A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

BLOG ALFA PAPA MG .A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.(Martinho Lutero)

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Carceragens estaduais assustam juízes, que exigem providências

Carceragens estaduais assustam juízes, que exigem providências Jornal do Brasil De volta de inspeção à carceragem da Polícia Federal em Foz do Iguaçu (PR) – onde foram encontrados 69 presos ocupando sete celas de duas vagas cada uma – o juiz Luciano Losekann, coordenador do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário do Conselho Nacional de Justiça, vai se reunir com as autoridades competentes do Ministério da Justiça para tentar melhorar as condições daquela e de outras “unidades de passagem”, onde os presos deveriam permanecer apenas enquanto são lavrados os flagrantes dos delitos. Nos próximos dias, o presidente do CNJ, ministro Cezar Peluso, deve enviar ofício à governadora do Maranhão, Roseana Sarney, solicitando medidas urgentes para sanar “a escandalosa situação” dos detidos em delegacias policiais do estado. Sobretudo em Pinheiro, cidade a 86 quilômetros de São Luís, onde foram mortos pelos próprios companheiros seis dos 80 homens comprimidos numa área de 77 metros quadrados da delegacia, em motim que ocorreu no início deste mês. Read more...

AGENTE PENITENCIÁRIO MATA AGENTE PENITENCIÁRIO NA PORTA DA CADEIA .

CASCAVEL SENDO ENGOLIDA POR MUÇURANA ,GUERRA NO MUNDO ANIMAL

Agente penitenciário morre após discussão em Osasco

Agente penitenciário morre após discussão em Osasco Da Agência Estado Uma discussão entre dois agentes penitenciários terminou em morte na noite desta sexta-feira (18) dentro do Centro de Detenção Provisória (CDP) I de Osasco, na Grande São Paulo. Armados, ambos os agentes se desentenderam e sacaram suas armas. No tiroteio, apenas um deles foi baleado e morreu no local. Policiais militares da 2ª Companhia do 14º Batalhão foram acionados e encaminharam o acusado para o 1º Distrito Policial de Osasco. O delegado responsável, apesar da morte da vítima, registrou a ocorrência como homicídio tentado, pois teria ocorrido uma ação de legítima defesa por parte do autor do homicídio, que foi liberado e responderá ao processo em liberdade. A Polícia Civil e a Polícia Militar não forneceram mais dados sobre a ocorrência.

Exclusivo: policial é deixada nua e revistada à força (PUTA QUE PARIU)

Delegacias são fechadas por falta de policiais

Delegacias são fechadas por falta de policiais Os município de Ângulo (32 km ao norte de Maringá) e Iguaraçu (34 km ao norte de Maringá) não contam com policiais civis. As delegacias são tocadas por policiais militares. São poucos os profissionais. De acordo com reportagem da RPC TV, em Ângulo há apenas um policial por turno. Quando ele sai para rondas ou trabalhos externos, a delegacia é trancada. Em Iguaraçu não é diferente e tem um porém: o policial ainda tem que cuidar de presos na carceragem. O estado autorizou a contratação de 500 policiais. Ainda não há prazo para efetivação desses profissionais e nem a quantidade que será transferida para esses municípios (com informações RPC TV).

SE VC NÃO QUER APARECER NÃO DEIXE QUE O FATO ACONTEÇA.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Dois são presos por falsificar alvarás judiciais no RS

Dois são presos por falsificar alvarás judiciais no RS Outros dois suspeitos de integrar a quadrilha estão sendo investigados Solange Spigliatti - 18/02/2011 - 16:42 Dois integrantes de uma quadrilha especializada em falsificar alvarás judiciais em Porto Alegre foram presos nesta sexta-feira (18), acusados de estelionato e falsidade ideológica. Segundo a Polícia Civil, os criminosos falsificaram a assinatura de uma juíza, e, com um alvará falso, transferiram cerca de R$ 137 mil do Banrisul. Mais dois indivíduos suspeitos de integrar a quadrilha estão sendo investigados. Os detidos foram encaminhados ao sistema prisional. A ação da Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes Contra a Fazenda Estadual (Defaz) do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) teve apoio do Poder Judiciário, do Ministério Público e a colaboração do banco Bradesco e Banrisul.

Jacare vacilão tenta comer peixe eletrico veja o resultado bichin tremeu todo kkkkkk

OXI nova DROGA do capiroto !

Nota do SINDPOL/MG sobre dissociação da categoria Policial Civil

Nota do SINDPOL/MG sobre dissociação da categoria Policial Civil O SINDPOL/MG vem a público cientificar aos companheiros policiais civis que hodiernamente no movimento sindical há um movimento de desmembramento por categorias específicas, buscando a representação singular, a exemplo do que ocorre com o Sindepominas (Delegados de Polícia) e Sinapecri (Peritos Criminais), este com registro em cartório e Ministério do Trabalho, requereram e obtiveram êxito quanto à retirada do rol de categorias representadas pelo SINDPOL/MG. Este movimento de desmantelamento do nosso sindicato, o SINDPOL/MG, contou com a ação destrutiva do ex-companheiro Valério Valente, diretor avulso da Nova Central Sindical, depois de derrotado nas urnas na última eleição do SINDPOL/MG, e ainda de olho numa possível arrecadação futura compulsória do imposto sindical, não tem medido esforços para tentar enfraquecer e até mesmo inviabilizar a atual direção do SINDPOL/MG e por conseqüência enfraquecer de forma irresponsável as lutas e bandeiras dos policiais civis. É também lamentável, sob todos os aspectos, que algumas pseudo lideranças se mancomunem com esse tipo de pessoa, que se presta a esse serviço de enfraquecer e fragmentar o seu próprio seguimento sindical exatamente neste momento tão difícil, onde a palavra de ordem deveria ser a unidade e solidariedade nas ações. Lamentamos ainda a atitude de alguns Peritos separatistas, que sempre se beneficiaram da luta do SINDPOL/MG sem com ela contribuir, vindo neste momento a criar o Sindicato dos Peritos Criminais de Minas Gerais, com pautas não para o bem da Polícia Civil, que sempre os acolheu, mas sim para atender interesses personalíssimos e individualistas, sob o pano de fundo da luta classista. Esses dirigentes não engoliram e nem querem digerir os grandes avanços alcançados pelas carreiras de Investigadores e Escrivães de polícia, os quais a partir da Lei Complementar 113/2010, não se subordinam funcional ou hierarquicamente à Peritos Criminais ou Médicos Legistas, estabeleceu-se doravante, a justa e necessária isonomia de tratamento. Entretanto, a direção do SINDPOL/MG reafirma veementemente o seu compromisso público de lutar, com todas as forças, por direitos, ganhos, avanços e benefícios para todas as carreiras policiais civis e administrativas da PCMG, inclusive Peritos Criminais, pois pensamos e trabalhamos por uma Polícia Civil forte como um todo, sem espaços para fragmentação. Continuaremos, ainda que subsidiariamente a ampla tutela jurídica sindical. Aos milhares de filiados de todas as carreiras, as quais legitimam de forma consciente nossa representação. Nossos filiados conhecem e têm a certeza de quem verdadeiramente luta e defende de forma aguerrida em todas as instâncias os interesses dos policiais civis e administrativos, bem como da instituição Polícia Civil em Minas Gerais e no Brasil.

Cinco agentes penitenciários são presos durante a Operação Alcatraz

últimas notícias Cinco agentes penitenciários são presos durante a Operação Alcatraz 18/02/2011 11h41 Avalie esta notícia » KARINA ALVES Siga em: www.twitter.com/Otempoonline Pelo menos cinco agentes penitenciários foram presos durante a Operação Alcatraz, realizada pela Polícia Civil e o setor de inteligência da Subsecretaria de Administração do Sistema Prisional (Suapi), vinculada à Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds). Durante a operação, foi apreendido um quilo de pasta base de cocaína. Na tarde desta sexta-feira, os suspeitos serão apresentados pela Seds na Cidade Administrativa. Aguarde mais informações.

Polícia descobre túnel feito por bandidos em Bauru (SP)

LADRÂO ENGOLE BARRA DE OURO PARA LIVRAR DE FRAGANTE .BA

Oxi, a droga da morte, põe em alerta autoridades mineiras

Oxi, a droga da morte, põe em alerta autoridades mineiras Polícia tenta barrar entrada do produto, feito com querosene e cal, no Estado Publicado no Jornal OTEMPO em 18/02/2011Avalie esta notícia » 246810.RAPHAEL RAMOS Notícia Comentários(0)Compartilhe Mais notícias AAFOTO: MÁRIO ÂNGELO/AE Problema social. Número de usuários de crack cresce a cada dia; a oxi é a nova ameaçaMÁRIO ÂNGELO/AE Problema social. Número de usuários de crack cresce a cada dia; a oxi é a nova ameaça O baixo custo de uma nova droga, feita a partir das sobras da cocaína, tem atraído jovens de classe baixa e já acende um alerta para as autoridades. A oxi, também conhecida como droga da morte, é mais barata e mata mais rápido que o crack. Cada pedra custa entre R$ 3 e R$ 5 e leva o usuário à morte com menos de um ano de uso - o crack custa R$ 10 e o tempo de vida dos viciados é cinco vezes maior. Apesar de não haver ainda registro em Minas da apreensão do entorpecente, as polícias Civil e Federal trabalham para evitar sua entrada e comercialização no Estado. Assim como o crack, a oxi é uma pedra e é fumada. O que diferencia os dois é que o primeiro tem em sua composição o bicarbonato de sódio. Já a oxi é processada com querosene e cal virgem. A pedra tem um tom mais amarelado - a coloração pode variar conforme a quantidade dos componentes adicionados durante sua confecção. O psiquiatra e integrante da comissão de controle do uso de drogas da Associação Médica de Minas Gerais, Valdir Campos, explica que os usuários da droga da morte se tornam dependentes mais rapidamente. "As duas drogas têm os mesmos efeitos. No entanto, a oxi age de maneira rápida no organismo e o efeito é mais curto, o que faz com que as pessoas usem mais e se tornem dependentes", explicou. De acordo com o professor de toxicologia da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Carlos Alberto Tagliati, o principal vilão da composição da oxi é o cal virgem, utilizado para dar liga ao produto final. Isso porque, ao ser inalado pelo usuário, o cal vai para os pulmões, se petrifica e destrói os alvéolos, que são estruturas responsáveis pela troca gasosa na respiração. "Por isso a nova droga mata tão rapidamente. Mas ainda há poucas informações sobre ela", afirmou o professor. Origem. O nome oxi tem como origem a palavra "oxidação". A droga teria surgido no Acre, há cerca de dez anos, como um modo de produzir um entorpecente mais barato e mais acessível que o crack - alguns dos solventes usados para produzí-lo são raros na região. Depois disso, o entorpecente teria avançado pelo Norte e Nordeste do país, e seu uso já foi confirmado no Amazonas, Rondônia, Pará, Amapá, Piauí, Maranhão e Goiás

Falso delegado que usava sirene em carro particular é preso

Falso delegado que usava sirene em carro particular é preso A Polícia Civil prendeu nesta quinta-feira o pedreiro Mauro Alves de Freitas, 46 anos, que dizia ser pastor evangélico e delegado de polícia em Presidente Prudente (a 565 km de São Paulo). Ele usava em seu carro particular uma sirene e um sinal luminoso, que identificam viaturas oficiais. O pedreiro foi indiciado por estelionato, pois teria realizado transações com cheques sem fundos. A localização do falso delegado aconteceu depois que um credor, com medo de cobrá-lo, procurou a Delegacia Seccional de Polícia Civil de Presidente Prudente e queixou-se ao delegado seccional, afirmando que o "doutor Freitas" tinha uma dívida com ele. O credor afirmou ter feito alguns empréstimos ao suposto delegado e que ainda teria comprado em seu nome os pneus novos para o carro de Mauro, que pagou a dívida com vários cheques sem fundos. Ao receber a queixa, o delegado seccional identificou o golpe, pois na delegacia que o falso oficial dizia trabalhar não existia nenhum "doutor Freitas". Durante as investigações, a polícia descobriu que o pedreiro vivia com uma mulher que havia conhecido em uma igreja evangélica na zona rural da cidade. A mulher contou que vivia com Mauro havia algum tempo e que chegou a ligar para a delegacia quando precisou falar com ele, mas um funcionário disse que não havia nenhum delegado chamado Freitas. "Ele disse que ordenou que nenhum funcionário desse informações, já que ele trabalhava em investigações sigilosas", disse a mulher. Após ser detido pela polícia, o pedreiro confessou a falsidade: "eu conheci ela no culto da igreja e disse que, além de pastor, era oficial de Justiça e segurança de um juiz. Passamos a viver juntos e para manter o status e eu disse que havia passado no concurso para delegado. Como ela contava a todos, inclusive na igreja, não tive mais como desmentir", disse ele. A Polícia Civil apreendeu uma carteira com distintivo policial, várias carteiras de detetive, a sirene e o sinal luminoso que ele usava no carro. O falso delegado deverá responder por crime de estelionato e pode pegar até cinco anos de prisão.

FUGA FRUSTATADA POR POLICIAIS

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Imagens da delegacia de Itajaí (SC) mostram o caos do sistema penitenciário

GRATIFICAÇÃO DE 25% DE PERICULOSIDADE PARA SEGURANÇA PUBLICA MG

PUBLICADO NO IOF ELETRONICO O PROJETO DE LEI QUE DISPOE SOBRE A GRATIFICAÇÃO DE 25% DE PUBLICADO NO IOF ELETRONICO O PROJETO DE LEI QUE DISPOE SOBRE A GRATIFICAÇÃO DE 25% DE PERICULOSIDADE PARA OS PROFISSIONAIS SEGURANÇA PÚBLICA DE MINAS GERAIS Publicado na Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais no dia 17 de fevereiro de 2011, na pagina 83, o Projeto de Lei nº 8/2011 (Ex-Projeto de Lei nº 2/2007), de autoria do Deputado Estadual Elismar Prado que dispõe sobre a concessão de gratificação de periculosidade aos servidores da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, da Polícia Civil e das carreiras de Agente de Segurança Penitenciário e Agente de Segurança Socioeducativo. A Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais decreta: Art. 1º - A Lei nº 15.962, de 30/12/2005, passa a vigorar acrescida do seguinte artigo: Art. ... - Fica concedida gratificação de periculosidade de 25% (vinte e cinco por cento), a partir de 1° de maio de 2007, sobre os vencimentos básicos e as remunerações de que trata o art. 1º desta lei.”. Sala das Reuniões, 15 de fevereiro de 2011. Elismar Prado Justificação: 1 / 3 PUBLICADO NO IOF ELETRONICO O PROJETO DE LEI QUE DISPOE SOBRE A GRATIFICAÇÃO DE 25% DE As profissões de policial civil e militar, de bombeiro militar, de agente de segurança penitenciário e de agente de segurança socioeducativo são tipificadas como profissões de risco, perigosas. Portanto, seus ocupantes fazem jus ao adicional de periculosidade, definido nos termos da Constituição Federal. Art. 7º - (...) XXIII - adicional de remuneração para as atividades penosas, insalubres ou perigosas, na forma da lei.”A Constituição de Minas Gerais também assegura a gratificação por periculosidade aos servidores do Estado. Art. 31 - (...) § 6º - Fica assegurado ao servidor público civil o direito a: III - adicional de remuneração para as atividades penosas, insalubres ou perigosas. (Artigo com redação dada pelo art. 3º da Emenda à Constituição nº 57, de 15/7/2003.). (...) Art. 39 - (...) § 11 - Aplica-se ao militar o disposto nos §§ 1º, 2º, 3º, 4º, 5º e 6º do art. 31 e nos §§ 4º, 5º, 6º e 7º do art. 36 desta Constituição e nos incisos VI, VIII, XII, XVII, XVIII e XIX do art. 7º da Constituição da República. (Parágrafo com redação dada pelo art. 2º da Emenda à Constituição nº 57, de 15/7/2003.).”. Diversos Estados da Federação, como o Rio de Janeiro, o Espírito Santo e o Rio Grande do Sul, além do Distrito Federal, reconhecem de fato e de direito a gratificação de periculosidade aos profissionais da segurança pública, em percentual que chega a 230% da remuneração. 2 / 3 PUBLICADO NO IOF ELETRONICO O PROJETO DE LEI QUE DISPOE SOBRE A GRATIFICAÇÃO DE 25% DE Não resta dúvida, portanto, sobre a juridicidade, legalidade ou constitucionalidade de tal dispositivo, que visa a reparar a injustiça cometida contra os servidores das Polícias Civil, Militar e do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais. Além disso, durante a greve dos policiais civis e militares de junho de 2004, foi acordada entre as lideranças dos grevistas e do governo a concessão do adicional de periculosidade que, entretanto, foi vetado pelo governador Aécio Neves, face à negociação de uma nova proposta de reajuste. Contudo, o percentual ora apresentado à categoria, de 10% de reajuste aos vencimentos e remuneração, encontra-se distante do que é devido às categorias do grupo de Defesa Social do Estado de Minas Gerais, razão pela qual a gratificação de 25% é mais do que necessária. Por essas razões, conto com o apoio dos nobres colegas para aprovação deste projeto de lei. Após publicado, vai o projeto às Comissões de Justiça, de Administração Pública e de Fiscalização Financeira para parecer, nos termos do art. 188, c/c o art. 102, do Regimento Interno. Fonte: Jornal IOF do dia 17/02/2011 3 / 3

Policial militar e agente penitenciário trocam tiros após discussão em bar TOCANTINS

Policial militar e agente penitenciário trocam tiros após discussão em bar Raimunda Carvalho Da Redação Depois de uma discussão na madrugada desse domingo, por volta 2h17, em um barzinho da Capital, um policial militar e um agente penitenciário trocaram tiros. O agente trabalha na Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP). Os nomes do policial e do agente foram preservados. Conforme a Superintendência de Mídia da Secretaria de Segurança, Justiça e Cidadania (SSJC), os dois estavam em mesas separadas quando o agente se desentendeu com o policial. Os seguranças do evento, ainda conforme a superintendência, convidou os dois para que se retirassem do local. Já do lado de fora, os envolvidos sacaram as armas e iniciaram uma troca de tiros. O policial disparou um tiro no joelho direito do agente, que também fez outro disparo com uma pistola .40, mas que não atingiu ninguém. O policial está detido na corporação desde a madrugada de domingo e o agente foi transferido para o Hospital Geral de Palmas (HGP) para procedimento cirúrgico. Segundo a superintendência, no local foram encontradas cinco cápsulas, as quais serão submetidas a pericia. A superitendência não soube informar se foi realizado nos envolvido o teste do bafômetro. Providências Logo que tomou conhecimento da ocorrência o secretário de Segurança, Justiça e Cidadania, João Costa, determinou com o subsecretário da Polícia Civil, Nelson Guimarães, com o subsecretário de Justiça e Cidadania, Djalma Leandro, e o com delegado geral da Polícia Civil, João Pina, orientando providências imediatas sobre o caso. As primeiras providências administrativas tomadas pelos delegados designados foram: acionar a Corregedoria da Polícia Civil para colher o depoimento do agente; apreenderam uma pistola .40, bem como a carteira de identificação do servidor e o registro da arma do policial. A pistola será encaminhada para que a perícia realize o laudo da arma. De acordo com a superintendência, não há data prevista para que o laudo conclusivo seja divulgado.

Jovem encontra dedo dentro de empanada na Argentina

Jovem encontra dedo dentro de empanada na Argentina Funcionária da padaria na Província de Córdoba teve dedo cortado enquanto picava carne Do R7 - 16/02/2011 - 19:31 WikimediaCommons Argentino leva um susto ao encontrar um pedaço de dedo em uma empanada Uma surpresa de mau gosto. Foi o que um jovem argentino teve ao comer uma empanada na cidade de Alta Gracia, na Província de Córdoba. Ao morder o recheio, ele se deparou com um dedo humano. O caso foi denunciado por Alejandro Iriarte, que há duas semanas comprou três empanadas em uma padaria local. De acordo com Iriarte, ao mastigar uma delas, ele sentiu algo duro e, ao cuspir sobre o prato, descobriu que havia uma unha entre a massa e as azeitonas. O caso ocorreu há duas semanas, mas só nesta quarta-feira (16) o jovem contou a história à rádio Cádena 3, citada pelo jornal Perfil. Inicialmente, ele acreditou se tratar de uma unha postiça, mas, ao examinar melhor, percebeu que também havia parte de um dedo humano. Iriarte conta que vomitou em seguida. "Não conseguia nem imaginar como aquilo havia chegado lá. Melhorei um pouco, embrulhei o dedo em um papel e voltei à padaria onde havia comprado as empanadas. Lá, mostrei tudo ao dono". O jovem afirmou que o proprietário da padaria pediu desculpas pelo ocorrido e devolveu o dinheiro das três empadas. "Disse para ter mais cuidado da próxima vez. Saí e fui embora". O dedo era de uma funcionária da padaria, que sofreu um acidente enquanto cortava carne. Ela preferiu não falar sobre o incidente com medo de perder o emprego. A história continuaria sendo um segredo se não fosse a experiência gastronômica inesquecível do jovem argentino. . .matérias relacionadas

Onda de assaltos a ilhas de segurança valoriza capacitação de vigias

Dois policiais civis do Departamento (Deoesp) são suspeitos de tentar extorquir um detento dentro da penitenciária Nelson Hungria

Policiais são investigados por extorsão a detento Suspeitos teriam cobrado R$ 50 mil para favorecer ação de um traficante Publicado no Jornal OTEMPO em 17/02/2011Avalie esta notícia » 246810.OTTO SENNA Notícia Comentários(0)Compartilhe Mais notícias AAFOTO: RODRIGO CLEMENTE - 14.2.2006 Visita. Denúncia surgiu após prisão de um rapaz que tentou entrar no presídio fingindo ser policialRODRIGO CLEMENTE - 14.2.2006 Visita. Denúncia surgiu após prisão de um rapaz que tentou entrar no presídio fingindo ser policial Dois policiais civis do Departamento de Operações Especiais (Deoesp) são suspeitos de tentar extorquir um detento dentro da penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. A denúncia está sendo apurada pela Corregedoria Geral da Polícia Civil e pela Superintendência de Investigação e Polícia Judiciária. A suspeita surgiu anteontem, após a prisão de Hugo Henrique Maia da Silva, 19, que tentou entrar no presídio se passando por policial da Delegacia de Narcóticos. Aos militares que efetuaram a prisão, ele disse que visitaria o detento Marcelo Jaime Gonçalves, 27, o Marcelinho Pisca-pisca, a mando de dois policiais identificados como Valdeci e Sérgio. Silva relatou que combinaria com o presidiário o pagamento de R$ 50 mil aos dois policiais, para que eles evitassem o fechamento de um esquema de tráfico de drogas liderado pelo criminoso, descoberto por investigadores do Deoesp - Marcelinho Pisca-pisca é acusado de ser um dos maiores traficantes do aglomerado Cabana do Pai Tomaz, na região Oeste da capital. De acordo com funcionários da Nelson Hungria, Silva esteve na penitenciária acompanhado de dois policias dias antes de ser preso. Segundo eles, os três chegaram em uma viatura da Polícia Civil e disseram aos seguranças que o rapaz também era da corporação. A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que a Corregedoria acompanhou o registro da ocorrência e, juntamente com a Superintendência de Investigação e Polícia Judiciária, instaurou um procedimento preliminar para investigar a denúncia. Os dois policiais - que continuam trabalhando normalmente - serão ouvidos e, caso a denúncia seja confirmada, um inquérito administrativo será aberto contra eles. Silva será indiciado por falsidade ideológica.

LADRÃO TENTA FUFIR NADANDO DE PERSEGUIÇÃO COM HELICOPETERO

LADRÃO TENTA FUFIR NADANDO DE PERSEGUIÇÃO DE HELICOPETERO

BOA ESPERANÇA (INSCRIÇÕES ABERTAS)

15.02.11 - Instrumento Convocatório BOA ESPERANÇA 15.02.11 - ANEXO I - Ficha de Inscrição – CLIQUE AQUI PARA EFETUAR SUA INSCRIÇÃO 15.02.11 - ANEXO II - Critérios de Pontuação - Análise Curricular 15.02.11 - ANEXO III - Termo de Desistência 15.02.11 - ANEXO IV – CRONOGRAMA - BOA ESPERANÇA 15.02.11 - ANEXO V - Requerimento de Devolução da Avaliação Psicológica 15.02.11 - ANEXO VI - Requerimento de Recurso contra Avaliação Psicológica 15.02.11 - ANEXO VII - Requerimento Recurso contra o Resultado da Análise de Currículos, Gabarito, TI e Outros a especificar

GATO NA MIRA DA POLICIA.

Dois policiais da deoesp são investigados por extorsão

Dois policiais da deoesp são investigados por extorsão Suspeitos teriam cobrado R$ 50 mil de um traficante da Nelson Hungria para não atrapalharem o esquema do tráfico Publicado no Super Notícia em 17/02/2011 Avalie esta notícia » Homem que se passou por policial relatou à PM que agiu a mando de Sérgio e Valdeci A Corregedoria-geral da Polícia Civil e a Superintendência de Investigação e Polícia Judiciária apuram uma denúncia de que dois policiais da Divisão de Operações Especiais (Deoesp) tentaram extorquir um detento da Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. A suspeita foi descoberta depois da prisão de um homem que tentou entrar na unidade prisional como se fosse policial civil, na tarde de anteontem. De acordo com o Boletim de Ocorrência registrado pela 38° Cia do 18° Batalhão da Polícia Militar, Hugo Henrique Maia da Silva, de 19 anos, preso tentando entrar na Nelson Hungria fingindo ser policial da Delegacia de Narcóticos, relatou aos militares que foi visitar Marcelo Jaime Gonçalves, de 27 anos, o Marcelinho Pisca-Pisca, a mando dos policiais Sérgio e Valdeci, da Deoesp. O rapaz iria combinar com o presidiário o pagamento de R$ 50 mil aos policiais. Silva contou ainda que o dinheiro seria pego na casa da irmã de Gonçalves, no bairro Cabana, na região Oeste de Belo Horizonte. Segundo uma fonte, que pediu para não ser identificada, a quantia seria paga aos policiais para que o traficante não tivesse o esquema de tráfico de drogas, que foi descoberto através de investigações da Deoesp, desmontado. Funcionários da penitenciária contaram à PM que, há poucos dias, Silva esteve no local acompanhado de dois policiais. Os três chegaram em uma viatura da Polícia Civil e os dois disseram à segurança do presídio que Silva também era da corporação. Anteontem, o jovem foi até a unidade prisional sem policiais na companhia de uma mulher e outro homem, que ficaram aguardando em um Fiat Uno. Os dois foram detidos porque a mulher que dirigia o carro não tinha habilitação e a documentação do veículo estava vencida. Segundo a PM, nenhum deles sabia do esquema. Marcelinho Pisca-Pisca, segundo uma fonte na Divisão de Tóxicos e Entorpecentes, é um dos chefes do tráfico de drogas do aglomerado Cabana do Pai Tomaz, na região Oeste da capital. Ficha suja Contra Marcelino Pisca-Pisca pesam acusações de vários homicídios. Ele foi preso com outras seis pessoas, no dia 15 de outubro do ano passado, em uma festa, em um sítio, em Betim. Todos os presos participaram do sequestro de uma família de um gerente de uma fábrica de joias, no bairro Santa Efigênia. Fato será apurado A assessoria da Polícia Civil informou que membros da corregedoria acompanharam o fechamento da ocorrência e junto com a Superintendência de Investigação e a Polícia Judiciária instauraram um procedimento para investigar a denúncia. Os investigadores serão ouvidos e um inquérito administrativo poderá ser aberto contra eles. Os dois continuam trabalhando. Comentários

PM suspeito de roubo Publicado no Super Notícia em 17/02/2011

PM suspeito de roubo Publicado no Super Notícia em 17/02/2011 Avalie esta notícia » MARCOS RIBEIRO/JORNAL DE UBERABA Três revólveres e munição roubados foram recuperados Quatro homens, entre eles dois menores, de 17 anos, foram presos, anteontem, acusados de roubar armas de um quartel em Veríssimo, no Triângulo Mineiro. Segundo a PM, um policial militar, de 45 anos, é suspeito de ter encomendado o assalto e prometido uma recompensa de R$ 3.000 a um dos menores. De acordo com o soldado Diogo Vidigal, enquanto Jeryermes Bernardes, de 19 anos, vigiava o quartel, que estava vazio, os dois menores pularam o muro da unidade militar e arrombaram a janela do banheiro para entrar. Os assaltantes foram presos em casa, com três revólveres calibre 40, 15 cartuchos de munição, além de R$ 20 roubados. Ainda de acordo com o soldado Vidigal, Bernardes contou que um policial militar que trabalha no quartel seria o mandante do assalto e teria oferecido dinheiro para ele praticar o roubo. "O suspeito não informou o motivo pelo qual o suposto policial queria as armas", completou. Segundo o tenente-coronel do 4º batalhão de Uberaba, Ney Sávio de Oliveira, a PM está apurando o caso. O policial suspeito não confessou o crime e vai ficar detido até o fim do inquérito. Comentários

PAPAI FAZ, MAMÂE CRIA E PM DE GOIÃNIA MATA .FRASE NO CARRO DA PM

NOVOS SOLDADOS PARA O MORRO DO ALEMÃO.

Luciano Farah deixou penitenciária há quase dois meses

Luciano Farah deixou penitenciária há quase dois meses 16/02/2011 13h38Avalie esta notícia » 246810.KARINA ALVES Siga em: www.twitter.com/Otempoonline Notícia Comentários(14)Compartilhe Mais notícias AAO empresário Luciano Farah, condenado pela participação na morte do promotor Francisco Lins do Rêgo, em 2002, foi libertado poucos meses após decisão de regressão de pena, de regime semi-aberto para fechado. De acordo com informações da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), ele recebeu um alvará de soltura e foi liberado da penitenciária José Maria Alckmin, em Ribeirão das Neves, no dia 20 de dezembro de 2010. De acordo com a Seds, Farah permaneceu preso na Penitenciária Nelson Hungria, em regime fechado, entre dezembro de 2002 e dezembro de 2009. O empresário recebeu o benefício de progressão de pena para semi-aberto e foi encaminhado para a unidade de Ribeirão das Neves. O Ministério Público entrou com recurso para que o regime regredisse, o qual foi acatado pela 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) ainda no ano passado. Ainda cabia recurso para a decisão e em dezembro o empresário deixou a penitenciária. O TJMG não informou o que motivou a decisão.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Ladrões invadem delegacia de São José do Rio Preto-SP

Ladrões invadem delegacia de São José do Rio Preto-SP Chico Siqueira - 16/02/2011 - 18:12 A Polícia Civil de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, procura ladrões que na manhã de hoje invadiram a Delegacia Participativa e levaram armas, munições e uma máquina fotográfica. O material estava guardado na sala de investigação do 4º Distrito Policial, que funciona no mesmo prédio. Até o fim da tarde de hoje, a polícia não havia concluído o levantamento dos produtos roubados, mas já sabia que duas espingardas calibre 12, marca CBC, cartuchos para este tipo de arma e uma máquina fotográfica digital tinham sido levadas. Inaugurado há menos de um ano, com objetivo de integrar população e polícia, o prédio, que funciona das 7h às 19h no bairro Santo Antônio, um dos mais pobres da cidade, abriga, além do DP, diversas salas de serviços de atendimento da prefeitura. A polícia informou que os ladrões não concluíram o furto porque o alarme disparou e tiveram de fugir com a chegada de um policial militar por volta das 6 horas. "Por isso é que não levaram mais coisas e não entraram nas outras salas", disse o delegado Humberto Páscoa, assistente da Seccional de Rio Preto. No momento do furto, não havia ninguém no prédio, vigiado por um sistema de segurança e diversas câmeras externas e internas. Para entrar, os ladrões arrombaram a caixa de força e desligaram os relógios de eletricidade. Colocaram um saco plástico numa das cinco câmeras externas e arrombaram duas portas até chegar à sala de investigação. "O furto não pôde ser filmado porque, ao interromper o fornecimento de eletricidade do prédio, os ladrões desligaram o provedor que alimenta as câmeras", explicou o delegado. Segundo ele, a polícia tem suspeitos do crime, que deveriam ser interrogados ainda hoje.
Feirantes e guardas municipais se enfrentam em manifestação na porta da PBH 16/02/2011 16h02 KARINA ALVES/GABRIELA SALES Siga em: www.twitter.com/Otempoonline Protesto de feirantes na porta da prefeitura LEO FONTES/O TEMPO Um tumulto entre participantes de uma manifestação de feirantes da Feira de Artesanato da Afonso Pena e guardas municipais ocorreu na tarde desta quarta-feira, em frente a sede da Prefeitura de Belo Horizonte. No local, pelo menos 300 feirantes participavam de manifestação e queriam que o prefeito recebesse a comissão dos feirantes e reavaliasse a situação deles. Em um dado momento, uma manifestante tentou forçar a entrada na prefeitura e foi impedida por um guarda municipal. Um outro homem também tentou entrar e teria sido agredido com spray de pimenta. Ele procurou a Polícia Militar para registrar ocorrência sobre o fato. A assessoria da Guarda Municipal informou que feirantes, ainda não identificados, foram filmados pelo circuito de segurança da prefeitura agredindo uma pessoa e os guardas interviram. Em relação à denúncia de uso por spray de pimenta, assessoria confirma a utilização do produto e diz que isso foi feito para conter os manifestantes mais exaltados e para manter a ordem e a integridade do público e do patrimônio. Um clima de muito nervosismo e tensão tomou conta dos manifestantes e a PM foi chamada para reforçar a segurança. Equipes do batalhão de choque formaram um cordão de isolamento na sede da PBH.

PMS FARDADDOS OCUPANDO LUGAR DE IDOSO NOMETRO.

Câmera flagra policiais ocupando assentos reservados para idosos em metrô de MG

O Ministério da Justiça divulgou em seu site os números do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (PRONASCI).

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DIVULGA NÚMEROS DO BOLSA FORMAÇÃO MAS NÃO CONFERE COM OS REAIS O Ministério da Justiça divulgou em seu site os números do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (PRONASCI). Um dos projetos desse Programa Nacional é o Bolsa Formação, que oferece uma bolsa para os profissionais de segurança pública cadastrados no sistema e que não ultrapasse o teto salarial de R$ 1,7 mil. Contudo o Projeto Bolsa Formação passou recentemente por uma reformulação que desagradou muitos desses profissionais. Apesar de uma das promessas da campanha da atual Presidenta do Brasil ser o fortalecimento do Programa, o que ocorreu nos primeiros dois meses de governo foi o contrário. O Projeto Bolsa Formação estipulou um período anual de renovação, prejudicando muitos policiais que perderão o benefício posterior ao período determinado pela Portaria nº 109/MJ. Apesar dos números oficiais divulgados pelo Ministério da Justiça afirmar que "225 mil policiais civis, militares, bombeiros, peritos e agentes penitenciários de baixa renda" serem beneficiados pelo Bolsa Formação, a Portaria nº 109/MJ, em seu anexo I, mostra o contrário. Pela Portaria publicada no Diário Oficial da União no último dia 04 de fevereiro, os números para o ano de 2011 não passa de 55 mil beneficiários do Projeto, entre agentes penitenciários, policiais militares e civis, bombeiros militares, peritos e guardas municipais, atingindo um montante de cerca de R$ 25 milhões com o Projeto Bolsa Formação para o ano de 2011, diferente dos R$ 600 milhões /ano divulgados pelo MJ. Confira os números divulgados pelo MJ: Investimento R$ 483 milhões do orçamento do MJ/2007 (descontigenciados) R$ 1,406 bilhões em 2008 R$ 1,406 bilhões em 2009 R$ 1,406 bilhões em 2010 R$ 1,406 bilhões em 2011 Total: R$ 6,107 bilhões Destes, R$ 600 milhões/ano são para o Bolsa-Formação, de 2008 a 2012 Ações Policiais Bolsa-Formação 225 mil policiais civis, militares, bombeiros, peritos e agentes penitenciários de baixa renda

Disque Denúncia Unificado registra aumento de 20% nas ligações recebidas em 2010

Disque Denúncia Unificado registra aumento de 20% nas ligações recebidas em 2010 BELO HORIZONTE (15/02/11) - O 181 Disque Denúncia Unificado (DDU), serviço integrado das polícias Civil, Militar e do Corpo de Bombeiros no combate à criminalidade e prevenção de sinistro, encerrou o ano de 2010 com um crescimento de 20% no total de denúncias recebidas. Foram 58.711 informações coletadas e encaminhadas para averiguação no ano passado, que contribuíram ativamente para um aumento expressivo no total de prisões e apreensões em todo o Estado. Somente em 2010, quase dez mil pessoas foram presas, apreendidas ou recapturadas após denúncias de anônimos ao 181, o que representa um crescimento de 33% em relação a 2009. Também por meio do Disque Denúncia, foram retiradas de circulação 1.263 armas de fogo (crescimento de 33%), apreendidas 309 máquinas caça-níquel (crescimento de 28%) e 106.267 produtos (crescimento de 3,38%). Em 2010, 30% do total de denúncias foram originadas em Belo Horizonte, 24% na Região Metropolitana e 46% em municípios do interior do Estado. A média mensal foi de 4.823 denúncias. Confiança Os números demonstram que os cidadãos estão mais confiantes e bem informados em relação ao serviço (também conhecido como DDU), que as corporações estão mais integradas na busca de melhorias na prestação de serviços à população, e que o processo de interiorização do 181 está cada vez mais fortalecido. Em 2010, foi consolidada a expansão para as grandes cidades do interior do Estado, polo das Regiões Integradas de Segurança Pública (Risps), as quais têm irradiado suas ações para outras cidades de suas áreas de abrangência. Assim, o Disque Denúncia 181 atinge mais de 60% da população e está presente nos 100 maiores municípios mineiros. Parceria entre o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), e o Instituto Minas Pela Paz (IMPP), o 181 Disque Denúncia tem o slogan “O importante é o que você diz, não quem você é”. O canal proporciona à população um instrumento para denunciar crimes e sinistros, contribuindo com o trabalho das forças policiais e do Corpo de Bombeiros por meio do sigilo absoluto das informações repassadas e do anonimato dos denunciantes. Desde a implantação do 181, em novembro de 2007, a tendência de aumento nos resultados é constante. Além do crescimento das prisões e apreensões, a questão das drogas também merece destaque. Foram apreendidos 937 quilos de drogas, número 66% superior ao do ano anterior. Além disso, houve a apreensão de 16.265 papelotes de cocaína, 18.776 buchas de maconha e 62.573 pedras de crack, o que dá uma média de 35% de aumento em comparação com 2009. Casos de sucesso Pela Polícia Militar Denunciante informa que dois caminhões estariam descarregando carga suspeita em um galpão de Sete Lagoas, na região Central do Estado. Resultado: Foram apreendidos 117 mil maços de cigarro supostamente provenientes de contrabando. Os dois caminhoneiros foram detidos em flagrante e encaminhados à Polícia Federal. Pela Polícia Civil Denunciante informa nome e endereço de suposto autor de atropelamento de ciclista em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, que teria fugido do local sem prestar socorro. Resultado: A Polícia Civil, com base nas informações da denúncia, localizou o proprietário do veículo e instaurou inquérito. Pelo Corpo de Bombeiros Militar Denunciante informa que caixa d’água instalada em escola municipal de São José da Barra, no Sul de Minas, possuiria trincas em sua base estrutural e inclinação, com risco iminente de queda. Resultado: Equipe do Corpo de Bombeiros foi ao local e constatou a veracidade da denúncia. Salas, refeitório e cozinha foram interditados até que o risco de desabamento fosse totalmente sanado.

Crise na Nelson Hungria entra em debate

Crise na Nelson Hungria entra em debate Tráfico de drogas, violência e sexo na penitenciária de segurança máxima revelam fragilidade do sistema prisional Carlos Calaes - Repórter - 16/02/2011 - 08:37 Reprodução/Record Minas Preso armado com uma faca artesanal corre para matar desafeto sem ser impedido por agentes Reprodução/Record Minas Cenas gravadas mostram presos fazendo sexo no pátio da Nelson Hungria As denúncias sobre o envolvimento de presos com tráfico de drogas, violência e sexo na penitenciária de segurança máxima Nelson Hungria, em Nova Contagem, na Grande BH, serão debatidas em uma audiência pública na próxima semana na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). As irregularidades registradas nos pavilhões do presídio pelas câmeras de segurança foram divulgadas com exclusividade pela Rede Record. De acordo com o presidente reeleito da Comissão de Direitos Humanos da ALMG, deputado Durval Angelo (PT), as irregularidades só podem ter ocorrido por conivência ou omissão dos agentes e da direção da penitenciária. Angelo também acredita que as imagens resultaram em investigações e punições, conforme informou, na última terça-feira (15), o Governo do Estado. “Vamos convidar o secretário de Defesa Social, Lafayette Andrada, para participar da audiência pública e nos explicar o desdobramento destas apurações”, disse o deputado. Segundo o parlamentar, procedimentos administrativos na corregedoria da polícia, com apuração e punição aos culpados têm que ter ocorrido. “Queremos ver essas apurações e saber quem foi responsabilizado. Se nada disso aconteceu, está caracterizada a conivência”, afirmou o deputado. Caso positivo, será pedido o afastamento da direção da penitenciária. A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) reafirmou ontem que as imagens foram gravadas no ano passado e que todas as situações registradas foram objeto de intervenções imediatas, sendo aplicadas as punições cabíveis a cada situação por parte do Governo estadual. No entanto, a secretaria não divulgou detalhes e nem quantos servidores foram punidos. De acordo com a Seds, a Nelson Hungria tem capacidade para 1.700 presos. Terça eram 1.695 detentos no local. Por questão de segurança, o número de agentes que trabalha na penitenciária não foi informado. As imagens exibidas pela Rede Record mostram presos falando ao celular dentro dos pavilhões, tráfico e uso de drogas, além de cenas de sexo no pátio da prisão. Durval Angelo comentou as imagens que mostram um dos presos utilizando uma “tereza”, corda improvisada com lençóis, para escalar o muro da penitenciária. No alto, ele dá socos para destruir a câmera de segurança e um bloqueador de celulares. O deputado analisou que o preso conseguiu subir rápido, mas para prender a corda ele deve ter levado mais tempo. “Essa ação deveria ter sido monitorada em tempo real pelo sistema de segurança. Assim, os seriam acionados para impedir que o preso subisse e danificasse o equipamento, o que não aconteceu”. Irregularidades ‘pipocam’ por todo sistema Cargos por indicação política em presídios mineiros estariam sendo ocupados por pessoas despreparadas e sem noções de segurança pública. Da mesma forma, a entrada de drogas, aluguel ou venda de telefones celulares seria facilitada por agentes penitenciários. Estas seriam algumas das irregularidades que estariam ocorrendo em unidades prisionais do Estado, segundo denúncias de agentes que pediram anonimato. Em uma das penitenciárias existiria até o comércio de cerveja. Para o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, deputado estadual Durval Angelo (PT), a existência de drogas, celulares e sexo mostra a realidade do sistema penitenciário mineiro. “O Governo insiste em vender uma imagem de que está tudo bem nos presídios, mas a realidade é outra. Temos os mesmos problemas que os demais estados brasileiros”, avalia Angelo. Para o presidente do Sindicato dos servidos da Polícia Civil de Minas Gerais (Sindpol-MG), Denilson Martins, o maior problema enfrentado no sistema penitenciário é institucional, ou seja, um conflito entre os cerca de dez mil agentes contratados contra quatro mil deles concursados. Segundo Denilson, penitenciárias não dispõem de agentes suficientes para revistar presos que, em regime semi-aberto, retornam das ruas para as celas. “Muitos deles voltam para a prisão levando drogas, celulares e até armas”, disse. Além de uso de drogas e de aparelhos celulares pelos detentos dentro de presídios em Minas Gerais, o Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado (Sindasp/MG) denuncia que o assédio sexual por parte de membros da direção das unidades prisionais também é uma realidade. O gerente administrativo do Sindasp, Messias Rabelo, afirma que as denúncias desse tipo de crime chegam, principalmente, das instituições do interior do Estado. “Tem muito diretor de cadeia assediando as agentes penitenciárias e assistentes sociais. Elas reclamam, mas não podem largar o emprego, pois precisam sustentar suas famílias. Mas isso tem se tornado comum”, revela Rabelo. Ele diz que muitos agentes penitenciários não formalizam a denúncia por medo de represália por parte da diretoria e também dos presos. “A maioria das denúncias é feita anonimamente e fica na informalidade. Repassamos os fatos para a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), mas nenhuma providência é tomada. As autoridades falam que investigam as irregularidades, mas nunca vemos as soluções sendo aplicadas”, alegou. .

Lentidão da Justiça beneficia mega-assaltante e ameaça sociedade

Lentidão da Justiça beneficia mega-assaltante e ameaça sociedade Líder de quadrilha de roubo a banco que usava até fuzil antiaéreo é solto porque prisão cautelar extrapolou 120 dias Fernando Zuba - Repórter - 16/02/2011 - 08:20 LUIZ COSTA Segundo o MP, Gordo teria liderado mais de 30 roubos a banco e carros-fortes A soltura do líder de uma das mais violentas quadrilhas de roubo a banco e carros-fortes do país traduz a morosidade e a desorganização do Poder Judiciário brasileiro e ameaça a segurança da sociedade. É o que dizem especialistas. Também conhecido como Gordo, Cláudio Maia dos Santos, 39 anos, foi libertado na semana passada por ordem do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). Gordo aguardava julgamento na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH. Foi solto porque a prisão cautelar não pode extrapolar 120 dias. Ele estava encarcerado há mais de um ano. Para o procurador de Justiça André Estêvão Ubaldino, que esteve à frente do caso, a liberdade do mega-assaltante de bancos representa um risco às pessoas de bem. “Trata-se de um homem ligado profissionalmente à prática de crimes violentos, que não tem outra opção de vida, a não ser voltar a roubar e matar, se preciso”, diz. Segundo ele, pequenas falhas em processos criminais podem levar à soltura de bandidos de alta periculosidade. “Um equívoco cometido em qualquer fase do processo pode deixar a sociedade desprotegida”, esclarece Ubaldino, que se diz frustrado com a situação. De acordo com o procurador, o Poder Judiciário brasileiro precisa se aperfeiçoar para evitar erros. Os roubos praticados pela quadrilha aconteceram entre 1990 e 2005. Na época, ficaram conhecidos como “Novo Cangaço” devido à truculência dos assaltantes. Eles cercavam os alvos e os alvejavam com metralhadoras e fuzis antiaéreos. Para o psiquiatra e psicanalista Marco Aurélio Baggio, a liberação de um bandido violento gera o aumento da sensação de insegurança no cidadão comum. “Vivemos em uma sociedade irresponsável, que não protege quem é correto e decente”, sentencia Baggio. Ele acrescenta que há o assalto a mão armada e também “com a caneta”, que seriam os crimes de “colarinho branco”. “Há brandura com os bandidos e a violência sempre prospera”. O presidente da Comissão de Assuntos Penitenciários da Ordem dos Advogados do Brasil em Minas Gerais (OAB-MG), Adilson Rocha, considera que algo extremamente grave aconteceu para que Gordo fosse liberado. “O TJMG é severo e rigoroso na análise de liberação ou concessão de alvará de soltura em casos de roubo, tráfico de drogas e estupro”, afirma. De acordo com o especialista, mais de 70% das pessoas presas provisoriamente no Estado, hoje, cometeram um dos três tipos de crime. Entre os possíveis erros levantados pelo advogado para a libertação do assaltante estão a demora na apuração de provas contra o denunciado, o flagrante ilegal de provas e a frágil comprovação de envolvimento de Gordo nos delitos dos quais é acusado. Na avaliação do pesquisador do Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública da UFMG, sociólogo Robson Sávio, o sistema de Justiça lento e burocrático contribui para o aumento da violência. “Quando a sociedade vê um criminoso sendo beneficiado, passa a não acreditar na Justiça. Além disso, a sensação de impunidade poder gerar mais violência, pois as pessoas entendem que podem fazer Justiça com as próprias mãos”, adverte

Alvará de soltura chega no Ceresp, mas motorista permanece preso

Alvará de soltura chega no Ceresp, mas motorista permanece preso 16/02/2011 00h03Avalie esta notícia » 246810.DANIEL SILVEIRA/RAPHAEL RAMOS Siga em: www.twitter.com/Otempoonline Notícia Comentários(0)Compartilhe Mais notícias AAAté o começo da madrugada desta quarta-feira (16) permanecia detido no Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) Gameleira, na região Oeste de Belo Horizonte, o motorista envolvido no acidente que matou cinco pessoas e deixou outras 15 feridas no Anel Rodoviário, em um engavetamento ocorrido em janeiro deste ano. Por volta das 22h15 chegou na unidade prisional o alvará de soltura concedido pela Justiça, que permitiu ao motorista responder ao processo em liberdade. A mulher dele e o advogado de defesa aguardavam sua soltura na porta do Ceresp. Ao conceder a liberdade provisória ao motorista, o juiz do 1º Tribunal do Júri, Guilherme Queiroz Lacerda, considerou o fato dele possuir residência fixa, trabalho estável e ser réu primário. Entretanto, o magistrado determinou a suspensão da carteira de habilitação do motorista e determinou que ele assinasse um termo de compromisso se comprometendo a comparecer às próximas audiências sobre o caso.

Soldado do exército e outros dois homens são presos por tráfico no Jardim Europa

Soldado do exército e outros dois homens são presos por tráfico no Jardim Europa MATEUS RABELO Siga em: www.twitter.com/Otempoonline Um soldado do exército e outros dois homens foram presos na noite desta terça-feira (15), no bairro Jardim Europa, região de Venda Nova, suspeitos de tráfico de drogas. Segundo o Batalhão Rotam, o soldado seria o chefe do grupo que ainda teria como integrante um homem acusado de dezenas de crimes, incluindo dez homicídios em Santa Luzia, na região Metropolitana. De acordo com a PM, uma pessoa ligou para o Disque-Denúncia informando que o trio estaria abastecendo o tráfico de drogas no bairro Jardim Europa, em um Fiat Uno vermelho. Ao chegar no local, a PM Localizou o carro, mas o trio já não estava nele. Durante a incursão no bairro, o trio foi localizado em uma casa na rua Albânia, onde seria o local da entrega da droga. Um dos suspeitos teria jogado a droga pela janela ao ver os policiais, que conseguiram recuperar o produto: cerca de meio quilo de cocaína. Eles assumiram o crime e ainda disseram que o restante da droga estaria na casa de um deles, no bairro Jaqueline, na mesma região. No local foram encontrados nove pacotes com cocaína totalizando um quilo, 50 pedras de crack preparadas para a venda e outros 40 papelotes de cocaína também embalados. Dentro do Fiat Uno a Rotam ainda encontrou uma pistola calibre 380 carregada com oito cartuchos intactos, além de uma farda do exército, que é de um dos suspeitos que assumiu ser o chefe do grupo e ainda afirmou ser soldado do 4º Regimento Militar do Exército. O trio foi preso em flagrante e levado junto com todo do material apreendido para a 7ª Delegacia de Venda Nova. A polícia acredita que além dos dez homicídios ao qual um dos suspeitos é acusado, ele é responsável por outros assassinatos e crimes em Santa Luzia.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

.Falso policial é preso na Nelson Hungria

Falso policial é preso na Nelson Hungria Claudio Ramos - Repórter - 15/02/2011 - 18:05 Um homem foi preso na tarde desta terça-feira (15) após tentar entrar na Penitenciária Nelson Hungria se passando por um policial. De acordo com a Polícia Militar (PM), o suspeito estava na companhia de duas pessoas, em um veículo. O carro foi apreendido porque estava com a documentação atrasada.

Belo Horizonte demite servidor com nota baixa

Belo Horizonte demite servidor com nota baixa Avaliação tem pontuação que vai de 1 a 5; medida vale apenas para 3.500 cargos preenchidos por indicação política Humberto Santos - Repórter - 15/02/2011 - 07:57 CARLOS RHIENCK José Afonso Bicalho: sem problemas para a pontuação porque “politização” na pasta teve peso menor O prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda (PSB) deve publicar, nesta semana, a reforma administrativa da prefeitura sem, no entanto, concluir o trabalho de avaliação dos servidores comissionados. Em janeiro, Lacerda enviou aos secretários ofício cobrando a avaliação de todos os servidores indicados pelos partidos que integram a base aliada. Porém, justamente pelo fato de terem em suas pastas indicações partidárias - em vez de técnicos - alguns secretários não conseguiram dar notas aos funcionários, o que acabou travando as mudanças pretendidas. O ofício foi enviado por e-mail pelo secretário de Assuntos Institucionais, Marcello Abi-Saber. “Por orientação do Prefeito, enviamos a cada secretário solicitação no sentido de elaborar uma lista contendo os nomes das pessoas de recrutamento amplo (gerentes e assessorias), e avaliá-las, atribuindo notas variando de 1 a 5, diretamente proporcional ao desempenho de cada servidor”, diz a mensagem. Além do e-mail, Abi-Saber, seguindo as orientações de Marcio Lacerda, ligou para os secretários e cobrou o perfil de cada um dos comissionados, tudo o que foi feito durante os dois primeiros anos de Governo e se o servidor era ou não indicado político. Mas nem todos os secretários cumpriram as determinações. Em alguns casos, a dificuldade foi avaliar os colegas do próprio partido, já que muitos secretários são escolhas políticas. Em outros, a preocupação foi avaliar com mais rigor servidores comissionados que são de partido diferente, o que poderia ser visto como uma forma de diminuir o espaço dos adversários no governo municipal. O secretário de Finanças da Prefeitura de BH, José Afonso Bicalho, afirma não ter enfrentado grandes dilemas para fazer a pontuação, pelo fato de comandar uma pasta mais técnica e com comissionados de recrutamento restrito. Neste caso, diz ele, a “politização” teve peso menor na hora da nota. “A área de finanças é muito técnica, diferentemente de outras secretarias maiores, das áreas de serviço. Nelas, a indicação partidária é maior”. Já o secretário de Políticas Urbanas, Murilo Valadares (PT), afirma que procurou avaliar os comissionados apenas pela “competência”, não pelo critério partidário. Valadares diz que sua pasta tem apenas 28 gerentes e que os órgãos vinculados a ela, como as secretarias adjuntas de Regulação Urbana e de Habitação – com muitos comissionados –, fizeram suas próprias avaliações. Valadares afirma que ainda não teve retorno das avaliações feitas. No começo da gestão, Lacerda já havia aplicado um questionário aos futuros secretários e gerentes. Queria saber se tinham condição de assumir as pastas. Na ocasião, todos os membros da equipe assinaram um acordo de resultados com metas a serem cumpridas. A assessoria do prefeito nega que a avaliação tenha caráter político e afirma que todos os secretários responderam ao questionamento feito por Marcio Lacerda. De acordo com a assessoria, o procedimento de avaliar os servidores municipais é “normal” e de “rotina”. Mas admitiu que quem não tiver bom rendimento na avaliação perderá o cargo. Ainda segundo a assessoria, quem tiver nota um ou dois, será “substituído”. A Prefeitura de Belo Horizonte abriga, atualmente, cerca de 3.500 comissionados (contratados sem concurso público). Já o número de servidores efetivos é 31.556. A assessoria não soube informar quando será feita a exoneração dos servidores com notas baixas nas avaliações, nem quando a prefeitura terá os resultados do levantamento. .

Polícia recaptura 13 dos 43 presos que fugiram de cadeia no interior de SP

A fuga aconteceu na última sexta-feira (11) e os presos saíram pela porta da frente da penitenciária de Barreto. Eles renderam dois carcereiros e pegaram as armas

Detento fica entalado ao tentar fugir de cadeira no PR

Sutiã inusitado abre ao ouvir palmas.DIMAIS RSR

Defesa vai ao STF para que Marcola saia de regime diferenciado RDD

Defesa vai ao STF para que Marcola saia de regime diferenciado COLABORAÇÃO PARA A FOLHA A defesa de Marco Willians Herbas Camacho, conhecido como Marcola, entrou com um habeas corpus no STF (Supremo Tribunal Federal) pedindo que ele não fique mais internado no RDD (Regime Disciplinar Diferenciado) --em que os presos ficam isolados 22 horas por dia sem contato com o exterior. Marcola é apontado como chefe da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) e mandante dos ataques às forças de segurança de São Paulo que deixaram 172 mortos em maio de 2006. No ataque do PCC, EUA relataram "abismo" de direitos humanos Fernandinho Beira-Mar tramou de presídio sequestro de filho de Lula "Foi de um medo infernal", relata repórter que cobriu ataques do PCC em SP A defesa alega que os fatos que levaram à internação cautelar no RDD, determinada em 2006 a pedido da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária, estão prescritos. Afirma ainda que o afastamento para o regime especial, inicialmente por 90 dias, teria como objetivo a instauração de um processo disciplinar --e que um procedimento faltoso prescreve no prazo de dois anos, já decorridos. Na decisão da Vara de Execuções Criminais de São Paulo, que determinou a internação, consta que "na presença de várias pessoas, Marcola teria afirmado que havia passado ordem para que houvesse represálias por causa de sua transferência" [para o presídio de segurança máxima em Presidente Venceslau] que "atingiriam tanto unidades prisionais quanto a sociedade civil e o Estado". Para a Vara, sem a internação no RDD, Marcola poderia "encontrar meios para dar continuidade aos atos mencionados". A defesa, então, recorreu primeiro ao Tribunal de Justiça, onde obteve decisão favorável à retirada de Marcola do regime diferenciado. O Ministério Público recorreu da decisão e interpôs recurso especial ao STJ (Superior Tribunal de Justiça), pedindo que o caso fosse julgado no plenário do TJ, e não em uma de suas câmaras. O STJ determinou que o processo voltasse ao TJ para novo julgamento --e é contra essa decisão que a defesa apela ao STF. A defesa sustenta que, durante os ataques em São Paulo, Marcola estava "preso, incomunicável com o mundo exterior", e seria "humanamente impossível" a sua participação no que ocorreu. Os advogados afirmam ainda que ele "sofre" com a acusação de organizar quadrilhas para praticar crimes.

Estado de MG fica proibido de aumentar vencimentos, contratar servidores ou criar cargos.

Estado de MG fica proibido de aumentar vencimentos, contratar servidores ou criar cargos. Governo de Minas descumpre Lei de Responsabilidade Fiscal VIA COMERCIAL Argumento. Secretária Renata Vilhena diz que Estado estabeleceu uma política de controle de gastos. Foto: DANIEL IGLESIAS - 22.3.2010O governo de Minas gasta, atualmente, 48,61% da sua receita com a folha de pagamento de servidores, enquanto a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) prevê que, se o montante ultrapassa 46,55%, o Estado fica proibido de aumentar vencimentos, contratar servidores ou criar cargos. O Executivo atingiu esse patamar após ter concedido, no ano passado, aumento de 10% para funcionários e de reestruturar o plano de carreira dos servidores da educação. Somado a esse aumento de despesas, o governador Antonio Anastasia (PSDB) publicou, no último dia 22 de janeiro, a Lei Delegada de número 182, que cria 1.312 novos cargos comissionados – o que, segundo prevê a LRF, não poderia ser feito, haja vista que o Estado já gasta mais de 46,55% de seu orçamento com a folha de pessoal. O governo de Minas admite que gasta 48,61%, porém não reconhece que todo esse montante se refere a despesas com pessoal. Amparado por uma portaria, editada no ano passado, o Estado alega que os gastos com aposentados e pensionistas, estimados em R$ 4 bilhões por ano, não precisam ser incluídos no cálculo. “Tivemos uma modificação da portaria mudando os critérios. Então, a partir do dia 1º de janeiro, pela mudança, que é a retirada dos aposentados, nós estamos cumprindo a LRF”, afirmou, ontem, Antonio Anastasia. Seguindo essa nova metodologia empregada pelo governo mineiro, o comprometimento do Estado com pessoal atingiria 37,16%. A assessoria do Tesouro Nacional, porém, informou que, para o fechamento dos cálculos de despesas, com vistas à LRF, aposentados e pensionistas devem ser incluídos na lista de pessoal. Novamente questionada pela reportagem, a assessoria de imprensa do governo reiterou que se baseia na portaria que exclui, no entendimento do Estado, os gastos com aposentados e pensionistas de seu orçamento com a folha de pessoal. Lei federal. Especialistas em direito econômico ouvidos pela reportagem, no entanto, afirmam que nenhuma portaria tem valor maior que uma lei federal. Segundo eles, o artigo 18 da própria LRF é claro ao rogar que as aposentadorias fazem parte dos gastos com pessoal. “Entende-se como despesa com pessoal: o somatório de gastos do ente da Federação com ativos, inativos e pensionistas, relativos a mandatos eletivos, cargos, funções ou empregos, com qualquer espécie remuneratória”, diz o artigo 18 da LRF. Questionada mais uma vez, a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão divulgou nota afirmando que “Minas encerrou o exercício financeiro de 2010 com R$122,58 milhões” disponíveis em caixa, “algo que não ocorria há pelo menos duas décadas”. Segundo a secretária da pasta, Renata Vilhena, o objetivo é fazer com que o Estado não volte ao déficit fiscal. “Este é o resultado da política de controle dos gastos públicos implementada pelo governo de Minas, nos últimos oito anos, e que impõe equilíbrio fiscal no planejamento e na execução das ações governamentais”, argumenta. (O Tempo)

Fedor APANHA DO BASILEIRO Pezão 13/02/2011 - 07h08

13/02/2011 - 07h08 Pezão vence no GP do Strikeforce, em 2º revés seguido de Fedor para brasileiros Do UOL Esporte Em São Paulo Fedor Emelianenko já foi considerado uma lenda do MMA, como o melhor peso pesado durante boa parte da última década. Mas sua aura de invencibilidade, que durou cerca de oito anos, já não é a mesma. Depois de uma derrota para Fabrício Werdum em 2010, mais um brasileiro vitimou o russo. Neste sábado, Antonio Silva, o Pezão, é quem se deu bem contra Fedor, que já pensa em aposentadoria. Os lutadores se encontraram na primeira edição do Grand Prix do Strikeforce. A competição adotou um formato diferente para seus pesos pesados, para competir com o UFC. Então, Fedor e Pezão fizeram uma das quartas de final para o título da categoria. E, se parecia que o caminho seria fácil para o russo voltar a ser campeão, o combate mostrou o contrário. Em East Rutherford, New Jersey (EUA), Pezão conseguiu derrubar Fedor. A luta foi encerrada por decisão dos médicos. Após um segundo assalto muito forte, o olho do direito do russo se “fechou” devido aos golpes recebidos e foi dado o nocaute técnico em favor do brasileiro, que agora tem cartel de 16 vitórias e só duas derrotas no MMA – ele soma agora três vitórias após ter sido batido por Werdum em 2009. “Todos ficaram falando de Fedor, Fedor, Fedor... Mas eu mostrei ao mundo quem sou”, afirmou Pezão. “Algo deu errado desde o começo e não consegui me reajustar à luta. Talvez seja a hora de parar”, afirmou Fedor Emelianenko, visivelmente decepcionado com sua noite. “Talvez tenha sido a última vez. Eu tive um tempo lindo e longo no esporte, mas talvez seja o que Deus reservou para mim.” Apesar da derrota, Fedor foi melhor no primeiro assalto, em pé. Ele conseguiu distribuir mais golpes, recusando-se a ir para o solo, especialidade do brasileiro – e uma lição que aprendeu na derrota para Werdum. A luta foi para o chão no início do segundo round e foram quase quatro minutos até que Fedor conseguisse voltar a ficar de pé. Pezão conseguiu acertar muitas vezes o rival, que começou a sangrar devido aos cortes, além de apresentar um grande inchaço. Na volta ao corner, o russo queria continuar, mas foi aconselhado pelos oficiais da luta a parar. Nas outras lutas da programação principal, só pesos pesados subiram ao ringue, sendo uma das lutas parte do GP do Strikeforce. A Rússia conseguiu uma vitória com Sergei Kharitonov , que venceu Andrei Arlovski, de Belarus, por nocaute no primeiro round, na outra chave do torneio. Mais lutas: Gracie vence No card preliminar da noite de lutas do Strikeforce, o brasileiro Igor Gracie conseguiu uma vitória sobre o norte-americano John Salgado, finalizando o rival. Foi sua estreia no Strikeforce, chegando agora a 3 vitórias e duas derrotas na carreira iniciada em 2008. _________________________________________________________ Foi bonito ver a reverencia do Pezão no fim da luta e espero que o Fedor ainda não se aposente. A religião está baseada nos ritos, dogmas e credos, tabus e códigos morais de cada tradição de fé. A espiritualidade está fundamentada nos conteúdos universais de todas e cada uma das tradições de fé. O problema é que toda vez que você discute religião você afasta as pessoas umas das outras, promove o sectarismo e a intolerância. Mas, quando você concentra sua atenção e ação, sua práxis, em valores como reconciliação, perdão, misericórdia, compaixão, solidariedade, amor e caridade, você está no horizonte da espiritualidade, comum a todas as tradições religiosas. Esse papo de amarrão é pura bobagem, quem luta tem de achar antídoto contra o veneno do adversário.

JORNAL HOJE EM DIA . Nelson Hungria: sexo, drogas, rock´n roll e telefone livres

Nelson Hungria: sexo, drogas, rock´n roll e telefone livres Imagens divulgadas com exclusividade pela Rede Record mostram que lá os presos são quem mandam Da Redação - 14/02/2011 - 18:37 Considerada pelo governo mineiro como uma instituição de segurança máxima, a Penitenciária Nelson Hungria, em Nova Contagem, Grande BH, está nas mãos dos presos. Lá, eles ditam as normas e transformam o local num paraíso de tráfico de drogas, violência e sexo. Tem mais: o uso de telefone celular e comercialização de drogas também estão liberados. Na Nelson Hungria, onde estão o presos condenados considerados mais perigosos, o tráfico de drogas, uso de celulares, acertos de contas, além de outras atividades ilícitas, ocorrem em todos os pavilhões. Os presos se esbaldam durante os períodos de banho de sol sem serem incomodados por agentes penitenciários, que, por serem poucos, apenas assistem. Nos finais de semana, os pátios se transformam numa espécie de motel coletivo. Casais se espalham no local, deitam lado a lado e praticam sexo. As imagens, registradas pelas câmeras de segurança da penitenciária formam divulgadas com exclusividade pela Rede Record. As imagens exibidas mostram presos falando ao celular dentro da penitenciária, além do tráfico e uso de drogas no pátio da prisão de segurança máxima. Nas imagens, um dos presos usa uma “tereza” - corda improvisada com lençóis - e escala o muro. No alto, ele dá socos para destruir a câmera de segurança e um bloqueador de celulares. Em outras imagens, grupos de presos com o uniforme vermelho da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) fumam “baseado” (cigarro de maconha), crack e cheiram cocaína. Imagens de várias brigas e tentativa de assassinato de um detento por outro armado com uma faca artesanal. Em nota, a Secretaria de Estado da Defesa Social (Seds) minimizou a divulgação das imagens sob alegação de que foram gravadas no ano passado. A Seds afirma que todas as situações registradas foram objeto de intervenções imediatas de agentes penitenciários, sendo aplicadas as punições cabíveis a cada situação por parte do Governo do Estado. No entanto, fontes ligadas aos agentes penitenciários confirmaram que essas situações continuam a se repetir. O presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, José Maria Marques, admitiu algumas irregularidades, mas se recusou a comentar as imagens. O presidente da Comissão Penitenciária da Ordem dos Advogados de Brasil em Minas Gerais (OAB-MG), Adilson Rodrigues informou que já requereu explicações junto à Seds. .

Anastasia minimiza denúncias de supostos abusos na Nelson Hungria

Anastasia minimiza denúncias de supostos abusos na Nelson Hungria 14/02/2011 20h41Avalie esta notícia » 246810.DANIEL SILVEIRA/MATEUS JASPER Siga em: www.twitter.com/Otempoonline Notícia Comentários(2)Compartilhe Mais notícias AAO governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, minimizou nesta segunda-feira (14) as denúncias de abusos cometidos pelos detentos que cumprem pena na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande Belo Horizonte. Em reportagem veiculada pela emissora Record, imagens gravadas dentro da penitenciária de segurança máxima mostram os presos usando drogas e falando ao celular livremente dentro da unidade. A emissora denunciou ainda o sexo livre dentro da Nelson Hungria durante os fins de semana. “A notícia que eu tive foi que essas cenas remetem já a um período anterior, salvo engano, do ano passado e que até foram objeto de punição naquela época pela averiguação feita”, afirmou o governador à reportagem de O TEMPO ao ser questionado se tinha conhecimento das denúncias. Anastasia garantiu que a determinação do governo ao Sistema Penitenciário é de que seja cumprida a legislação vigente, destacando a lei nacional de execução penal que deve ser cumprida “naturalmente dando toda a segurança ao preso que está ali cumprindo a sua pena, mas também dentro das condições que são determinadas pela legislação, não permitindo a eles, evidentemente, esse tipo de comportamento”, disse. O governador, no entanto, preferiu não falar sobre a Penitenciária Nelson Hungria, onde estão presos os criminosos tidos como mais perigosos do Estado. De forma genérica, ele enalteceu os investimentos feitos na gestão anterior quando, segundo ele, o Estado passou a ter mais de 100 unidades prisionais, enquanto a população carcerária aumentou em cinco vezes. Então, esse aumento, naturalmente, gera algum tipo de dificuldade”, argumentou.

Detentos do RS devem cumprir prisão domiciliar.SUPERLOTAÇAO

Detenta do regime semi-aberto no Rio começa a usar tornozeleira de vigilância

complexo prisional da Dutra na região de Guarulhos poderá migra para as margens do Rodoanel-Leste. .PPP PELO BRASIL

mplexo prisional da Dutra na região de Guarulhos poderá migra para as margens do Rodoanel-Leste. O governo Alckmin e a prefeitura de Guarulhos prometem remover os quatro presídios do km 220 da rodovia Presidente Dutra, na cidade de Guarulhos. Segundo o projeto deverá ser realizado por meio de PPP (Parceria Público-Privada), seriam removidos, portanto dois CDPs e dois presídios, Adriano Marrey e Parada Neto. Deu na Folha de São Paulo O governo estadual e a Prefeitura de Guarulhos começam a projetar a revitalização do entorno do aeroporto de Cumbica de olho na Copa de 2014. Entre as medidas em estudo estão à remoção de quatro presídios situados na região e a eliminação de submoradias que circundam o terminal. O projeto deverá ser realizado por meio de PPP (Parceria Público-Privada), com o aproveitamento das áreas ao longo da rota que chega à capital para instalações de logística. A idéia é transferir as unidades prisionais para as margens do Rodoanel-Leste

Mulher esconde celular na filha para entrar na cadeia em SP

Mulher esconde celular na filha para entrar na cadeia em SP Uma mulher foi presa no final de semana ao tentar entrar com um celular escondido na axila e um chip de operadora de telefonia na boca da filha de 10 anos no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Ribeirão Preto (313 km de SP). O aparelho seria entregue ao marido da acusada. Ele não é pai da criança. Segundo a Polícia Militar, os agentes penitenciários desconfiaram que a criança escondia algo, pois ela não abria os braços nem falava. Depois de conversar com a garota, os agentes conseguiram convencê-la a erguer os braços. O aparelho celular caiu. Ao pedir que ela abrisse a boca, os agentes encontraram o chip de operadora de telefonia. A mãe da menina foi presa em flagrante e encaminhada à cadeia de Cajuru. Ela não possui advogado constituído. A criança foi encaminhada ao Conselho Tutelar e, em seguida, entregue a um familiar. CFSP

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Delegado diz que vistoria em delegacia é um "constrangimento"

Delegado diz que vistoria em delegacia é um "constrangimento" Folha on line DIANA BRITO DO RIO O delegado Claudio Ferraz, titular da Draco (Delegacia de Repressão ao Crime Organizado, do Rio), afirmou na tarde desta segunda-feira que as buscas feitas pela Corregedoria e por policiais civis na unidade "é um constrangimento". A delegacia está fechada desde a noite de ontem, a mando do chefe da Polícia Civil, Allan Turnowski. Escutas revelam desvios em ocupação a favela Ex-subchefe da polícia é transferido para Bangu 8 Associação de delegados critica operação da PF no Rio Promotoria não descarta pedir novas prisões após operação Policiais se dividiam em quatro organizações no Rio, diz PF Delegada é suspeita de favorecer acusado durante operação As equipes buscam documentos que possam comprovar que policiais da unidade receberam propina de empresários para deixar de investigar possíveis fraudes em licitação. "Não há a menor dúvida de que é um constrangimento. Estou tomando conhecimento pra depois, se houver necessidade, prestar esclarecimentos", afirmou Ferraz.. Ele disse ainda que a hipótese de propina é "apenas especulação", por enquanto. Ferraz esteve no prédio onde funciona a Draco durante toda a manhã, mas afirmou que não acompanhava as buscas na unidade. Ele disse que resolvia outros problemas na Corregedoria, que funciona no mesmo edifício. Informações obtidas pela Folha apontam que Ferraz é um dos principais nomes analisados pelo secretário de Segurança Pública para substituir Turnowski na chefia da Polícia Civil. A operação de hoje é um complemento da "Operação Guilhotina", deflagrada na última sexta-feira (11), e que prendeu 38 pessoas, dos quais 20 são policiais militares e 10, policiais civis. OPERAÇÃO A Polícia Federal afirmou ontem que alguns dos 45 acusados na Operação Guilhotina chegaram a movimentar até R$ 50 mil por dia em suas contas bancárias. Os policiais são acusados de participação em quatro organizações criminosas. Eles apreendiam armas em favelas e, depois, as vendiam a traficantes rivais. Em outra frente, cobravam R$ 100 mil para informar criminosos sobre operações policiais. Também estavam envolvidos com uma milícia em Ramos (zona norte), que extorquia moradores em troca de 'segurança'. E davam proteção a casas de jogos. A PF apresentou ontem parte das armas apreendidas na operação --duas carabinas 38, dois fuzis 556, sete pistolas, um revólver, 12 rádios de comunicação, e 4.000 a 5.000 balas, a maior parte apreendida na 22ª Delegacia de Polícia, na Penha. Foram apreendidos ainda R$ 60 mil e 700 euros. O delegado federal Allan Dias, que comanda a operação, disse a que investigação continua e pode haver mais pedidos de prisão.

RS suspende monitoramento de presos com tornozeleira eletrônica

RS suspende monitoramento de presos com tornozeleira eletrônica O término de um contrato irá interromper no final deste mês o monitoramento de mais de 100 presos do regime aberto que são controlados por tornozeleira eletrônica no Rio Grande do Sul. Segundo a assessoria da Superintendência de Serviços Penitenciários do Estado (Susepe), em agosto do ano passado, por decisão da Justiça, a pasta teve de realizar um contrato emergencial para monitorar 400 presos que deveriam ser postos no regime aberto e que ainda estavam na cadeia. Neste mês, apenas 108 continuavam em monitoramento, diz a pasta. O governo gaúcho espera que até julho esteja finalizada uma licitação que prevê a compra de 4 mil tornozeleiras. O processo está em fase de contestação pelas empresas que participam da competição. Ainda não se sabe qual modelo será adquirido. Os presos que atualmente são monitorados terão de entregar até o fim do mês as tornozeleiras. Em novembro de 2010, um preso condenado por estelionato no Rio Grande do Sul e que era monitorado pela tornozeleira foi recapturado em Bragança Paulista, no interior de São Paulo. Ele disse que não arrebentou a pulseira por acreditar que um alarme apontaria sua localização. Segundo a polícia gaúcha, ele estava sendo monitorado desde que deixou o estado.

Agente penitenciário é preso tentando entrar em presídio com drogas e celulares no Sistema Prisional de Alagoas

. Agente penitenciário é preso tentando entrar em presídio com drogas e celulares O agente penitenciário prestador de serviço José Olímpio da Silva, 51 anos, foi preso por outros agentes penitenciários quando tentava entrar no presídio Professor Cyridião Durval – onde trabalhava - com drogas, arma, celulares, carregadores, baterias, chips e munição. Segundo José Olímpio, que foi preso depois de uma denúncia anônima, essa era a segunda vez que fazia esse serviço para os presos. Com o agente foram encontrados um quilo e 100 gramas de maconha, 12 telefones celulares, um revólver Rossi, calibre 38; 11 carregadores de celular, seis chips, três baterias de telefone, cinco munições calibre 38 e uma calibre ponto 40 intactas; 119 reais em dinheiro e mais dois maços de cigarros e dois vidros de perfume. José Olímpio confessou que recebia 50 reais por cada peça que conseguia passar para dentro do presídio. O agente trabalhava no sistema penitenciário há nove anos como prestador de serviço. Primeiro no Baldomero Cavalcante e depois no presídio Cyridião Durval. Detido na Direção das Unidades Penitenciária (DUP), no Tabuleiro do Martins, José Olímpio foi conduzido por uma equipe de policiais do Batalhão de Guardas da PM Central de Polícia Civil, para ser lavrado o flagrante. por Assessoria

Oficiala de Justiça é "obrigada" a tirar a roupa diante de detector de metais

Oficiala de Justiça é "obrigada" a tirar a roupa diante de detector de metais Uma Oficiala foi intimar um preso no Centro de Detenção Prisional (CDP) de São Bernardo do Campo e teve problemas. Ao tentar passar repetidas vezes pelo detector de metais, sem sucesso já que o mesmo sempre alarmava, o policial disse que a Oficiala deveria retirar o sutiã. A mesma comunicou que não tinha nada por baixo, nem sutiã. Mas não adiantou, o Policial continuava impedindo a oficiala de adentrar. Indignada com a situação, a Oficiala levantou sua camisa à altura do pescoço e provou que não levava nada por baixo. O agente penitenciário chegou a dizer que a Oficiala deveria ir com roupa de ginástica, e assim evitar maiores constrangimentos. A situação constrangedora foi presenciada por dois advogados que aguardavam para passar pela mesma revista. Um dos advogados, que assistiu a tudo, disse que “o que fizeram com o Oficial de Justiça, com um mandado Judicial na mão, é indigno” afirmou. Diante do constrangimento, a Oficiala exigiu a presença do diretor do CDP para solucionar a questão, ou certificaria que foi impedida de entrar no sistema prisional. Porém, ainda sem confiar na palavra da Oficiala (que como todos os Oficiais de Justiça têm fé pública), permitiu sua entrada sob escolta, como se a mesma fosse uma presidiária. Indignada, a Oficiala entrou com uma representação, mas não teve sua petição atendida. O caso ocorreu há cerca de dois meses, e esta semana o Juiz Corregedor se manifestou sobre o processo, arquivando o mesmo. Para ele o CDP agiu corretamente e, como se não bastasse repreendeu a Oficiala por haver, num ato de revolta, ter se desnudado diante de um policial. “Não se pode destratar o Oficial de Justiça, mas também não se pode permitir que a Oficial de Justiça fique parcialmente desnuda diante de um Oficial penitenciário” teria escrito em seu despacho do Juiz. Fonte: Associação dos Oficias de Justiça e Avaliadores Federais da Justiça e do Trabalho