apresenta um desempenho excelente, superior a qualquer coisa alcançada pelos antigos calibres permitidos no Brasil (.38 SPL e .380 ACP) e até por algumas munições 9 mm e .45 ACP. Muitos defendem o uso do 380, principalmente, ao se confrontar com elementos perigosos, no interior de veículos, por exemplo. O calibre perfurante atravessa a chapa e vai buscar o oponente, até mesmo se tiver escondido debaixo do

Anistia Internacional critica violência da polícia do Brasil

PITANGUI - PSS Nº 022/2011 (INSCRIÇÕES ABERTAS)

PITANGUI - PSS Nº 022/2011 (INSCRIÇÕES ABERTAS) 12.05.11 - Instrumento Convocatório PSS Nº 022/2011 PITANGUI 12.05.11 - ANEXO I - Ficha de Inscrição - CLIQUE AQUI PARA EFETUAR SUA INSCRIÇÃO 12.05.11 - ANEXO II - Critérios de Pontuação - Análise Curricular 12.05.11 - ANEXO III - Termo de Desistência 12.05.11 - ANEXO IV – CRONOGRAMA – PITANGUI 12.05.11 - ANEXO V - Requerimento de Devolução da Avaliação Psicológica 12.05.11 - ANEXO VI - Requerimento de Recurso contra Avaliação Psicológica 12.05.11 - ANEXO VII - Requerimento Recurso contrao Resultado da Análise de Currículos, Gabarito, TI e Outros a especificar

Adesão á Greve da Polícia Civil é praticamente 100%

Adesão á Greve da Polícia Civil é praticamente 100% SINDPOL/MG e Adepolc informam ao Chefe de Polícia que a adesão à greve é praticamente 100% Nesta quarta-feira (11/05), em reunião com o Chefe de Polícia, Dr. Jairo Lellis, o presidente do SINDPOL/MG, Denílson Martins, o Secretário Geral, Cláudio de Souza e o Diretor da Adepolc, Dr. Miguel, informaram que a adesão a greve lícita, de 50% das atividades, é de praticamente 100% em todo o Estado. Nesta reunião, os dirigentes também ponderaram com o Chefe a necessidade de que não haja excessos por parte da Chefia e seus coordenados, para com aqueles que estão aderindo a greve, dispensando 50% de atendimento à população e cumprindo as diretrizes da cartilha orientada pelo sindicato. Principalmente no tocante aos policiais que decidiram não participar das reuniões do IGESP, por entenderem ser tal procedimento legítimo em virtude da decretação da greve. O presidente do SINDPOL/MG também ressaltou que a orientação e o monitoramento em todo o Estado é de que o funcionamento das unidades sigam o que está disponibilizado na cartilha do sindicato, devidamente em conformidade com o disposto na lei 7783/89, priorizando os serviços inadiáveis e essenciais

quarta-feira, 11 de maio de 2011

.Polícia faz primeira apreensão de oxi em Minas Gerais

Policial de MG atira em adolescente após mãe ameaçar denunciar operação à imprensa

Advogado é flagrado ao entregar partes de celular a presos em SP

Advogado é flagrado ao entregar partes de celular a presos em SP Plantão | Publicada em 11/05/2011 às 07h32m Bom Dia S.Paulo, TVTEM Comente Comentários SÃO PAULO - Um advogado de 26 anos foi flagrado nesta terça-feira quando entregava partes de celulares para presos no Centro de Detenção Provisória de Sorocaba, a 97 km da capital paulista. As peças passaram pelo detector de metais, mas foram vistas por carcereiros. O advogado Carlos Eduardo de Faria foi detido e encaminhado para a Delegacia de Investigações Gerais, onde prestou depoimento. As peças foram entregues no parlatório. O advogado escondeu placas e baterias no sapato, para não ser descoberto no detector de metais. Segundo funcionários do presídio, os celulares seriam entregues a dois clientes dele. O advogado negou o crime. O depoimento foi acompanhado por um representante da Ordem dos Advogados do Brasil, que deve abrir um procedimento para investigar a atuação do profissional. O advogado vai responder inquérito em liberdade por entrar com aparelho telefônico em estabelecimento prisional e a pena varia de três meses a um ano. Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cidades/sp/mat/2011/05/11/advogado-flagrado-ao-entregar-partes-de-celular-presos-em-sp-924431633.asp#ixzz1M31pP01w © 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A

Dez reeducandos serram as grades e fogem de presídio em Alagoas

Dez reeducandos serram as grades e fogem de presídio em Alagoas Plantão | Publicada em 10/05/2011 às 15h42m Gazetaweb Comente Comentários MACEIÓ - Dez reeducandos fugiram do presídio Desembargador Luiz Oliveira, em Arapiraca, Alagoas, na madrugada desta terça-feira. Os criminosos serraram as grades de duas celas e escaparam pela frente do presídio. Equipes da Radiopatrulha e do Pelotão de Operações Policiais Especiais (Pelopes) efetuam rondas em busca dos foragidos. Segundo a administração, os criminosos estavam no módulo especial 3, que contém quatro celas, e conseguiram serrar uma delas, além do cadeado da outra. Em seguida, através de um corredor, saíram pela frente do presídio, em um único espaço que não possui cerca elétrica. A administração informou que 10 agentes penitenciários estavam de plantão no momento da evasão, mas nenhum deles no caminho utilizado pelos detentos para fugir. A instituição informou que vai apurar se houve negligência por parte dos funcionários e não descarta a possibilidade de que os fugitivos tenham recebido ajuda de detentos de regime semi-aberto. Segundo a 3ª Companhia Independente da PM, os nomes dos fugitivos são Ribamar Pereira Almeida, José Carlos Valdevino, Adriano Pereira da Silva, José Jorge da Silva, José Roberto da Silva, Ita Cassiano dos Anjos, José Daniel Monteiro Cavalcante, Marcos Alves de Oliveira, Alexandro Souza dos Santos e Claudisio Alves Silva. Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cidades/mat/2011/05/10/dez-reeducandos-serram-as-grades-fogem-de-presidio-em-alagoas-924426446.asp#ixzz1M33fmfBD © 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Postado por asp-2011 às Quarta-feira, Maio 11, 2011 0 comentários Enviar por e-mail BlogThis! Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Compartilhar no orkut Compartilhar no Google Buzz Links para esta postagem Reações: Doze presos fogem de colônia penal em Rondônia Plantão | Publicada em 10/05/2011 às 19h52m Portal Amazônia, com Informações da TV Rondônia Comente Comentários PORTO VELHO - Doze presos da Colônia Penal Agrícola Ênio Pinheiro fugiram, na madrugada desta terça-feira, em Porto Velho. Os detentos saíram por uma cela improvisada e desapareceram no matagal que cerca a unidade. De acordo com agentes penitenciários, outros cinco presos fugiram da mesma forma, na semana passada. Os foragidos são Edineudo Lisboa Brito, João Paulo da Silva Reis, Moisés Freire dos Santos, Dionatan Brito, Eduardo Nazareno Nascimento, Elivaldo Ramos de Araújo, Estevam Nogueira Santos, Fábio Furtado do Nascimento, Francisco Nascimento de Almeida, Jefren Oliveira Constâncio, Jerson Teixeira dos Santos e Luiz Carlos Saraiva da Costa. A TV Rondônia denunciou as condições da Colônia Penal em uma reportagem no dia 14 de fevereiro deste ano. Na ocasião, agentes penitenciários relataram insegurança e a falta de condições da unidade em receber novos presos. Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cidades/mat/2011/05/10/doze-presos-fogem-de-colonia-penal-em-rondonia-924430187.asp#ixzz1M33C9vpo © 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

O primeiro dia de greve da Polícia Civil, ocorrido nesta quarta-feira, 10 de maio,

O primeiro dia de greve da Polícia Civil, ocorrido nesta quarta-feira, 10 de maio, contou com a adesão de 100% do efetivo em Juiz de Fora e de outras cidades da Zona da Mata. De acordo com o Diretor do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil Regional Zona da Mara (SINDPOL), Marcelo Armstrong, a categoria esta aberta ao diálogo e espera receber algum tipo de retorno às reivindicações, por parte do governo do Estado, durante esta semana. O Diretor criticou o concurso para policiais civis, anunciado na última semana pelo governo. “abrir vagas pra 144 delegados e 220 escrivães é insignificante e insuficiente diante da nossa realidade”. Ele lembra que, em Minas Gerais, há mais de 500 municípios sem delegados. “Além disso, segundo balanço divulgado no mês de abril, mais de mil policiais civis serão aposentados neste ano. Por isso há necessidade de ampliação urgente das vagas”. Em Juiz de Fora o número de policiais civis é de aproximadamente 200, quando o ideal seriam 500. Além da necessidade de contratação de novos servidores com a abertura de concursos públicos, a categoria busca melhorias salariais e melhores condições de trabalho. Em Minas Gerais, o salário bruto dos delegados equivale a R$5,7 mil. Enquanto isso, no Rio de Janeiro, o salário é de R$17 mil. Durante a greve, devem ser mantidos 0% dos serviços considerados essenciais, contudo, sendo disponibilizados 50% dos serviços, como flagrantes, alvarás de solturas, prisão, remoção de cadáver, entre outros. Atos Neste primeiro dia de paralisação, policiais civis panfletaram em diversas regiões da cidade, a fim de apresentar à população os motivos da greve. “continuaremos com os atos públicos ao longo de toda a semana”. Fonte: www.acessa.com Postado por asp-2011 às Quarta-feira, Maio 11, 2011 0 comentários Enviar por e-mail BlogThis! Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Compartilhar no orkut Compartilhar no Google Buzz Links para esta postagem Reações:

terça-feira, 10 de maio de 2011

Instrumento Convocatório PSS Nº 020/2011 – UBERLÂNDIA - SUASE

PSS Nº 020/2011 UBERLÂNDIA - SUASE (Inscrições abertas) 09.05.11 - Instrumento Convocatório PSS Nº 020/2011 – UBERLÂNDIA - SUASE 09.05.11 - ANEXO I - Ficha de Inscrição - CLIQUE AQUI PARA EFETUAR SUA INSCRIÇÃO 09.05.11- ANEXO II - Critérios de Pontuação - Análise Curricular 09.05.11- ANEXO III - Termo de Desistência 09.05.11 - ANEXO IV - CRONOGRAMA –UBERLÃNDIA - SUASE 09.05.11 - ANEXO V - Requerimento de Devoluçãoda Avaliação Psicológica 09.05.11 - ANEXO VI - Requerimento de Recurso contra Avaliação Psicológica 09.05.11 - ANEXO VII -Requerimento Recurso contra o Resultado da Análise de Currículos,Gabarito, TI e Outros a especificar https://www.seds.mg.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=1319&Itemid=343

MANGA - PSS Nº 021/2011 (Inscrições abertas)

MANGA - PSS Nº 021/2011 (Inscrições abertas) 09.05.11 - Instrumento Convocatório PSS Nº 021/2011 MANGA 09.05.11 - ANEXO I - Ficha de Inscrição - CLIQUE AQUI PARA EFETUAR SUA INSCRIÇÃO 09.05.11 - ANEXO II - Critérios de Pontuação - Análise Curricular 09.05.11 - ANEXO III - Termo de Desistência 09.05.11 - ANEXO IV - CRONOGRAMA - MANGA 09.05.11- ANEXO V - Requerimento de Devolução da Avaliação Psicológica 09.05.11 - ANEXO VI - Requerimento de Recurso contra Avaliação Psicológica 09.05.11 - ANEXO VII - Requerimento Recurso contra o Resultado da Análise de Currículos, Gabarito, TI e Outrosa especificar COPIE E COLE NA URL https://www.seds.mg.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=1318&Itemid=342

lacraia morre , SERÁ QUE FOI POR CAUSA DE BIN LADEM ?????MORRER

Polícia apreende mil pedras de oxi em São Paulo

Estelionatários dão golpe da venda armas

Estelionatários dão golpe da venda de armas na internet, diz polícia do Rio Policiais admitem tráfico de armas na web; ilegalidade e anonimato dificultam combate Do R7 | 10/05/2011 às 05h56 .. Revólver 38 é oferecido na internet por R$ 1.200. .Publicidade ...A oferta de revólveres, pistolas, rifles e até de fuzis na internet esconde de irregularidades - como venda de armamento de origem desconhecida e sem autorização - a ações de estelionato. Quem cogita comprar uma arma de fogo pela web tem hoje grandes chances de cair nas mãos de golpistas, que vendem o produto, mas não entregam a encomenda. Para a polícia, enganar interessados na compra de armamento é um crime quase perfeito. Realengo: parentes reclamam da facilidade na aquisição de armas Governo lança campanha de desarmamento no Rio Isso porque as vítimas não procuram a polícia para denunciar o golpe por temerem ser responsabilizadas criminalmente, segundo explica a delegada Ellen Sardenberg, titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, da Polícia Civil do Rio de Janeiro. - Isso é o mais comum: pessoas que são enganadas por estelionatários e não registram o caso, já que pretendiam comprar uma arma sem autorização. O que também é crime. Mas existe o outro lado, das pessoas que têm porte de arma e que podem comprá-las de forma legal, registradas, desde que sejam nacionais e de calibre permitido. Nesses casos, a venda pela internet é legal. Ellen informa que a delegacia mantém, de modo permanente, uma ronda virtual para coibir crimes. - Em cada turno, um policial fica exclusivamente vasculhando a internet em busca de criminosos. Como não temos como vasculhar toda a rede, damos prioridade para os principais casos, acessados por um número grande de pessoas. Confira também Saiba o que você precisa fazer para entregar sua arma Governo lança campanha e prevê gastar R$ 10 milhões com entrega de armas Mãe de criança morta em Realengo destrói arma em abertura de campanha... Tráfico na internet Por outro lado, a rede também é usada por traficantes de armas. Em fóruns de internet, usuários chegam a discutir com vendedores golpistas por não entregarem a encomenda e indicam vendedores que cumprem a negociação até o fim. Em site apontado como confiável por internautas, a reportagem do R7 verificou a existência de oferta de pistolas calibres 380 e 9 mm por R$ 1.000. A mais cara é uma Glock, oferecida por R$ 2.000. Na mesma página, são oferecidos rifles e até um fuzil AK-47 - nesse caso, os valores são negociados por meio de uma conta de e-mail do suposto traficante de armas. A polícia confirma que muitos traficantes de armas usam a internet para vender mercadorias, incluindo munições, coletes à prova de bala e carregadores, como os usados pelo atirador Wellington Menezes de Oliveira, que invadiu em 7 de abril a Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, zona oeste do Rio, e matou 12 estudantes. Entretanto, segundo a delegada Ellen, armas compradas pela internet representam a minoria entre aquelas que estão nas mãos de criminosos. O delegado Anderson Bichara, da Delegacia de Repressão ao Tráfico de Armas, da Polícia Federal, diz que a maior parte dos inquéritos sobre venda de armas pela internet é composta por estelionatários, que anunciam as armas, mas não entregam. De acordo com Bichara, a maior parte das armas apreendidas tem origem regular. Muitas foram desviadas de unidades policiais e, principalmente, de empresas de segurança privada, ou são roubadas dos proprietários. O porte de armas é permitido mediante autorização da PF que leva em consideração requisitos, como ser maior de 25 anos, provar a necessidade, tirar certidões negativas na Justiça Federal e Estadual, além de ser aprovado em exames psicológicos feitos por médicos credenciados pela PF. - É preciso lembrar que a concessão do porte é um ato discricionário, ou seja, a Polícia Federal tem o poder de conceder ou não, independentemente de o interessado preencher os requisitos. Revólver por R$ 1.200 e munição a R$ 145 O R7 entrou em contato pela internet com três supostos vendedores de armas a partir de uma simples busca. Dois deles responderam ao falso pedido de compra de revólver. É importante ressaltar que a simulação de negociação não foi concluída e que a investigação tinha fins jornalísticos. Um dos negociadores mandou fotos da arma e forneceu detalhes surpreendentes. O homem, que disse ser do Espírito Santo, informou ser representante de uma fabricante de armas. Ele ofereceu um revólver calibre 38 modelo Ultra Lite, conhecido como Bulldog, por R$ 1.200. O suposto vendedor disse ter o mesmo modelo de arma nas cores preta e prata e que custaria R$ 70 a mais, caso o envio do revólver fosse feito por uma transportadora. Perguntado sobre a possibilidade de a carga ser descoberta, ele demonstrou tranquilidade e alegou que a arma seria enviada como material de informática. Segundo ele, a transportadora não possui aparelho de raio-X. Segundo o mesmo suspeito, o Rio de Janeiro é o principal destino das armas vendidas por ele, que citou regiões como Cabuçu, na Baixada Fluminense, Niterói, na região metropolitana, e Santa Cruz, na zona oeste do Rio. Sobre a garantia do serviço, o vendedor disse: “meu amigo, é tão garantido que, se você quiser, eu emito nota fiscal para você. Mas, você terá que registrar a arma, entende?”. Além de armas, o suposto vendedor também diz vender munição. Uma caixa com 50 munições para calibre 38 sai a R$ 145

Sobe para onze o número de ônibus atacados em Belo Horizonte (MG)

As inscrições para os Cursos do SENASP começam a meia noite de amanhã, dia 10 (terça-

As inscrições para os Cursos do SENASP começam a meia noite de amanhã, dia 10 (terça-feira) e vão até o dia 14 (sábado). Como ocorrido nos últimos ciclos, as inscrições serão realizadas em duas etapas. 1. de 10 a 12 de maio - Inscrições em apenas UM curso. 2. 13 e 14 de maio - Será permitida, aos candidatos já inscritos, a realização de uma segunda inscrição em outro curso, (caso não tenha alcançado a meta de 200.000 inscrições na primeira etapa) afim de completar as vagas disponíveis. O início das aulas está previsto para o dia 07 de junho. O ciclo 22 da rede EAD/SENASP oferece quatro novos cursos (Inglês 1, Identificação Veicular, Invetigação de Estupro e Ocorrências envolvendo Bombas e Explosivos) para que os policiais e bombeiros militares, policiais civis, agentes penitenciários e guardas municipais prossigam com a capacitação profissional. Para realizar as inscrições

blogs

Segurança Pública do Pará terá faculdade e concursos

rá terá a primeira Faculdade de Segurança Pública da América Latina Concurso para toda área policial também está na pauta. Edital até julho/2011, com 1.060 vagas para a Polícia Militar e 450 para a Polícia Civil, sendo 50 vagas para Delegados. 04/05/11 Uma iniciativa inédita no Brasil e na América-Latina. Ao transformar o Instituto de Ensino de Segurança do Pará (Iesp) em Faculdade, o governo do Estado será pioneiro ao criar a primeira instituição integrada de educação superior em segurança pública do continente. A ideia inovadora representa um ganho para os paraenses, que passarão a contar com uma polícia cada vez mais titulada e preparada para combater os diversos estilos de criminalidade. O Iesp, que atende mais de sete órgãos estaduais, é referência nos estados do Norte e do Nordeste. Ele capacita cerca de 1.500 profissionais ao ano. Em 2011, a previsão é que esse número passe a alcançar dois mil formados anualmente. Além disso, a Agenda Mínima de Governo, lançada nos 100 dias de gestão do governador Simão Jatene, prevê a contratação de pelo menos quatro mil novos policiais até 2014. De acordo com o diretor do Iesp, coronel Carlos Emílio de Sousa Ferreira, com a criação da Faculdade, é possível que a meta seja superada antes do prazo final. “A transformação do instituto em faculdade representa a ampliação da oferta de cursos de graduação e a chance de oportunizar os profissionais da área a fazerem pesquisas de mestrado e doutorado em segurança pública”, ele ressalta. “Com uma produção acadêmica intensificada, o perfil da criminalidade e de políticas de prevenção viáveis a nível regional contra o crime estará mais bem delimitado, impactando diretamente nas ações práticas da polícia”, acrescentou o coronel. Prazos Se o cronograma de credenciamento da nova Faculdade de Ensino de Segurança do Pará for cumprido à risca, ainda no segundo semestre deste ano o processo de transição será iniciado. A proposta de mudança passa pelos últimos ajustes e será apreciada pelo Conselho Superior de Ensino, vinculado ao Ministério da Educação (MEC), e também pelo Conselho Estadual de Segurança. Com a aprovação do projeto por ambos, o documento precisa ser votado pelos deputados da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa). Por último, é finalmente autorizado pelo Conselho Estadual de Educação. O Iesp atualmente capacita, gradua e promove cursos de reciclagem para profissionais da Polícia Militar (PM), Polícia Civil (PC), Corpo de Bombeiros do Pará, Superintendência do Sistema Penal (Susipe), Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PA) e Instituto Médico Legal (IML). O instituto faz a formação também de agentes de segurança pública de outras unidades federativas brasileiras, a exemplo do Maranhão (MA), Rondônia (RO), Paraíba (PB) e Amapá (AP) e até do Distrito Federal (DF), da região Centro-Oeste do país. Segurança O processo conversão do Iesp para Faculdade de Ensino de Segurança do Pará será todo gerenciado pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup). O titular da pasta, Luiz Fernandes Rocha, explica que este é um passo importante para a integração dos órgãos de segurança pública do Estado. “A contribuição da faculdade será tornar as polícias capacitadas tanto para as investigações criminais, função de maior afinidade da PC, quanto para o planejamento estratégico, parte fundamental da formação da PM”, destacou. Com a realização de um Processo Seletivo nos moldes do Vestibular, uma das propostas em avaliação é oferecer um curso de tecnólogo em segurança pública para a formação de delegados da PC e oficiais da PM. Após o período, os profissionais deverão aprender disciplinas específicas das respectivas carreiras. “A qualificação dos profissionais da segurança pública é uma meta que priorizamos. Neste concurso público que vamos lançar, por exemplo, vamos exigir que os soldados tenham pelo menos nível médio”, ilustrou o secretário. O edital deste concurso, outra medida do governo do Estado para aprimorar o sistema de segurança regional, deverá ser lançado até o mês de julho para a contratação de 1.000 soldados, 60 oficiais, 200 escrivães, 200 investigadores e 50 delegados de polícia. Fonte: Secom - Agência Pará Leia mais: http://concursopolicial.blogspot.com/#ixzz1Lx78AUmi

Sexo frágil? Não!

Sexo frágil? Não! Elas são mães, esposas, donas de casa e profissionais. No Brasil, existe um total de 11.596 policiais federais, sendo que 10.022 são homens e 1.574 são mulheres. Apesar de ainda ser a minoria entre os homens, as policiais federais conquistaram com competência, perseverança e profissionalismo o seu lugar na instituição. As dificuldades são muitas, mas elas não reclamam e se doam à profissão com muito empenho. “Ser policial federal é exercer uma das mais belas profissões em que doamos nossos dias e noites, muitos feriados e festas. Sacrificamos o convívio com aqueles que amamos para fazer do Brasil um país melhor”, conta Bibiana Orsi, policial federal há três anos e delegada sindical do Sindicato dos Policiais Federais no Paraná (SINPEF-PR). Na turma formada em 1979, o número de mulheres não chegava a dez. No último curso de formação, participaram 516 homens e 65 mulheres. Muitas policiais já estão nas fronteiras do país e, desde 2006, uma policial já está lotada no Comando de Operações Táticas (COT). As policiais levam uma vida corrida e agitada, e mesmo assim procuram conciliar a vida profissional e a pessoal para que tudo fique em perfeita sintonia. “As mulheres têm a capacidade de realizar múltiplas tarefas ao mesmo tempo. Temos que organizar com antecedência a casa, sabendo que vamos ter de sair para uma operação policial que pode durar um, dois ou mais dias. Também temos que deixar tudo em ordem para que as coisas não desandem quando não estivermos presente”, diz EPF Márcia Valéria Brito, policial federal há sete anos. Dificuldades O preconceito é um dos motivos de luta das policiais federais. E, segundo algumas, o problema é interno. “O preconceito existe mesmo é dentro da instituição, fora dela é praticamente inexistente”, afirma EPF Márcia, que, há alguns anos, foi vítima de assédio moral (veja aqui). “Embora não possa ser provado, grande parte dos procedimentos espúrios que sofri, deveu-se também ao fato de eu ser mulher e não reagir prontamente às agressões”, conta. Assim que entrou na Polícia Federal, há mais de 20 anos, Rejane Peres Teixeira, atual presidenta do Sindicato dos Policiais Federais no Estado da Bahia (Sindipol-BA), notou que havia muita resistência dos superiores em colocar as mulheres para atuar na área operacional. “As policiais ficavam mais na secretaria”. Para Bibiana, desde a aprovação no concurso as mulheres são discriminadas. “A prova física fere a isonomia entre homens e mulheres. O número de reprovação é mais alto do que o dos homens, não por incapacidade, e sim, porque é praticamente impossível, com a nossa fisiologia, alcançar índices propostos com base no corpo de um homem”, avalia. Quando passam no concurso, as aprovadas encontram professores preconceituosos na Academia Nacional de Polícia (ANP). Nas lotações, há uma “cota velada” de mulheres para cada núcleo. “Não importa a capacitação de uma mulher, nós somos `distribuídas` entre os setores e equipes para não ‘prejudicá-los’ nas operações”, relata a APF Bibiana. Outra dificuldade é a falta de colete feminino. “Os coletes são todos enormes, desconfortáveis, com tamanho e peso inadequados para as mulheres”, reclama a EPF Márcia. Sexo frágil? Não! Em muitas atividades realizadas na Polícia Federal, as mulheres têm o desempenho igual, ou melhor, ao dos homens. “Ninguém é bom em tudo. Uns são bons em algumas atividades e outros são bons em outras”, pondera Rejane Peres, medalhista de tiro e considerada uma das melhores atiradoras do DPF. Outra que se destaca em competições de tiro é a APF Bibiana, que já ganhou quatro medalhas na última edição dos Jogos de Integração dos Servidores da Polícia Federal (JOIDS), realizada em Fortaleza. Ela também já conquistou diversas medalhas em outras competições da Federação Paranaense de Tiro Esportivo. “Não queremos ser protegidas nem discriminadas. Queremos apenas ser respeitadas como policiais e mulheres que somos, que saem de casa todos os dias, deixando maridos e filhos, para lutar por uma sociedade melhor para todos”, diz a policial e sindicalizada Bibiana. Por amor aos filhos Depois de serem aprovadas em disputados concursos e alcançarem a tão sonhada profissão, as policiais federais, muitas vezes, deixam de trabalhar em um cargo que almejam, porém, considerado de risco, por amor aos filhos. “As colegas que têm filhos e tentam ser boas mães acabam tendo que abrir mão das atividades de investigação e operacionais para cumprir seu papel familiar”, conta Bibiana. Quando se tornam mães, algumas preferem ir para setor administrativo, setor de projeto, enfim, setores mais tranquilos, para montarem uma rotina e poderem ficar mais tempo com os filhos. Para APF Giovanna Callegari, que ingressou na instituição em 1988 e é mãe de um menino de seis anos, a vida de uma policial não difere muito de outras profissões. “A rotina é quase a mesma. Temos que levar o filho na escola, organizar a casa etc. Quando fica tudo muito corrido, recorremos à ajuda de amigos e familiares”. Outras policiais, mesmo após a maternidade, preferem continuar nas atividades operacionais. “Conheço policiais que continuam nas atividades de investigação e operacionais e, mesmo assim, conseguem conciliar a maternidade com o trabalho. É uma decisão pessoal de cada uma. Não existe o certo e o errado”, acredita Giovanna. Algumas delas sentem saudade da função que desempenhavam antes de ser mãe, mas não se arrependem, pois, além de não ser uma decisão definitiva, atribuem a um ato de amor pelos filhos. Leia mais: http://concursopolicial.blogspot.com/2011/05/sexo-fragil-nao.html#ixzz1Lx6KXsy7

Superintendência dos Serviços Penitenciários admitiu problema na Penitenciária de Charqueadas e promete mudanças para o segundo semestre deste ano

Destaques do 3º bloco: - Superintendência dos Serviços Penitenciários admitiu problema na Penitenciária de Charqueadas e promete mudanças para o segundo semestre deste ano - Moradores de Soledade estão preocupados com a construção de um albergue para apenados no perímetro urbano - Polícia registrou duas ocorrências envolvendo integrantes do Exército na segunda-feira - Estado registra alto índice de mortes entre motociclistas - No Grêmio, Vitor, Bruno Collaço e William Magrão estão liberados para jogar o Gre-Nal - No Inter, Falcão promete treinos em dois turnos até o Gre-Nal

SEGURANÇA MÁXIMA SÓ NO NOME

SEGURANÇA MÁXIMA SÓ NO NOME Teledomingo - Exclusivo: nossa equipe entrou na única cadeia de segurança máxima do Rio Grande do Sul, 8/5/2011 O programa revela as falhas e os problemas que envolvem uma penitenciária que deveria ser de alta segurança. - Detectores de metais estragados e imprecisos; - Farra de Celulares; - Monitoramento falho - inúmeras câmaras não funcionam; - Torres de vigilância sem guarda; - Ratos a céu aberto; - Antenas para captar sinais de tv; - Áreas abandonadas; - Consultórios médico, odontológico e ambulatório desativados - Problema de Saúde depende de transporte e retirada do preso da cadeia; - Segurança máxima só no nome.

DESCASO - TORNOZELEIRA NÃO IMPEDE APENADO DE TRAFICAR

DESCASO - TORNOZELEIRA NÃO IMPEDE APENADO DE TRAFICAR DESLEIXO COM A JUSTIÇA. Apenado com tornozeleira vendia crack a céu aberto. Imagens do MP gravadas em período de testes mostram traficante agindo alheio ao monitoramento - JOSÉ LUÍS COSTA, ZERO HORA 10/05/2011 Imagens gravadas pelo Ministério Público (MP) mostram que o monitoramento eletrônico de presos fora de albergues não é suficiente para conter a criminalidade. Ao investigar a ação de traficantes diante de uma boca de fumo no Vale do Sinos, uma equipe de policiais que trabalha com o MP deparou com uma situação inusitada: um jovem detento do regime aberto, usando tornozeleira, vendendo crack, despreocupadamente, no meio de uma rua de São Leopoldo. Usando a camiseta enrolada sobre o ombro, boné, chinelo e bermuda, com a tornozeleira à mostra para qualquer um ver, o rapaz caminha de um lado para o outro em frente a um ponto de drogas. Ao se aproximar um usuário, ele acerta o pagamento, pega uma porção de crack com um comparsa em um carro com as portas abertas e entrega ao comprador. Tudo isso à luz do dia, diante de crianças. O episódio foi flagrado por volta das 16h de 11 de fevereiro. Cumprindo pena por assalto em regime aberto, o apenado de 24 anos (o nome não foi revelado pelo MP) usava tornozeleira desde janeiro em caráter experimental. Dias depois o apenado voltou a ser preso, mas fugiu em 30 de abril e segue foragido. Pelo menos quatro apenados se envolveram em ocorrências usando tornozeleiras: dois por tráfico, uma fuga e uma tentativa de assalto. – Este é um exemplo que o sistema é falível – lamenta o promotor Eduardo Coral Viegas, da Promotoria Criminal de São Leopoldo, que coordenou uma cruzada contra as drogas na cidade, resultando na prisão de 21 traficantes e a apreensão de 18 quilos de cocaína no mês passado. Viegas considera a tornozeleira um excelente método de controle de apenados somente para aqueles com direito legal de trabalho externo ou saídas temporárias. – Mas só o equipamento não vai resolver. É preciso fiscalização humana para conferir se, de fato, o apenado está trabalhando. Ele pode ter informado esse ponto de droga como uma oficina mecânica, uma lavagem de carros, uma padaria – ressalta. A divulgação das imagens coincidem com o momento em que a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) está lançando um edital para adquirir, por meio de locação, até 4 mil tornozeleiras nos próximos quatro anos. A Vara de Execuções Criminais (VEC) de Porto Alegre já se manifestou favorável ao uso do equipamento em presos do semiaberto durante saídas do albergue autorizadas pela Justiça. De acordo com a Susepe, a fiscalização de apenados nas ruas com tornozeleiras será reforçada, podendo ocorrer em parceria com a Brigada Militar. Policiais filmaram as atividades de uma boca de fumo em São Leopoldo quando depararam com a cena inusitada. O uso da tornozeleira de monitoramento em nada constrange uma negociação de drogas a céu aberto, flagrada nas imagens. Confira o vídeo completo em www.zerohora.com. Em frente a uma boca de fumo na periferia de São Leopoldo, no Vale do Sinos, um apenado do regime aberto negocia pedras de crack com um comprador. Depois de pagar e receber a droga, que estava dentro de um carro com as portas abertas, o usuário pega o troco e deixa o local, guardando o dinheiro no bolso da bermuda. Após a venda, o apenado caminha pelo meio da rua. De bermuda, ele exibe despreocupadamente a tornozeleira para monitoramento eletrônico na perna direita. Dias depois ele foi preso, mas está foragido desde 30 de abril

Fugas e rebeliões constantes levam medo a vizinhos em Teófilo Otoni-MG

Fugas e rebeliões constantes levam medo a vizinhos em Teófilo Otoni-MG Neste ano houve cinco quebradeiras em Centro Socioeducativo de Teófilo Otoni Daniel Antunes - Repórter Os moradores do Bairro São Jacinto, em Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, distante 450 quilômetros de Belo Horizonte, estão assustados com as constantes rebeliões e tentativas de fuga de menores do Centro Socioeducativo São Cosme, que quase sempre terminam em quebradeira. No mês passado, três menores fugiram do Centro São Cosme Somente na semana passada foram duas rebeliões. Em uma delas, seis pessoas foram mantidas reféns dos menores. No mês passado, três adolescentes fugiram da instituição depois da visita dos jogadores do América – time local que disputava a primeira divisão do Campeonato Mineiro. A suspeita é de que o pai de um dos envolvidos teria ajudado na fuga. Desde janeiro, os moradores contabilizam cinco rebeliões. “Não temos paz. É sempre uma quebradeira e ficamos preocupados com nossas famílias. O que fazer se um menor fugir e se esconder dentro de nossas casas?”, argumenta o comerciante Ananias Salomão, de 49 anos. Segundo ele, no último motim pediu que a filha não fosse para casa depois de sair da escola. “Não sabíamos o que poderia acontecer, então, com a minha filha longe dessa confusão, era um problema a menos na minha cabeça”, desabafa. Na terça-feira da semana passada os internos começaram uma rebelião após o fracasso de uma tentativa de fuga. Seis funcionários da instituição, cinco professoras e um agente foram feitos reféns. Sob ameaça de morte, os internos obrigaram os funcionários do Centro a deixarem o local. Parte dos adolescentes foi para o telhado do prédio. Um juiz e uma promotora da Vara da Infância e Juventude foram chamados para negociar com os internos. O motim foi contido após ação rápida do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), que invadiu o prédio. Os reféns foram liberados sem nenhum ferimento. Cerca de 12 mil pessoas moram no Bairro São Jacinto. Outro comerciante, que reside a menos de 200 metros da instituição e preferiu não se identificar por medo de represálias, disse que há seis anos, quando o centro de internação foi inaugurado, os moradores do entorno chegaram a promover um abaixo-assinado, pedindo a transferência da unidade para uma área menos habitada do município, já prevendo a tensão provocada por possíveis fugas e rebeliões. O vereador Gilson Dentista (PR) promete apresentar, ainda nesta semana, no plenário da Câmara Municipal, requerimento convocando a diretora da unidade, Maricélia Martins, para prestar esclarecimentos sobre o sistema de segurança no centro de internação. Em reunião, Maricélia Martins não falou sobre o assunto. A Secretaria de Estado de Defesa Social informou que não há projeto de mudança do Centro Socioeducativo e afirmou que o número de agentes é suficiente e atende a quantidade prevista nos normativos socioeducativos. Porém, o órgão não informou o número de pessoas que trabalham na segurança. A Subsecretaria de Atendimento às Medidas Socioeducativas designou uma equipe de agentes de segurança e um diretor de segurança de outra unidade socioeducativa para auxiliar a equipe diretiva do Centro de Teófilo Otoni na avaliação da situação, apuração de eventuais f

Mais um ônibus é destruído pelas chamas na Grande BH

Mais um ônibus é destruído pelas chamas na Grande BH Thiago Ricci - Repórter - Já chega a 11 o número de ônibus incendiados, nos últimos 15 dias, em Belo Horizonte e na Região Metropolitana de BH. Na madrugada desta terça-feira (10), um coletivo foi encontrado em chamas em Matozinhos, na Grande BH. Um ônibus que fazia o transporte de Matozinhos a Pedro Leopoldo para a Empresa Holcim estava estacionado no Bairro São Miguel. Segundo testemunhas, três homens invadiram o veículo e tentaram roubar o tacógrafo digital. O incêndio teria começado logo depois. As chamas estavam tão altas que atingiram a rede elétrica e causaram danos em uma residência e em um bar. Os suspeitos não foram encontrados pelos militares. Outros ônibus destruídos pelas chamas Desde o dia 26 de abril, onze ônibus foram destruídos pelo fogo. A data de início coincide com uma operação de varredura realizada pela Secretaria de Defesa Social na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem. A polícia nega a ligação entre os casos e ainda investiga se alguns ataques podem ser retaliação às apreensões feitas no presídio. Na madrugada de segunda-feira (9), um coletivo foi alvo de vandalismo no Bairro da Graça, Região Leste de Belo Horizonte. No mesmo dia, quatro ônibus foram destruídos pelas chamas dentro de uma garagem no Bairro Dom Cabral, Região Noroeste de BH. No dia 2 de maio, um coletivo foi atacado no Barreiro de Baixo, em Belo Horizonte. Na ocasião, o ato de vandalismo foi registrado pelas câmeras de segurança do veículo. No dia 27 de abril, dois ônibus foram incendiados em Belo Horizonte e Região Metropolitana. Em um dos coletivos atacados, na Região da Pampulha, foi deixada uma carta com ameaças. O outro veículo foi queimado em Vespasiano. No dia anterior, na terça-feira (26), um coletivo foi atacado em Contagem, na Grande BH, e outro, no Bairro Coqueiros, Região Noroeste de Belo Horizonte. Postado por Blog Notícia da Caserna às

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Juiz manda prender policiais grevistas

Juiz manda prender policiais grevistas Dom, 08 de Maio de 2011 23:59 O juiz José Braga Neto, da Vara de Execuções Penais, emitiu nesta sexta-feira, dia 6, uma nota oficial justificando o decreto que pôs fim a greve dos agentes penitenciários de Alagoas, que haviam paralisado as atividades na última segunda-feira (2). Segundo o magistrado, a decisão não foi tomada "com intuito de reprimir o direito de greve" e disse rechocer a necessidade da conseção do reajuste à categoria. De acordo com o decreto, os agentes que continuassem impedindo visitas e entrada de alimentos nas unidades prisionais seriam presos, além também da aplicação de multa de R$ 2 mil a cada servidor que gerasse indisciplina dentro do Sistema Prisional, bem como a proibição da entrada de grevistas nas unidades e retirada dos mesmos de dentro das unidades. Seriam presos também os policiais civis, militares e federais que colaborassem com a atividade dos grevistas. Para o Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindapen), a medida do magistrado foi uma afronta aos servidores. Confia abaixo a nota assinada pelo juiz: "Nos últimos dias foram vinculadas noticias na imprensa local à respeito da atuação deste magistrado, perante a greve dos agentes penitenciários do estado de alagoas, contudo algumas informações sofreram distorções, foram tomadas providências para manter a estabilidade no sistema prisional, uma vez que na última greve houve mortes dentro dos estabelecimentos prisionais. Portanto, as medidas que adotei não foram com o intuito de reprimir o direito de greve dos agentes penitenciários, muito menos determinando a paralisação do movimento grevista, reconheço que os mesmos merecem uma melhor remuneração, em virtude do estressante trabalho que eles desenvolvem, mas sim com o intuito de assegurar a estabilidade no sistema penitenciário. Detalho abaixo as medidas, que tomei para garantir a estabilidade do sistema prisional de alagoas: 1. Que todos os agentes penitenciários que aderirem a greve sejam impedidos de adentrar no presídio, bem como os que tiverem no interior do sistema sejam retirados das unidades prisionais; 2. Fica estipulada uma multa diária no valor de R$ 2.000,00 (dois mil reais) a ser aplicada ao agente penitenciário que promover a indisciplina no interior das unidades prisionais; 3. O agente penitenciário que impedir a entrada de alimentos trazidos por familiares de internos, bem como impedir as visitas, sejam devidamente autuados em flagrante delito; 4. Caso haja resistência a estas determinações as autoridades emanadas do SGAP ou a Polícia Militar devem prender em flagrante delito, encaminhando o detido à Central de Polícia para a lavratura do Auto de Prisão em flagrante. Maceió, 06 de maio de 2011. JOSÉ BRAGA NETO Juiz de Direito" Maceió Agora

Cinco ônibus são incendiados em menos de seis horas em Belo Horioznte (MG)pcc

Chega a dez o número de ônibus incendiados nas últimas semanas A Secretaria de Defesa Social ainda não confirma que os ataques sejam em retaliação a operações na Penitenciária Nelson Hungria Amanda Paixão - Repórter - 9/05/2011 - 08:58 Mais um ônibus foi alvo de vandalismo na madrugada desta segunda-feira (9) em Belo Horizonte. Desta vez, um suplementar da linha 82 foi incendiado no Bairro da Graça, Região Leste de Belo Horizonte. Ao todo, dez coletivos já foram incendiados nas últimas duas semanas em Belo Horizonte e Região Metropolitana se considerados os quatro coletivos destruídos dentro de uma empresa de ônibus, na noite de domingo (8). Segundo a Polícia Militar, o veículo estava estacionado em um posto de combustíveis, na Avenida Cristiano Machado esquina com Rua Jacuí. Por volta de 0h30, dois homens que estavam em uma motocicleta teriam jogado um líquido inflamável no veículo e, em seguida, colocaram fogo. Os suspeitos fugiram e ainda não foram localizados. As chamas destruíram todo o veículo e por sorte não atingiram as bombas de gasolina do posto, o que poderia ter causado uma tragédia maior. Ninguém ficou ferido. Ainda segundo a polícia, as câmeras do circuito de segurança podem ter filmado a ação dos criminosos. O caso vai ser investigado pela Polícia Civil. Mistério no incêndio em empresa de coletivos Na noite de domingo (8), quatro ônibus foram atingidos por um incêndio no estacionamento de uma empresa de transporte coletivo, no Bairro Dom Cabral, Região Noroeste de BH. As causas, ainda não conhecidas, devem ser esclarecidas por peritos que vão ao local na manhã desta segunda-feira. Outros ataques Na última segunda-feira (2), um coletivo foi atacado no Barreiro de Baixo, em Belo Horizonte. Na ocasião, o ato de vandalismo foi registrado pelas câmeras de segurança do veículo. No dia 27 de abril, dois ônibus foram incendiados em Belo Horizonte e Região Metropolitana. Em um dos coletivos atacados, na Região da Pampulha, foi deixada uma carta com ameaças. O outro veículo queimado aconteceu em Vespasiano.

galo vs raposa

SAIU O EDITAL DE PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA AGENTES PENITENCIÁRIOS TRABALHAREM NAS UNIDADES DA PPP.

SAIU O EDITAL DE PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA AGENTES PENITENCIÁRIOS TRABALHAREM NAS UNIDADES DA PPP. Foi publicado no site da SEDS, o Edital nº 01/2011-SRHU/SEDS de 06 de maio de 2011, processo seletivo interno para Agentes de Segurança Penitenciário para Unidades Prisionais de Parcerias Público Privadas – PPP. A Superintendente de Recursos Humanos da SEDS, Ana Costa Rego e o Superintendente de Segurança Prisional o Hamilton da Costa Mitre, no uso de suas atribuições legais e na forma da Lei, com objetivo de especializar o quadro funcional Agentes de Segurança Penitenciário para atuação nas Unidades Prisionais de Parcerias Publico-Privadas na região metropolitana de BH, resolve: estabelecer normas e critérios para a realização deste Processo Seletivo Interno, e torna pública a abertura de inscrições, respeitando os critérios a seguir relacionados. Fizemos um pequeno resumo do conteúdo do edital que poderá ser acessado na integra clicando no link : Acesso ao Edital DAS VAGAS: As vagas serão disponibilizadas para as Unidades de Parceria Público-Privadas situadas na região de Ribeirão das Neves, no totalde 350 (trezentas e cinquenta) vagas. DOS REQUISITOS BÁSICOS: O candidato deverá possuir os seguintes requisitos básicos para se candidatar ao Processo Seletivo Interno: a) Ser Agente de Segurança Penitenciário de Carreira, de que trata a Lei 14.695/2003; b) Ter experiência mínima de 02 (dois) anos completos no cargo ou função de Agente de Segurança Penitenciário, até 1º/08/2011,conforme declaração fornecida pela Diretoria de Benefícios, Pagamentos e Vantagens/SEDS. c) Estar lotado e exercendo o cargo em uma nas Unidades Prisionais da SUAPI. d) Não estar em gozo de LIP –Licença para tratar de Interesses Particulares; e) ter sido aprovado no Curso de Armamento e Tiro para Agentes de Segurança Penitenciário Efetivos da SUAPI. DA INSCRIÇÃO: As inscrições deverão ser realizadas na própria unidade a que pertencer o candidato, no período de 10 a 23/05/2011, através da intranet da SEDS, no link que será desenvolvido para este fim. As inscrições realizadas serão submetidas à avaliação da Diretoria de Benefícios, Pagamentos.

Agentes Penitenciários e Policiais militares prendem fugitivo da Penal

Este Blog Link daqui A web Este Blog Link daqui .A web . domingo, 8 de maio de 2011 Agentes Penitenciários e Policiais militares prendem fugitivo da Penal www.vozdonorte.com.br - Elson Costa - Fotos Neto Costa O reeducando Jardeson Ferreira Lima, mais conhecido por Piolho, fugiu da enfermaria da Unidade de Recuperação Social Manoel Neri, por volta de zero hora de ontem e foi localizado na manhã deste sábado, quando Agentes Penitenciários fizeram uma ronda de barco numa área em baixo das lojas do Beco do Mercado. Segundo o comandante da guarnição, Piolho, foi identificado por uma patrulha que fazia uma ronda de rotina no local denominado “Palha do Arroz”. Ao ser identificado evadiu-se do local, tomando rumo ignorado. Policiais militares e agentes penitenciários fizeram um cerco ao fugitivo e conseguiram encurralá-lo nas proximidades da Associação dos Moradores do bairro da Baixa, onde foi preso, encaminhado ao Hospital Regional do Juruá para Corpo Delito e em seguida à Penitenciária. “ Temos uma fragilidade estrutural na Unidade de Recuperação Social Manoel Neri e o detento conseguiu fugir da enfermaria quando estava recebendo atendimento. A guarnição tentou dete-lo, mas não conseguiu e desde ontem estávamos empenhados na sua captura. Hoje, numa ronda feita naquela área debaixo das lojas do Beco do Mercado, feita num barco, conseguimos identificá-lo quando fazia uso de entorpecente e depois de uma perseguição conseguimos prende-lo”, disse o Agente Penitenciário Marquiones. http://www.vozdonorte.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=590:policiais-militares-e-agentes-penitenciarios-prendem-fugitivo-da-penitenciaria-&catid=1:destaques

TROPA DE CHOQUE E FORÇA NACIONAL CHEGAM PARA ACABAR COM PARALISAÇÃO DE PMs

Um grupo formado por 12 advogados, integrantes das comissões de Assuntos Penitenciários e Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil

Um grupo formado por 12 advogados, integrantes das comissões de Assuntos Penitenciários e Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Minas Gerais (OAB/MG), esteve na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na tarde desta quarta-feira (dia 4). O objetivo foi conhecer a nova direção da unidade prisional. A visita durou cerca de três horas e resultou em uma avaliação positiva por parte dos participantes. O presidente da comissão de Direitos Humanos, Adilson Rocha considerou o momento uma ótima oportunidade para os advogados verificarem de perto a realidade vivida pelos presos da Nelson Hungria. De acordo com ele, muitos profissionais ficam somente com a visão do parlatório, local onde os presos recebem as visitas e conversam com seus advogados. Acompanhados pelo superintendente de atendimento ao preso, Guilherme Augusto de Faria Soares, e pelo subcorregedor da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), Frederico Marinho, os visitantes foram recebidos pelo novo diretor da penitenciária, Luiz Carlos Danúzio. Oficinas O encontro teve início com um almoço, servido no refeitório dos funcionários. Em seguida eles estiveram na enfermaria, no pavilhão três, nas oficinas de blocos de concreto e gesso e em áreas externas da penitenciária. Foi possível observar detentos trabalhando nas oficinas e executando serviços de jardinagem, limpeza e até mesmo de pedreiro, na sede da direção geral. No pavilhão três os integrantes das comissões permaneceram por mais tempo. Eles ouviram diversos presos, anotaram seus nomes, dados cadastrais (infopen), suas reivindicações e tiveram a informação de que a Defensoria Pública já esteve na unidade. O superintendente de atendimento, Guilherme de Faria, aproveitou a ocasião para esclarecer aos presos que as operações realizadas pela Seds no local consistem apenas em garantir que as normas de segurança da instituição sejam mantidas. Como novo diretor geral da unidade, José Carlos Danúzio forneceu dados sobre o funcionamento da penitenciária e das fichas de detentos e mostrou-se disponível para recebê-los sempre que necessário. “As portas ficam fechadas para os presos, por se tratar de uma unidade prisional, mas estarão sempre abertas para a OAB”, afirmou Danúzio.

Agentes de Segurança Penitenciária e presos convivem em ambientes insalubres

Agentes de Segurança Penitenciária e presos convivem em ambientes insalubres Arlindo da Silva Lourenço, pesquisador do Instituto de Psicologia da USP e autor da Tese de Doutorado Estudo do Instituto de Psicologia (IP) da USP revela que as péssimas condições de infraestrutura das penitenciárias brasileiras, a extensa jornada de trabalho e o estresse laboral são os fatores responsáveis pela baixa expectativa de vida dos Agentes de Segurança Penitenciária (ASP’s). Segundo o psicólogo Arlindo da Silva Lourenço, autor de um estudo de doutorado sobre o tema, “o trabalho em locais insalubres como as prisões, e as condições de trabalho bastante precarizadas do agente são estressantes, desorganizadoras e afetam sua saúde física e psicológica”. Lourenço trabalha como psicólogo em penitenciárias masculinas do Estado de São Paulo e, entre 2000 e 2002, foi um dos responsáveis, na Escola de Administração Penitenciária (EAP), pela implementação de uma Política de Saúde dos Trabalhadores, que acompanhou os trabalhadores penitenciários vitimados em rebeliões. De acordo com o pesquisador, muitos agentes sofrem pressões e ameaças constantes que prejudicam sua saúde psicológica. “Cerca de 10% dos agentes penitenciários se afastam de suas funções por motivos de saúde, geralmente, desordens psicológicas e psiquiátricas”, afirma. Outro dado preocupante é a média de anos de vida, destes agentes. “Muitos deles morrem novos, em média entre 40 e 45 anos (alguns muito mais novos), devido à uma série de problemas de saúde contraídos durante o exercício da profissão, como diabetes, hipertensão, ganho de peso, estresse e depressão”, declara Lourenço. Segundo o estudo, estes índices são reflexo da alta jornada de trabalho dos agentes carcerários (12 horas de trabalho e 36 horas de repouso), das más condições de trabalho das penitenciárias do País e do ressentimento dos agentes em relação a dificuldade de modificar o ambiente laboral. Condições de trabalho A realidade precária e carente de equipamentos materiais básicos do sistema prisional brasileiro foi apontada como fator de desorganização psicológica dos trabalhadores. “As penitenciárias são repletas de ambientes úmidos e de iluminação insuficiente, de cadeiras sem encosto ou assento, e janelas de banheiros quebradas, elementos que comprometem o bem-estar e a privacidade de agentes e de sentenciados.” Com isso, o ‘improvisado’, que é algo corriqueiro entre os detentos, é assimilado pelos agentes: “O cafezinho de muitos agentes é preparado em latas de sardinha equipadas com resistências de chuveiro que funcionam como um fogão elétrico ”, exemplifica. Para o psicólogo, essas condições deterioram e empobrecem a pessoa, além de influenciar na capacidade de ressocialização do detento. “Como dizer para o detento que a vida pode ser diferente, o aprisionando em um ambiente insalubre, empobrecido, de miséria e desgraça?”, questiona Loureço. Além disso, “os recursos atuais não permitem a execução do trabalho do agente penitenciário com decência, o que implica em um não reconhecimento de sentido na profissão e, por consequência, em um não reconhecimento de sua função social e de sua existência” afirma. A resolução dos detalhes estruturais das instalações, tornando-as adequadas para o convívio, trabalho e permanência humana, já representaria uma grande diferença na qualidade de trabalho dos agentes e na reabilitação dos detentos, segundo o pesquisador. Contudo, essa situação pouco se modificará enquanto os agentes não perceberem a influência destes fatores em sua qualidade de vida. “A situação tende a permanecer como está, pois os trabalhadores penitenciários lutam e reivindicam, principalmente, melhorias salariais; ao mesmo tempo, as penitenciárias estão longe de ser uma política pública prioritária para o Estado, como pudemos ver nas manchetes recentes que mostraram presos cumprindo penas em containers, no Estado do Espírito Santo, e na rebelião ocorrida há alguns dias no Maranhão, em que dezoito presos foram mortos. O motivo do motim: a superlotação da unidade penal”, conclui. Por Marcelo Pellegrini Publicado em 22 de novembro de 2010 Agência USP de Notícias

Brasil treina 1º cão farejador de celulares em presídio

Brasil treina 1º cão farejador de celulares em presídio Cachorro pode rastrear entre os presos, mas não os detentos diretamente Texto: Célio Messias/AE Com 220 milhões de células olfativas, o cachorro encontra celulares a partir de componentes químicos existentes na bateria do aparelho Com um ano e oito meses de vida, Fuzil, um pastor belga de Malinois, passou os últimos sete meses em treinamento. E agora ele é o primeiro cão farejador de telefones celulares do Brasil, e o segundo do mundo. O animal pertence à SAP (Secretaria de Administração Penitenciária), que poderá deslocá-lo para outras unidades prisionais, mas Fuzil é o mais novo "funcionário" da Penitenciária Masculina de Ribeirão Preto (SP). Ali, nos últimos dois meses, durante o seu adestramento, ele localizou 13 celulares na ala externa de progressão (regime semiaberto). O diretor da Penitenciária Masculina de Ribeirão Preto, Paulo Cesar de Barros, opinou sobre o cão. – Ele é mais uma ferramenta no nosso serviço diário. O cão é dócil e maleável, e fareja até no meio das pessoas Isso significa que o cão pode farejar entre os presos, mas não os detentos diretamente, já que tal medida é proibida. Em caso de suspeita, os presos devem ser revistados por agentes penitenciários. Aparelhos e baterias, carregadas ou descarregadas, são farejados pelo cão, adestrado para localizar odores de produtos que contêm silício, material usado nesses equipamentos. Confira também Homem morre eletrocutado no interior Teto de oficina de carros desaba No Estado de São Paulo, existem outros cães, de outras raças, ainda em treinamento para esse fim. Mas foi o pastor belga de Malinois quem deu a melhor resposta até agora. O treinamento de Fuzil, nascido em Goiânia, filho de mãe canadense e pai belga, terminou há uma semana. O animal vive entre 12 e 14 anos e sua "vida profissional" deverá ser de seis anos. O adestrador e o agente penitenciário Cristiano Alex Sampaio. – Nesse tipo de trabalho, ele é o único do País e o segundo do mundo. Segundo ele, um cão (não sabe qual raça e nem o local) estaria em atividade nos Estados Unidos, já com sucesso nesse tipo de operação. – Tentaram usar cães na Inglaterra, mas não deu certo